Novas receitas

Pessoas que fazem dieta sem glúten têm mais datas, diz estudo

Pessoas que fazem dieta sem glúten têm mais datas, diz estudo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

* Atualiza a biografia do Tinder para ‘sem glúten’ *

istockphoto.com

Esperamos que eles tenham escolhido um restaurante sem glúten!

Se sua vida amorosa está um pouco lenta ultimamente, sua dieta pode ser o problema. Ou seja, se você acredita nos resultados da pesquisa recente do Match.com, Singles in America. De acordo com dados de mais de 5.000 entrevistados, as pessoas que seguem uma dieta sem glúten têm 217% mais chances de terem saído para um encontro no ano passado. Eles também tinham 172 por cento menos probabilidade de ter tido um período de seca nos últimos dois anos.

Eliminar o glúten está, evidentemente, ajudando as pessoas com sua vida sexual também. A pesquisa também revelou que aqueles que relatam ter orgasmos têm 43% mais chances de não ter glúten.

Estamos um pouco confusos sobre o apelo de uma dieta sem glúten, especialmente para alguém que você está namorando. Tipo, uau, é só tão sexy que você não pode beber cerveja, comer pão ou fazer qualquer outra coisa divertida na vida ...

Mas não podemos discutir com as estatísticas. Os solteiros estão nisso.

No entanto, nem todos os que fazem dieta têm tanta sorte quanto os que não gostam de glúten. De acordo com um conjunto de dados coletados pelo FoodBoxHQ, 28,2 por cento dos americanos se recusam a namorar um vegano. O júri ainda não decidiu sobre a dieta cetônica, Whole30 e Atkins - não temos certeza se esses regimes têm a mesma quantidade de apelo sexual.

Embora um homem fingindo ser um bagel de tudo no Tinder fez conseguiu obter mais de 1.000 fósforos ... Será que o bagel não tinha glúten?


Receitas de cigarras: os insetos têm baixo teor de carboidratos e alimentos sem glúten

As cigarras escaldadas, cozidas ou cristalizadas, são um lanche saudável, dizem os especialistas.

Qualquer pessoa que queira apimentar sua dieta sem glúten precisa olhar apenas para os bilhões de cigarras do tamanho de camarões e olhos redondos que emergem do solo no leste dos Estados Unidos.

"Eles definitivamente não teriam glúten. Eles não se alimentam de trigo", disse Gene Kritsky, biólogo e especialista em cigarras do College of Mount St. Joseph em Cincinnati, Ohio. Os insetos também têm alto teor de proteína, baixo teor de gordura e baixo teor de carboidratos, acrescentou. (Relacionado: "Cigarras como comida: lanche com baixo teor de gordura no verão.")

Membros do Brood II, um dos maiores grupos de cigarras periódicas, têm rastejado do chão e atapetado árvores da Carolina do Norte a Connecticut desde o início de maio. Em julho, eles terão partido - não serão ouvidos novamente por 17 anos.

As cigarras passam a maior parte de suas vidas no subsolo sugando a seiva das raízes das árvores. A dieta à base de plantas dá a eles um sabor de aspargos verdes, especialmente quando comidos crus ou cozidos, de acordo com Kristky, que prefere seus insetos Brood II escaldados e jogados em uma salada de folhas verdes como pedaços de frango.

Bruto? Na verdade, não, disse Jenna Jadin, uma entomologista que escreveu o livro de receitas on-line Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada em 2004, quando era estudante de graduação na Universidade de Maryland em College Park.

Ela observa em seu livro que lagostins, lagostas, caranguejos e camarões fazem parte do mesmo filo biológico - artrópodes - dos insetos. “Então, colocar um grande e suculento besouro, grilo ou cigarra em sua boca está a apenas um passo de distância”, escreve Jadin. (Relacionado: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

A entomologista agora é bolsista de política de ciência e tecnologia na Associação Americana para o Avanço da Ciência em Washington, DC. Ela tem estado muito ocupada para adicionar receitas ao seu livro de receitas, mas quando questionada se ela tinha novas ideias para o surgimento do Brood II em 2013, ela sugeriu um coquetel inspirado em cigarras.

"No momento, coquetéis artesanais são um grande negócio, então um coquetel com uma cigarra caramelada seria uma boa atualização", disse ela. No dia seguinte, ela tinha a receita em mãos:

1 dose de suco de laranja fresco

Misture todos os ingredientes com gelo em uma coqueteleira e coe para um copo gelado. Enfeite com duas cigarras cristalizadas * em um palito, se desejar.

Mais ideias de Jadin incluem Maple Cicada Cupcakes inspirados em Martha Stewart - assar os insetos por 10 a 20 minutos, depois mexê-los em uma massa de cupcake com uma colher de pau - e Cicada Bahn Mi, um sanduíche de estilo vietnamita com cigarras primeiro escaldadas, depois refogado até dourar.

O livro de receitas de Jadin começa com um aviso da Universidade de Maryland, pedindo aos aspirantes a comedores de cigarras que consultem primeiro um médico porque, como acontece com todos os alimentos, certos indivíduos podem ter uma reação alérgica.

