Novas receitas

Checkers CEO aparece em ‘Undercover Boss’

Checkers CEO aparece em ‘Undercover Boss’


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Rick Silva, executivo-chefe da Checkers Drive-in Restaurants Inc., aparece em 17 de fevereiro no reality show da CBS, “Undercover Boss”.

Enquanto o programa mostra Silva trabalhando em restaurantes disfarçado e se revelando no final, ele inverte o roteiro sobre o que os espectadores costumam ver no programa quando ele fecha temporariamente um dos restaurantes depois de descobrir que o gerente geral do local está executando seu turno abaixo do operacional padrões.

Além dessa instância, ele disse que o resto de seu tempo como membro da equipe foi uma experiência positiva e esclarecedora.

“Fiquei incrivelmente motivado pelas pessoas que vimos nos oito dias em que [filmei o episódio]”, disse Silva. “Uma das funcionárias que me treinou em um protótipo totalmente novo em Mobile, Alabama, chamada Johanna, tem toda a capacidade para se tornar uma grande gerente. Como resultado do meu aprendizado lá, estamos tentando encontrar mais pessoas como ela. À medida que crescemos no ritmo que temos, a capacidade de encontrar pessoas como ela é fundamental. ”

A Checkers Drive-in Restaurants Inc., com sede em Tampa, Flórida, opera ou franqueia 800 restaurantes de serviço rápido Checkers e Rally nos Estados Unidos.

A diretora de desenvolvimento Jennifer Durham disse que o alcance nacional do “Undercover Boss”, bem como a atividade de mídia social que ele gera, dá à Checkers mais legitimidade e conscientização para clientes e potenciais franqueados.

“Já que os comerciais do episódio de Rick começaram a ir ao ar no último domingo [fevereiro 12], tivemos o dobro do número normal de consultas de franquia ", disse ela.

Silva falou com o Nation’s Restaurant News sobre como sua experiência inspirou novos programas corporativos em nível de unidade.

Por que você foi disfarçado?

Estamos muito entusiasmados em contar nossa história sobre receitas crescentes, lucros e número de unidades. O sucesso que tivemos nos últimos cinco anos veio em grande parte de uma mudança dramática em nossos padrões de operações e em nosso menu. Fiquei incrivelmente orgulhoso de ver esses funcionários me treinando perfeitamente e de ver que as mudanças que fizemos estão gerando resultados.

O que aconteceu com a unidade que você teve que fechar?

Este restaurante tinha um novo gerente geral, recém-colocado no cargo, e ele não estava administrando os restaurantes de acordo com os padrões que esperamos. Não havia nada que representasse perigo para nossos funcionários ou convidados, mas seu tom com os membros da equipe era diferente, muito conciso. Cheguei à conclusão de que ele não estava preparado para comandar aquele turno e não estava convencido de que, quando eu saísse, o restaurante forneceria o nível de serviço de que precisamos. Os funcionários precisam ouvir o tipo de liderança que espero, e os gerentes gerais precisam fornecer suporte e treinamento. Fechamos a unidade temporariamente durante o turno da noite de domingo. Na manhã seguinte, ele foi reaberto com um novo gerente e está funcionando de forma fantástica desde então.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe uma ou duas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-corretor de imóveis que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também estiveram em baixa, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E, para completar, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 para uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a gerência intermediária foi um momento raro no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe uma ou duas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-corretor de imóveis que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também caíram em todos os tempos, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E ainda por cima, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente-assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 para uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a média gerência foi um raro momento no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe algumas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-agente imobiliário que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também estiveram em baixa, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E, para completar, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente-assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 para uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a média gerência foi um raro momento no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe algumas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-agente imobiliário que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também caíram em todos os tempos, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E ainda por cima, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente-assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 para uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a gerência intermediária foi um momento raro no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe uma ou duas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-agente imobiliário que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também caíram em todos os tempos, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E ainda por cima, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente-assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 para uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a média gerência foi um raro momento no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe uma ou duas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-corretor de imóveis que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também caíram em todos os tempos, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E ainda por cima, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente-assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 em uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a gerência intermediária foi um momento raro no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe uma ou duas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

Portanto, talvez não seja surpreendente que, como o mais recente CEO a aparecer no "Undercover Boss", Wiederhorn levou a sério os problemas que um funcionário relatou em uma franquia de Mesa, Arizona. Fazendo-se passar por "Myron Leeds", um ex-corretor de imóveis que aparecia em um reality show de "segundas chances", Wiederhorn visitou o restaurante Fatburger e descobriu que a franquia estava uma bagunça.