Pesquisas mais recentes indicam que o mercúrio de fontes como as usinas a carvão se acumula nos corpos das cigarras periódicas, que passam 13 ou 17 anos no subsolo. "Agora, seja isso uma preocupação ou não, eu diria que não", disse Jadin.

As pessoas já comem peixes, que são conhecidos por conter mercúrio em seus corpos, observou ela. As diretrizes federais recomendam limitar a ingestão de peixes, especialmente para mulheres grávidas. O mesmo provavelmente seria verdadeiro para as cigarras, embora não existam diretrizes oficiais.

“Não acho que a pessoa comum que quer sair e aproveitar o surgimento da cigarra comendo uma ou duas cigarras [tenha] nada com que se preocupar”, disse ela.

Sua única verdadeira preocupação são as cigarras que emergem em áreas fortemente tratadas com pesticidas e herbicidas, pois os insetos podem ter absorvido os produtos químicos em seus corpos.

"Considerando que é provável que as pessoas não festejem com cigarras, apenas comendo algumas delas, mesmo que tenham [absorvido] produtos químicos, não é pior do que comer peixes dos Grandes Lagos", disse Jadin. "Se [as pessoas] sobreviveram a isso, provavelmente sobreviverão comendo um prato cheio de cigarra."

E não, não existe um negócio genuíno no mercado de cigarras orgânicas, acrescentou ela.

A única consequência do banquete da cigarra que Kritsky conhece é o excesso de indulgência, especialmente por parte do cachorro da família ou do esquilo de quintal favorito. Os animais podem ser induzidos a devorar cigarras tão rapidamente que os insetos podem bloquear a garganta dos animais.

"Imagine como você reagiria se fosse inundado por milhares de beijos de Hershey voadores", disse Kritsky. "Você pode ficar maluco. Eu ficaria maluco. Isso é o que acontece com cachorros ou esquilos."

Comidas com moderação, a maioria dos especialistas concorda que as cigarras - como a maioria dos insetos - são uma boa fonte de proteína: aproximadamente a mesma quantidade por quilo da carne vermelha. No entanto, faltam estudos oficiais sobre a nutrição da cigarra, observou Jadin.

Então, você está pronto para experimentar uma cigarra? Os aspirantes a gourmands devem primeiro coletar os ingredientes crus. Os insetos são comidos melhor logo depois que as ninfas abrem a pele e antes que seu exoesqueleto fique preto e duro, dizem os aficionados por cigarras.

Essas cigarras recém-eclodidas são chamadas de tenerais. Jadin disse que são mais fáceis de coletar nas primeiras horas da manhã, logo depois que os insetos emergem do solo, mas antes de rastejarem por uma árvore, onde são mais difíceis de alcançar.

Se os tenerais não estiverem disponíveis, o próximo melhor item do menu são mulheres adultas. Suas barrigas são gordas e cheias de ovos nutritivos. (Consulte também "Para a maioria das pessoas, comer insetos é apenas natural".)

Os machos adultos, entretanto, oferecem pouco para comer. Mais crocante do que mastigável, seus abdomens são ocos. (Isso permite que as melodias de flerte que eles tocam nas estruturas corporais conhecidas como timbais ressoem.) Com cigarras cruas nas mãos, a preparação é uma questão de escolha do chef.

Kritsky disse: "A maioria das pessoas gosta deles fritos e mergulhados em um molho como mostarda quente ou molho de coquetel". Outras pessoas os fervem ou escaldam.

Jadin disse que as cigarras adquirem um sabor de "nozes" quando assadas. Ela lembra que muitas receitas de cigarras pedem muito temperos e molhos, que geralmente acabam sendo o sabor dominante.

Agora vamos ao vinho: tinto ou branco? Jadin, que poderia ser encontrado com um coquetel com infusão de cigarra na mão antes do banquete principal, não disse nada. "Acho que qualquer coisa combina bem com uma cerveja belga com alto teor alcoólico, mas essa é apenas minha opinião."

Pré-aqueça o forno a 350 ° F (177 ° C). Espalhe as cigarras em uma única camada sobre uma assadeira. Asse por aproximadamente 15-20 minutos, ou até que as cigarras comecem a dourar e estejam completamente secas.

Misture o açúcar, a canela, o sal e o leite em uma panela média. Cozinhe em fogo médio-alto por oito minutos ou até que a mistura atinja o estágio de bola macia a 236 ° F (113 ° C). Retire do fogo e junte a baunilha imediatamente.

Adicione as cigarras à calda de açúcar e mexa para revestir bem. Coloque uma colher em papel manteiga e separe imediatamente as cigarras com um garfo. Resfrie e armazene em recipientes herméticos.


Receitas de cigarras: os insetos têm baixo teor de carboidratos e alimentos sem glúten

As cigarras escaldadas, cozidas ou cristalizadas, são um lanche saudável, dizem os especialistas.

Qualquer pessoa que deseja apimentar sua dieta sem glúten precisa olhar apenas para os bilhões de cigarras do tamanho de camarões e olhos redondos que emergem do solo no leste dos Estados Unidos.

"Eles definitivamente não teriam glúten. Eles não se alimentam de trigo", disse Gene Kritsky, biólogo e especialista em cigarras do College of Mount St. Joseph em Cincinnati, Ohio. Os insetos também têm alto teor de proteína, baixo teor de gordura e baixo teor de carboidratos, acrescentou. (Relacionado: "Cigarras como comida: lanche com baixo teor de gordura no verão.")

Membros do Brood II, um dos maiores grupos de cigarras periódicas, têm rastejado do chão e atapetado árvores da Carolina do Norte a Connecticut desde o início de maio. Em julho, eles terão partido - não serão ouvidos novamente por 17 anos.

As cigarras passam a maior parte de suas vidas no subsolo sugando a seiva das raízes das árvores. A dieta à base de plantas dá a eles um sabor de aspargos verdes, especialmente quando comidos crus ou cozidos, de acordo com Kristky, que prefere seus insetos Brood II escaldados e jogados em uma salada de folhas verdes como pedaços de frango.

Bruto? Na verdade, não, disse Jenna Jadin, uma entomologista que escreveu o livro de receitas on-line Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada em 2004, quando era estudante de graduação na Universidade de Maryland em College Park.

Ela observa em seu livro que lagosta, lagosta, caranguejo e camarão fazem parte do mesmo filo biológico - artrópodes - dos insetos. “Então, colocar um grande e suculento besouro, grilo ou cigarra em sua boca está a apenas um passo de distância”, escreve Jadin. (Relacionado: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

A entomologista agora é bolsista de política de ciência e tecnologia na Associação Americana para o Avanço da Ciência em Washington, DC. Ela tem estado muito ocupada para adicionar receitas ao seu livro de receitas, mas quando questionada se ela tinha novas ideias para o surgimento do Brood II em 2013, ela sugeriu um coquetel inspirado em cigarras.

"No momento, coquetéis artesanais são um grande negócio, então um coquetel com uma cigarra caramelada seria uma boa atualização", disse ela. No dia seguinte, ela tinha a receita em mãos:

1 dose de suco de laranja fresco

Misture todos os ingredientes com gelo em uma coqueteleira e coe para um copo gelado. Enfeite com duas cigarras cristalizadas * em um palito, se desejar.

Mais ideias de Jadin incluem Maple Cicada Cupcakes inspirados em Martha Stewart - assar os insetos por 10 a 20 minutos, depois mexê-los em uma massa de cupcake com uma colher de pau - e Cicada Bahn Mi, um sanduíche de estilo vietnamita com cigarras primeiro escaldadas, depois refogado até dourar.

O livro de receitas de Jadin começa com um aviso da Universidade de Maryland, pedindo aos aspirantes a comedores de cigarras que consultem primeiro um médico porque, como acontece com todos os alimentos, certos indivíduos podem ter uma reação alérgica.

Pesquisas mais recentes indicam que o mercúrio de fontes como as usinas a carvão se acumula nos corpos das cigarras periódicas, que passam 13 ou 17 anos no subsolo. "Agora, seja isso uma preocupação ou não, eu diria que não", disse Jadin.

As pessoas já comem peixes, que são conhecidos por conter mercúrio em seus corpos, observou ela. As diretrizes federais recomendam limitar a ingestão de peixes, especialmente para mulheres grávidas. O mesmo provavelmente seria verdadeiro para as cigarras, embora não existam diretrizes oficiais.

“Não acho que a pessoa comum que quer sair e aproveitar o surgimento da cigarra comendo uma ou duas cigarras [tenha] nada com que se preocupar”, disse ela.

Sua única verdadeira preocupação são as cigarras que emergem em áreas fortemente tratadas com pesticidas e herbicidas, pois os insetos podem ter absorvido os produtos químicos em seus corpos.

"Considerando que é provável que as pessoas não festejem com cigarras, apenas comendo algumas delas, mesmo que tenham [absorvido] produtos químicos, não é pior do que comer peixes dos Grandes Lagos", disse Jadin. "Se [as pessoas] sobreviveram a isso, provavelmente sobreviverão comendo um prato cheio de cigarra."

E não, não existe um negócio genuíno no mercado de cigarras orgânicas, acrescentou ela.

A única consequência do banquete da cigarra que Kritsky conhece é o excesso de indulgência, especialmente por parte do cachorro da família ou do esquilo de quintal favorito. Os animais podem ser induzidos a devorar cigarras tão rapidamente que os insetos podem bloquear a garganta dos animais.

"Imagine como você reagiria se fosse inundado por milhares de beijos de Hershey voadores", disse Kritsky. "Você pode ficar maluco. Eu ficaria maluco. Isso é o que acontece com cachorros ou esquilos."

Comidas com moderação, a maioria dos especialistas concorda que as cigarras - como a maioria dos insetos - são uma boa fonte de proteína: aproximadamente a mesma quantidade por quilo da carne vermelha. No entanto, faltam estudos oficiais sobre a nutrição da cigarra, observou Jadin.

Então, você está pronto para experimentar uma cigarra? Os aspirantes a gourmands devem primeiro coletar os ingredientes crus. Os insetos são comidos melhor logo depois que as ninfas abrem a pele e antes que seu exoesqueleto fique preto e duro, dizem os aficionados por cigarras.

Essas cigarras recém-eclodidas são chamadas de tenerais. Jadin disse que são mais fáceis de coletar nas primeiras horas da manhã, logo depois que os insetos emergem do solo, mas antes de subirem por uma árvore, onde são mais difíceis de alcançar.