Angélica, uma gerente assistente, mostrou que as torneiras da cozinha não podiam ser fechadas. As vendas também estiveram em baixa, admitiu Wiederhorn diante das câmeras. E ainda por cima, a franquia - que faz parte de uma empresa que gera US $ 100 milhões em receita por ano e está procurando se expandir para mais 200 locais - não pagou seus funcionários. "Quando recebemos nossos contracheques, não há dinheiro no banco", relatou Angélica a "Leeds". (Conforme visto no vídeo acima.)


Ao falar com "Leeds" durante um intervalo fora da franquia, Angelica também descreveu em detalhes a cultura problemática em seu local de trabalho. "A única vez que vemos o dono é quando algo está quebrado", disse ela. Não há reforço positivo: o gerente "não aparece para ver como estamos indo". E então o golpe final na lista de queixas de Angélica: "É como se eu estivesse trabalhando para você - mas por quê?"

Wiederhorn, por sua vez, pareceu levar as críticas a sério. Então, na revelação no final do show, ele deu o passo extraordinário de convidar o empresário de Angélica, o dono da franquia Marcus, para o set. E Marcus não resistiu. "Não quero mais decepcioná-lo", disse ele ao gerente assistente.

Como forma de ajudar a impulsionar a franquia, Wiederhorn disse a Marcus que perdoaria uma dívida de cerca de US $ 50.000 que ele devia a ele. E então ele também disse a Angélica que pagaria suas mensalidades para que ela pudesse frequentar a escola de enfermagem, bem como lhe daria um bônus de US $ 10.000 em uma lua de mel. (Ela mal conseguiu tirar férias nos mais de dois anos em que está com Fatburger, que é quase a mesma época em que ela está casada.)

Tais confrontos entre trabalhadores e gerentes são centrais no DNA de "Undercover Boss", agora em sua quarta temporada. Mas na maioria das vezes eles estão entre os trabalhadores e o CEO. Às vezes, eles são iniciados pelo chefe, como quando o CEO de Checkers and Rally, Rick Silva, decidiu na hora fechar uma filial de baixo desempenho na Flórida, e então deu a seus funcionários um sermão severo. Em outras ocasiões, os confrontos são iniciados pelos próprios trabalhadores, como quando o CEO da Philly Pretzel, Dan DiZio, esqueceu que já havia se encontrado com uma equipe de marido e mulher de proprietários de franquia, e eles tiveram que lembrá-lo da reunião.

A escolha de Wiederhorn de ficar do lado e defender seu trabalhador contra a média gerência foi um momento raro no programa. Menos raro foi o que aconteceu durante as outras visitas de Wiederhorn no episódio.

Como foi o caso de DiZio de Philly Pretzel, Wiederhorn foi exposto durante sua primeira visita a uma franquia em Sherman Oaks, Califórnia, perto da sede da empresa. Val, que trabalhou no ramo de hambúrgueres por 29 anos, foi direto: "Você parece o presidente da Fatburger. Parece um irmão." Wiederhorn não conseguiu evitar.

E a generosidade do chefe, que alguns críticos do programa ridicularizam como uma manobra de relações públicas, também estava em exibição. Durante uma visita ao local, Wiederhorn trabalhou com Ramon como técnico de padeiro em Carson, Califórnia, o que basicamente envolve a avaliação da qualidade dos pães em um depósito da empresa.


& # x27Undercover Boss & # x27: O CEO do Fatburger, Andy Wiederhorn, encontra a franquia mal cozida

Andrew "Andy" Wiederhorn sabe algumas coisas sobre segundas chances. Depois de se tornar um milionário antes dos 30 anos, Wiederhorn se declarou culpado de acusações de fraude na declaração de impostos e passou 14 meses na prisão. Desde então, ele se tornou CEO da Fatburger, a rede de fast food com sede em Los Angeles e a transformou em uma empresa fervilhante, com 150 restaurantes em todo o mundo.

So perhaps it's not surprising that as the latest CEO to appear on " Undercover Boss," Wiederhorn took to heart the troubles that an employee reported at a Mesa, Ariz., franchise. Posing as "Myron Leeds," a former real estate agent appearing on a "second chances" reality show, Wiederhorn visited the Fatburger restaurant and found that the franchise was a mess.

Angelica, an assistant manager, showed that the faucets in the kitchen couldn't be turned off. Sales were at an all-time low too, Wiederhorn conceded on-camera. And to top it off, the franchise -- which is part of a company that brings in $100 million in revenue a year and is looking to expand to 200 more locations -- has failed to pay its workers. "By the time we get our paychecks, there's no money in the bank," Angelica reported to "Leeds." (As seen in the video above.)