Se os tenerais não estiverem disponíveis, o próximo melhor item do menu são mulheres adultas. Suas barrigas são gordas e cheias de ovos nutritivos. (Consulte também "Para a maioria das pessoas, comer insetos é apenas natural".)

Os machos adultos, entretanto, oferecem pouco para comer. Mais crocante do que mastigável, seus abdomens são ocos. (Isso permite que as melodias de flerte que eles tocam nas estruturas do corpo conhecidas como timbais ressoem.) Com cigarras cruas nas mãos, a preparação é uma questão de escolha do chef.

Kritsky disse: "A maioria das pessoas gosta deles fritos e mergulhados em um molho como mostarda quente ou molho de coquetel". Outras pessoas os fervem ou escaldam.

Jadin disse que as cigarras adquirem um sabor de "nozes" quando assadas. Ela lembra que muitas receitas de cigarras pedem muito temperos e molhos, que geralmente acabam sendo o sabor dominante.

Agora vamos ao vinho: tinto ou branco? Jadin, que poderia ser encontrado com um coquetel com infusão de cigarra nas mãos antes do banquete principal, não disse nada. "Acho que qualquer coisa combina bem com uma cerveja belga com alto teor alcoólico, mas essa é apenas minha opinião."

Pré-aqueça o forno a 350 ° F (177 ° C). Espalhe as cigarras em uma única camada sobre uma assadeira. Asse por aproximadamente 15-20 minutos, ou até que as cigarras comecem a dourar e estejam completamente secas.

Misture o açúcar, a canela, o sal e o leite em uma panela média. Cozinhe em fogo médio-alto por oito minutos ou até que a mistura atinja o estágio de bola macia a 236 ° F (113 ° C). Retire do fogo e junte a baunilha imediatamente.

Adicione as cigarras à calda de açúcar e mexa para revestir bem. Coloque uma colher em papel manteiga e separe imediatamente as cigarras com um garfo. Resfrie e armazene em recipientes herméticos.


Receitas de cigarras: os insetos têm baixo teor de carboidratos e alimentos sem glúten

As cigarras escaldadas, cozidas ou cristalizadas, são um lanche saudável, dizem os especialistas.

Qualquer pessoa que deseja apimentar sua dieta sem glúten precisa olhar apenas para os bilhões de cigarras do tamanho de camarões e olhos redondos que emergem do solo no leste dos Estados Unidos.

"Eles definitivamente não teriam glúten. Eles não se alimentam de trigo", disse Gene Kritsky, biólogo e especialista em cigarras do College of Mount St. Joseph em Cincinnati, Ohio. Os insetos também têm alto teor de proteína, baixo teor de gordura e baixo teor de carboidratos, acrescentou. (Relacionado: "Cigarras como comida: lanche com baixo teor de gordura no verão.")

Membros do Brood II, um dos maiores grupos de cigarras periódicas, têm se arrastado do chão e atapetado árvores da Carolina do Norte a Connecticut desde o início de maio. Em julho, eles terão partido - não serão ouvidos novamente por 17 anos.

As cigarras passam a maior parte de suas vidas no subsolo sugando a seiva das raízes das árvores. A dieta à base de plantas dá a eles um sabor de aspargos verdes, especialmente quando comidos crus ou cozidos, de acordo com Kristky, que prefere seus insetos Brood II escaldados e jogados em uma salada de folhas verdes como pedaços de frango.

Bruto? Na verdade, não, disse Jenna Jadin, uma entomologista que escreveu o livro de receitas on-line Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada em 2004, quando era estudante de graduação na Universidade de Maryland em College Park.

Ela observa em seu livro que lagosta, lagosta, caranguejo e camarão fazem parte do mesmo filo biológico - artrópodes - dos insetos. “Então, colocar um grande e suculento besouro, grilo ou cigarra em sua boca está a apenas um passo de distância”, escreve Jadin. (Relacionado: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

A entomologista agora é bolsista de política de ciência e tecnologia na Associação Americana para o Avanço da Ciência em Washington, DC. Ela tem estado muito ocupada para adicionar receitas ao seu livro de receitas, mas quando questionada se ela tinha novas ideias para o surgimento do Brood II em 2013, ela sugeriu um coquetel inspirado em cigarras.

"No momento, coquetéis artesanais são um grande negócio, então um coquetel com uma cigarra caramelada seria uma boa atualização", disse ela. No dia seguinte, ela tinha a receita em mãos:

1 dose de suco de laranja fresco

Misture todos os ingredientes com gelo em uma coqueteleira e coe para um copo gelado. Enfeite com duas cigarras cristalizadas * em um palito, se desejar.

Mais ideias de Jadin incluem Maple Cicada Cupcakes inspirados em Martha Stewart - assar os insetos por 10 a 20 minutos, depois mexê-los em uma massa de cupcake com uma colher de pau - e Cicada Bahn Mi, um sanduíche de estilo vietnamita com cigarras primeiro escaldadas, depois refogado até dourar.

O livro de receitas de Jadin começa com um aviso da Universidade de Maryland, pedindo aos aspirantes a comedores de cigarras que consultem primeiro um médico porque, como acontece com todos os alimentos, certos indivíduos podem ter uma reação alérgica.

Pesquisas mais recentes indicam que o mercúrio de fontes como as usinas a carvão se acumula nos corpos das cigarras periódicas, que passam 13 ou 17 anos no subsolo. "Agora, seja isso uma preocupação ou não, eu diria que não", disse Jadin.

As pessoas já comem peixes, que são conhecidos por conter mercúrio em seus corpos, observou ela. As diretrizes federais recomendam limitar a ingestão de peixes, especialmente para mulheres grávidas. O mesmo provavelmente seria verdadeiro para as cigarras, embora não existam diretrizes oficiais.

“Não acho que a pessoa comum que quer sair e aproveitar o surgimento da cigarra comendo uma ou duas cigarras [tenha] nada com que se preocupar”, disse ela.

Sua única verdadeira preocupação são as cigarras que emergem em áreas fortemente tratadas com pesticidas e herbicidas, pois os insetos podem ter absorvido os produtos químicos em seus corpos.

"Considerando que é provável que as pessoas não festejem com cigarras, apenas comendo algumas delas, mesmo que tenham [absorvido] produtos químicos, não é pior do que comer peixes dos Grandes Lagos", disse Jadin. "Se [as pessoas] sobreviveram a isso, provavelmente sobreviverão comendo um prato cheio de cigarra."

E não, não existe um negócio genuíno no mercado de cigarras orgânicas, acrescentou ela.

A única consequência do banquete da cigarra que Kritsky conhece é o excesso de indulgência, especialmente por parte do cachorro da família ou do esquilo de quintal favorito. Os animais podem ser induzidos a devorar cigarras tão rapidamente que os insetos podem bloquear a garganta dos animais.

"Imagine como você reagiria se fosse inundado por milhares de beijos de Hershey voadores", disse Kritsky. "Você pode ficar maluco. Eu ficaria maluco. Isso é o que acontece com cachorros ou esquilos."

Comidas com moderação, a maioria dos especialistas concorda que as cigarras - como a maioria dos insetos - são uma boa fonte de proteína: aproximadamente a mesma quantidade por quilo da carne vermelha. No entanto, faltam estudos oficiais sobre a nutrição da cigarra, observou Jadin.

Então, você está pronto para experimentar uma cigarra? Os aspirantes a gourmands devem primeiro coletar os ingredientes crus. Os insetos são comidos melhor logo depois que as ninfas abrem sua pele e antes que seu exoesqueleto fique preto e duro, dizem os aficionados por cigarras.

Essas cigarras recém-eclodidas são chamadas de tenerais. Jadin disse que são mais fáceis de coletar nas primeiras horas da manhã, logo depois que os insetos emergem do solo, mas antes de rastejarem por uma árvore, onde são mais difíceis de alcançar.

Se os tenerais não estiverem disponíveis, o próximo melhor item do menu são mulheres adultas. Suas barrigas são gordas e cheias de ovos nutritivos. (Consulte também "Para a maioria das pessoas, comer insetos é apenas natural".)

Os machos adultos, entretanto, oferecem pouco para comer. Mais crocante do que mastigável, seus abdomens são ocos. (Isso permite que as melodias de flerte que eles tocam nas estruturas do corpo conhecidas como timbais ressoem.) Com cigarras cruas nas mãos, a preparação é uma questão de escolha do chef.

Kritsky disse: "A maioria das pessoas gosta deles fritos e mergulhados em um molho como mostarda quente ou molho de coquetel". Outras pessoas os fervem ou escaldam.

Jadin disse que as cigarras adquirem um sabor de "nozes" quando assadas. Ela lembra que muitas receitas de cigarras pedem muito temperos e molhos, que geralmente acabam sendo o sabor dominante.

Agora vamos ao vinho: tinto ou branco? Jadin, que poderia ser encontrado com um coquetel com infusão de cigarra na mão antes do banquete principal, não disse nada. "Acho que qualquer coisa combina bem com uma cerveja belga com alto teor alcoólico, mas essa é apenas minha opinião."

Pré-aqueça o forno a 350 ° F (177 ° C). Espalhe as cigarras em uma única camada sobre uma assadeira. Asse por aproximadamente 15-20 minutos, ou até que as cigarras comecem a dourar e estejam completamente secas.

Misture o açúcar, a canela, o sal e o leite em uma panela média. Cozinhe em fogo médio-alto por oito minutos ou até que a mistura alcance o estágio de bola macia a 236 ° F (113 ° C). Retire do fogo e junte a baunilha imediatamente.

Adicione as cigarras à calda de açúcar e mexa para revestir bem. Coloque uma colher em papel manteiga e separe imediatamente as cigarras com um garfo. Resfrie e armazene em recipientes herméticos.


Receitas de cigarras: os insetos têm baixo teor de carboidratos e alimentos sem glúten

As cigarras escaldadas, cozidas ou cristalizadas, são um lanche saudável, dizem os especialistas.

Qualquer pessoa que queira apimentar sua dieta sem glúten precisa olhar apenas para os bilhões de cigarras do tamanho de camarões e olhos redondos que emergem do solo no leste dos Estados Unidos.