While speaking to "Leeds" during a break outside the franchise, Angelica also described in detail the problematic culture at her workplace. "The only time we see the owner is when something is broken," she told him. There's no positive reinforcement: The manager "doesn't come around see how we're doing." And then the ultimate blow in Angelica's list of grievances: "It's like I am working for you -- but why?"

Wiederhorn, for his part, seemed to take the criticism seriously. So in the reveal at the end of the show, he took the extraordinary step of inviting Angelica's manager, franchise owner Marcus, onto the set. And Marcus didn't put up a fight. "I don't want to let you down anymore," he told the assistant manager.

As a way of helping to boost the franchise, Wiederhorn told Marcus that he'd forgive a debt of around $50,000 that he owed him. And then he also told Angelica that he would pay for her tuition so that she could attend nursing school, as well as give her a $10,000 bonus toward a honeymoon. (She's barely been able to take a vacation in the two-plus years she's been with Fatburger, which is about the same time that she's been married.)

Such showdowns between workers and managers are central to of the DNA of "Undercover Boss," now well into its fourth season. But most of the time they are between the workers and the CEO. Sometimes they are initiated by the boss, as when Checkers and Rally's CEO Rick Silva decided on the spot to shut down a poor-performing branch in Florida, then gave its workers a stern lecture. At other times, the showdowns are initiated by the workers themselves, as when Philly Pretzel CEO Dan DiZio forgot that he already had met with one husband-and-wife team of franchise owners, and they had to remind him of the meeting.

Wiederhorn's choice to side with and advocate for his worker against middle management was a rare moment on the show. Less rare was what happened during Wiederhorn's other site visits on the episode.

As was the case with DiZio of Philly Pretzel, Wiederhorn was outed during his first site visit to a franchise in Sherman Oaks, Calif., close to the company's headquarters. Val, who's worked in the business of making hamburgers for 29 years, put it bluntly: "You look like the president of Fatburger . like a brother." Wiederhorn couldn't help but out himself.

And the generosity of the boss, which some critics of the show deride as a public relations ploy, was also on display. During one site visit, Wiederhorn worked with Ramon as a baker technician in Carson, Calif., which basically involves assessing the quality of buns at a company warehouse.


'Undercover Boss': Fatburger CEO Andy Wiederhorn Finds Franchise Half-Cooked

Andrew "Andy" Wiederhorn knows a thing or two about second chances. After becoming a millionaire before the age of 30, Wiederhorn pleaded guilty to tax return fraud charges and spent 14 months in jail. Since then, he became CEO of Fatburger, the Los Angeles-based fast food chain and turned it into a sizzling enterprise, with 150 restaurants worldwide.

So perhaps it's not surprising that as the latest CEO to appear on " Undercover Boss," Wiederhorn took to heart the troubles that an employee reported at a Mesa, Ariz., franchise. Posing as "Myron Leeds," a former real estate agent appearing on a "second chances" reality show, Wiederhorn visited the Fatburger restaurant and found that the franchise was a mess.

Angelica, an assistant manager, showed that the faucets in the kitchen couldn't be turned off. Sales were at an all-time low too, Wiederhorn conceded on-camera. And to top it off, the franchise -- which is part of a company that brings in $100 million in revenue a year and is looking to expand to 200 more locations -- has failed to pay its workers. "By the time we get our paychecks, there's no money in the bank," Angelica reported to "Leeds." (As seen in the video above.)


While speaking to "Leeds" during a break outside the franchise, Angelica also described in detail the problematic culture at her workplace. "The only time we see the owner is when something is broken," she told him. There's no positive reinforcement: The manager "doesn't come around see how we're doing." And then the ultimate blow in Angelica's list of grievances: "It's like I am working for you -- but why?"

Wiederhorn, for his part, seemed to take the criticism seriously. So in the reveal at the end of the show, he took the extraordinary step of inviting Angelica's manager, franchise owner Marcus, onto the set. And Marcus didn't put up a fight. "I don't want to let you down anymore," he told the assistant manager.

As a way of helping to boost the franchise, Wiederhorn told Marcus that he'd forgive a debt of around $50,000 that he owed him. And then he also told Angelica that he would pay for her tuition so that she could attend nursing school, as well as give her a $10,000 bonus toward a honeymoon. (She's barely been able to take a vacation in the two-plus years she's been with Fatburger, which is about the same time that she's been married.)