"Eles definitivamente não teriam glúten. Eles não se alimentam de trigo", disse Gene Kritsky, biólogo e especialista em cigarras do College of Mount St. Joseph em Cincinnati, Ohio. Os insetos também têm alto teor de proteína, baixo teor de gordura e baixo teor de carboidratos, acrescentou. (Relacionado: "Cigarras como comida: lanche com baixo teor de gordura no verão.")

Membros do Brood II, um dos maiores grupos de cigarras periódicas, têm se arrastado do chão e atapetado árvores da Carolina do Norte a Connecticut desde o início de maio. Em julho, eles terão partido - não serão ouvidos novamente por 17 anos.

As cigarras passam a maior parte de suas vidas no subsolo sugando a seiva das raízes das árvores. A dieta à base de plantas dá a eles um sabor de aspargos verdes, especialmente quando comidos crus ou cozidos, de acordo com Kristky, que prefere seus insetos Brood II escaldados e jogados em uma salada de folhas verdes como pedaços de frango.

Bruto? Na verdade, não, disse Jenna Jadin, uma entomologista que escreveu o livro de receitas on-line Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada em 2004, quando era estudante de graduação na Universidade de Maryland em College Park.

Ela observa em seu livro que lagosta, lagosta, caranguejo e camarão fazem parte do mesmo filo biológico - artrópodes - dos insetos. “Então, colocar um grande e suculento besouro, grilo ou cigarra em sua boca está a apenas um passo de distância”, escreve Jadin. (Relacionado: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

A entomologista agora é bolsista de política de ciência e tecnologia na Associação Americana para o Avanço da Ciência em Washington, DC. Ela tem estado muito ocupada para adicionar receitas ao seu livro de receitas, mas quando questionada se ela tinha novas ideias para o surgimento do Brood II em 2013, ela sugeriu um coquetel inspirado em cigarras.

"No momento, coquetéis artesanais são um grande negócio, então um coquetel com uma cigarra caramelada seria uma boa atualização", disse ela. No dia seguinte, ela tinha a receita em mãos:

1 dose de suco de laranja fresco

Misture todos os ingredientes com gelo em uma coqueteleira e coe para um copo gelado. Enfeite com duas cigarras cristalizadas * em um palito, se desejar.

Mais ideias de Jadin incluem Maple Cicada Cupcakes inspirados em Martha Stewart - assar os insetos por 10 a 20 minutos e depois misturá-los em uma massa de cupcake com uma colher de pau - e Cicada Bahn Mi, um sanduíche de estilo vietnamita com cigarras primeiro escaldadas, depois refogado até dourar.

O livro de receitas de Jadin começa com um aviso da Universidade de Maryland, pedindo aos aspirantes a comedores de cigarras que consultem primeiro um médico porque, como acontece com todos os alimentos, certos indivíduos podem ter uma reação alérgica.

Pesquisas mais recentes indicam que o mercúrio de fontes como as usinas a carvão se acumula nos corpos das cigarras periódicas, que passam 13 ou 17 anos no subsolo. "Agora, seja isso uma preocupação ou não, eu diria que não", disse Jadin.

As pessoas já comem peixes, que são conhecidos por conter mercúrio em seus corpos, observou ela. As diretrizes federais recomendam limitar a ingestão de peixes, especialmente para mulheres grávidas. O mesmo provavelmente seria verdadeiro para as cigarras, embora não existam diretrizes oficiais.

“Não acho que a pessoa comum que quer sair e aproveitar o surgimento da cigarra comendo uma ou duas cigarras [tenha] nada com que se preocupar”, disse ela.

Sua única verdadeira preocupação são as cigarras que emergem em áreas fortemente tratadas com pesticidas e herbicidas, pois os insetos podem ter absorvido os produtos químicos em seus corpos.

"Considerando que é provável que as pessoas não festejem com cigarras, apenas comendo algumas delas, mesmo que tenham [absorvido] produtos químicos, não é pior do que comer peixes dos Grandes Lagos", disse Jadin. "Se [as pessoas] sobreviveram a isso, provavelmente sobreviverão comendo um prato cheio de cigarra."

E não, não existe um negócio genuíno no mercado de cigarras orgânicas, acrescentou ela.

A única consequência do banquete da cigarra que Kritsky conhece é o excesso de indulgência, especialmente por parte do cachorro da família ou do esquilo de quintal favorito. Os animais podem ser induzidos a devorar cigarras tão rapidamente que os insetos podem bloquear a garganta dos animais.

"Imagine como você reagiria se fosse inundado por milhares de beijos de Hershey voadores", disse Kritsky. "Você pode ficar maluco. Eu ficaria maluco. Isso é o que acontece com cachorros ou esquilos."

Comidas com moderação, a maioria dos especialistas concorda que as cigarras - como a maioria dos insetos - são uma boa fonte de proteína: aproximadamente a mesma quantidade por quilo da carne vermelha. No entanto, faltam estudos oficiais sobre a nutrição da cigarra, observou Jadin.

Então, você está pronto para experimentar uma cigarra? Os aspirantes a gourmands devem primeiro coletar os ingredientes crus. Os insetos são comidos melhor logo depois que as ninfas abrem sua pele e antes que seu exoesqueleto fique preto e duro, dizem os aficionados por cigarras.

Essas cigarras recém-eclodidas são chamadas de tenerais. Jadin disse que são mais fáceis de coletar nas primeiras horas da manhã, logo depois que os insetos emergem do solo, mas antes de subirem por uma árvore, onde são mais difíceis de alcançar.

Se os tenerais não estiverem disponíveis, o próximo melhor item do menu são mulheres adultas. Suas barrigas são gordas e cheias de ovos nutritivos. (Consulte também "Para a maioria das pessoas, comer insetos é apenas natural".)

Os machos adultos, entretanto, oferecem pouco para comer. Mais crocante do que mastigável, seus abdomens são ocos. (Isso permite que as melodias de flerte que eles tocam nas estruturas corporais conhecidas como timbais ressoem.) Com cigarras cruas nas mãos, a preparação é uma questão de escolha do chef.

Kritsky disse: "A maioria das pessoas gosta deles fritos e mergulhados em um molho como mostarda quente ou molho de coquetel". Outras pessoas os fervem ou escaldam.

Jadin disse que as cigarras adquirem um sabor de "nozes" quando assadas. Ela lembra que muitas receitas de cigarras pedem muito temperos e molhos, que geralmente acabam sendo o sabor dominante.

Agora vamos ao vinho: tinto ou branco? Jadin, que poderia ser encontrado com um coquetel com infusão de cigarra na mão antes do banquete principal, não disse nada. "Acho que qualquer coisa combina bem com uma cerveja belga com alto teor alcoólico, mas essa é apenas minha opinião."

Pré-aqueça o forno a 350 ° F (177 ° C). Espalhe as cigarras em uma única camada sobre uma assadeira. Asse por aproximadamente 15-20 minutos, ou até que as cigarras comecem a dourar e estejam completamente secas.

Misture o açúcar, a canela, o sal e o leite em uma panela média. Cozinhe em fogo médio-alto por oito minutos ou até que a mistura alcance o estágio de bola macia a 236 ° F (113 ° C). Retire do fogo e junte a baunilha imediatamente.

Adicione as cigarras à calda de açúcar e mexa para revestir bem. Coloque uma colher em papel manteiga e separe imediatamente as cigarras com um garfo. Resfrie e armazene em recipientes herméticos.


Receitas de cigarras: os insetos têm baixo teor de carboidratos e alimentos sem glúten

As cigarras escaldadas, cozidas ou cristalizadas, são um lanche saudável, dizem os especialistas.

Qualquer pessoa que queira apimentar sua dieta sem glúten precisa olhar apenas para os bilhões de cigarras do tamanho de camarões e olhos redondos que emergem do solo no leste dos Estados Unidos.

"Eles definitivamente não teriam glúten. Eles não se alimentam de trigo", disse Gene Kritsky, biólogo e especialista em cigarras do College of Mount St. Joseph em Cincinnati, Ohio. Os insetos também têm alto teor de proteína, baixo teor de gordura e baixo teor de carboidratos, acrescentou. (Relacionado: "Cigarras como comida: lanche com baixo teor de gordura no verão.")

Membros do Brood II, um dos maiores grupos de cigarras periódicas, têm se arrastado do chão e atapetado árvores da Carolina do Norte a Connecticut desde o início de maio. Em julho, eles terão partido - não serão ouvidos novamente por 17 anos.

As cigarras passam a maior parte de suas vidas no subsolo sugando a seiva das raízes das árvores. A dieta à base de plantas dá a eles um sabor de aspargos verdes, especialmente quando comidos crus ou cozidos, de acordo com Kristky, que prefere seus insetos Brood II escaldados e jogados em uma salada de folhas verdes como pedaços de frango.

Bruto? Na verdade, não, disse Jenna Jadin, uma entomologista que escreveu o livro de receitas on-line Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada em 2004, quando era estudante de graduação na Universidade de Maryland em College Park.

Ela observa em seu livro que lagosta, lagosta, caranguejo e camarão fazem parte do mesmo filo biológico - artrópodes - dos insetos. “Então, colocar um grande e suculento besouro, grilo ou cigarra em sua boca está a apenas um passo de distância”, escreve Jadin. (Relacionado: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

A entomologista agora é bolsista de política de ciência e tecnologia na Associação Americana para o Avanço da Ciência em Washington, DC. Ela tem estado muito ocupada para adicionar receitas ao seu livro de receitas, mas quando questionada se ela tinha novas ideias para o surgimento do Brood II em 2013, ela sugeriu um coquetel inspirado em cigarras.

"No momento, coquetéis artesanais são um grande negócio, então um coquetel com uma cigarra caramelada seria uma boa atualização", disse ela. No dia seguinte, ela tinha a receita em mãos:

1 dose de suco de laranja fresco

Misture todos os ingredientes com gelo em uma coqueteleira e coe para um copo gelado. Garnish with two candied cicadas* on a stick, if desired.

More of Jadin's ideas include Martha Stewart-inspired Maple Cicada Cupcakes—roast the bugs for 10 to 20 minutes, then stir them into a cupcake batter with a wooden spoon—and Cicada Bahn Mi, a Vietnamese-style sandwich with cicadas first blanched, then sautéed until brown.

Jadin's cookbook begins with a disclaimer from the University of Maryland asking would-be cicada eaters to first consult a doctor because, like with all foods, certain individuals may have an allergic reaction.