Such showdowns between workers and managers are central to of the DNA of "Undercover Boss," now well into its fourth season. But most of the time they are between the workers and the CEO. Sometimes they are initiated by the boss, as when Checkers and Rally's CEO Rick Silva decided on the spot to shut down a poor-performing branch in Florida, then gave its workers a stern lecture. At other times, the showdowns are initiated by the workers themselves, as when Philly Pretzel CEO Dan DiZio forgot that he already had met with one husband-and-wife team of franchise owners, and they had to remind him of the meeting.

Wiederhorn's choice to side with and advocate for his worker against middle management was a rare moment on the show. Less rare was what happened during Wiederhorn's other site visits on the episode.

As was the case with DiZio of Philly Pretzel, Wiederhorn was outed during his first site visit to a franchise in Sherman Oaks, Calif., close to the company's headquarters. Val, who's worked in the business of making hamburgers for 29 years, put it bluntly: "You look like the president of Fatburger . like a brother." Wiederhorn couldn't help but out himself.

And the generosity of the boss, which some critics of the show deride as a public relations ploy, was also on display. During one site visit, Wiederhorn worked with Ramon as a baker technician in Carson, Calif., which basically involves assessing the quality of buns at a company warehouse.


'Undercover Boss': Fatburger CEO Andy Wiederhorn Finds Franchise Half-Cooked

Andrew "Andy" Wiederhorn knows a thing or two about second chances. After becoming a millionaire before the age of 30, Wiederhorn pleaded guilty to tax return fraud charges and spent 14 months in jail. Since then, he became CEO of Fatburger, the Los Angeles-based fast food chain and turned it into a sizzling enterprise, with 150 restaurants worldwide.

So perhaps it's not surprising that as the latest CEO to appear on " Undercover Boss," Wiederhorn took to heart the troubles that an employee reported at a Mesa, Ariz., franchise. Posing as "Myron Leeds," a former real estate agent appearing on a "second chances" reality show, Wiederhorn visited the Fatburger restaurant and found that the franchise was a mess.

Angelica, an assistant manager, showed that the faucets in the kitchen couldn't be turned off. Sales were at an all-time low too, Wiederhorn conceded on-camera. And to top it off, the franchise -- which is part of a company that brings in $100 million in revenue a year and is looking to expand to 200 more locations -- has failed to pay its workers. "By the time we get our paychecks, there's no money in the bank," Angelica reported to "Leeds." (As seen in the video above.)


While speaking to "Leeds" during a break outside the franchise, Angelica also described in detail the problematic culture at her workplace. "The only time we see the owner is when something is broken," she told him. There's no positive reinforcement: The manager "doesn't come around see how we're doing." And then the ultimate blow in Angelica's list of grievances: "It's like I am working for you -- but why?"

Wiederhorn, for his part, seemed to take the criticism seriously. So in the reveal at the end of the show, he took the extraordinary step of inviting Angelica's manager, franchise owner Marcus, onto the set. And Marcus didn't put up a fight. "I don't want to let you down anymore," he told the assistant manager.

As a way of helping to boost the franchise, Wiederhorn told Marcus that he'd forgive a debt of around $50,000 that he owed him. And then he also told Angelica that he would pay for her tuition so that she could attend nursing school, as well as give her a $10,000 bonus toward a honeymoon. (She's barely been able to take a vacation in the two-plus years she's been with Fatburger, which is about the same time that she's been married.)

Such showdowns between workers and managers are central to of the DNA of "Undercover Boss," now well into its fourth season. But most of the time they are between the workers and the CEO. Sometimes they are initiated by the boss, as when Checkers and Rally's CEO Rick Silva decided on the spot to shut down a poor-performing branch in Florida, then gave its workers a stern lecture. At other times, the showdowns are initiated by the workers themselves, as when Philly Pretzel CEO Dan DiZio forgot that he already had met with one husband-and-wife team of franchise owners, and they had to remind him of the meeting.

Wiederhorn's choice to side with and advocate for his worker against middle management was a rare moment on the show. Less rare was what happened during Wiederhorn's other site visits on the episode.

As was the case with DiZio of Philly Pretzel, Wiederhorn was outed during his first site visit to a franchise in Sherman Oaks, Calif., close to the company's headquarters. Val, who's worked in the business of making hamburgers for 29 years, put it bluntly: "You look like the president of Fatburger . like a brother." Wiederhorn couldn't help but out himself.

And the generosity of the boss, which some critics of the show deride as a public relations ploy, was also on display. During one site visit, Wiederhorn worked with Ramon as a baker technician in Carson, Calif., which basically involves assessing the quality of buns at a company warehouse.


Assista o vídeo: Undercover Boss US S03E04 Checkers u0026 Rallys (Novembro 2022).