More recent research indicates that mercury from sources such as coal-fired power plants accumulates in the bodies of periodical cicadas, which spend 13 or 17 years underground. "Now, whether that is a concern or not, I would say no," Jadin said.

People already eat fish, which are known to have mercury in their bodies, she noted. Federal guidelines recommend limiting fish intake, especially for pregnant women. The same would probably hold true for cicadas, though there are no official guidelines.

"I don't think the average person who wants to go out and enjoy the cicada emergence by having a meal of cicadas or two [has] anything to worry about," she said.

Her only true concern is the cicadas that emerge in areas heavily treated with pesticides and herbicides, as the insects could have absorbed the chemicals in their bodies.

"Given that it's likely people won't be feasting on cicadas, just eating a few of them, even if they have [absorbed] chemicals, it's no worse than eating fish from the Great Lakes," Jadin said. "If [people] survived that, they'll probably survive eating a plateful of cicada."

And no, there is no bona fide business out there marketing organic cicadas, she added.

The only consequence of cicada feasting that Kritsky is aware of is overindulgence, especially on the part of the family dog or favorite backyard squirrel. The animals may be enticed to gobble cicadas so quickly that the bugs could block the animals' throats.

"Just imagine how you would react if inundated with thousands of flying Hershey's Kisses," Kritsky said. "You might go nuts. I'd go nuts. That's what happens to dogs or squirrels."

Eaten in moderation, most experts agree that cicadas—like most insects—are a good source of protein: about the same amount per pound as red meat. However, official studies on cicada nutrition are lacking, noted Jadin.

So, are you ready to try a cicada? Aspiring gourmands must first collect the raw ingredients. The insects are best eaten just after the nymphs break open their skin and before their exoskeleton turns black and hard, cicada aficionados say.

These newly hatched cicadas are called tenerals. Jadin said they are easiest to collect in the early morning hours, just after the insects emerge from the ground but before they crawl up a tree, where they are harder to reach.

If tenerals are unavailable, the next best menu item is adult females. Their bellies are fat and full of nutritious eggs. (Also see "For Most People, Eating Bugs Is Only Natural.")

Adult males, however, offer little to eat. More crunch than munch, their abdomens are hollow. (This enables the flirtatious tunes they strum on body structures known as tymbals to resonate.) With raw cicadas in hand, preparation is a matter of chef's choice.

Kritsky said, "Most people like them deep fried and dipped in a sauce like a hot mustard or cocktail sauce." Other people boil or blanch them.

Jadin said cicadas take on a "nutty" flavor when roasted. She notes that many cicada recipes call for a lot of spices and sauce, which usually winds up being the dominant flavor.

Now on to the wine: red or white? Jadin, who might be found with a cicada-infused cocktail in hand before the main feast, said neither. "I think anything pairs well with a high-alcoholic Belgian beer, but that's just my opinion."

Preheat oven to 350°F (177°C). Spread cicadas in a single layer over a baking sheet. Roast for approximately 15-20 minutes, or until the cicadas start to turn brown and are thoroughly dried out.

Stir together sugar, cinnamon, salt, and milk in a medium saucepan. Cook over medium-high heat for eight minutes, or until the mixture reaches the soft ball stage at 236°F (113°C). Remove from heat, and stir in vanilla immediately.

Add cicadas to sugar syrup, and stir to coat well. Spoon onto waxed paper, and immediately separate cicadas with a fork. Cool and store in airtight containers.


Cicada Recipes: Bugs Are Low-Carb, Gluten-Free Food

Blanched, boiled, or candied, cicadas are a healthy snack, experts say.

Anyone hoping to spice up their gluten-free diet need look only at the billions of beady-eyed, shrimp-size cicadas currently emerging from the ground in the eastern United States.

"They definitely would be gluten free . they do not feed on wheat," said Gene Kritsky, a biologist and cicada expert at the College of Mount St. Joseph in Cincinnati, Ohio. The bugs are also high in protein, low in fat, and low in carbohydrates, he added. (Related: "Cicadas as Food: Summer's Low-Fat Snack.")

Members of Brood II, one of the largest groups of periodical cicadas, have been crawling out of the ground and carpeting trees from North Carolina to Connecticut since early May. By July, they will be gone—not to be heard from again for 17 years.

Cicadas spend most of their lives underground sucking sap from tree roots. The plant-based diet gives them a green, asparagus-like flavor, especially when eaten raw or boiled, according to Kristky, who prefers his Brood II bugs blanched and tossed into a leafy green salad like chunks of chicken.

Gross? Not really, said Jenna Jadin, an entomologist who wrote the online cookbook Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada in 2004 while a graduate student at the University of Maryland in College Park.

She notes in her book that crawfish, lobster, crab, and shrimp are part of the same biological phylum—arthropods—as insects. "So popping a big juicy beetle, cricket, or cicada into your mouth is only a step away," Jadin writes. (Related: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

The entomologist is now a science and technology policy fellow at the American Association for the Advancement of Science in Washington, D.C. She's been too busy to add recipes to her cookbook, but when asked if she had new ideas for 2013 Brood II emergence, she suggested a cicada-inspired cocktail.

"Right now, craft cocktails are a big deal, so a cocktail with a candied cicada in it would be a good update," she said. The next day, she had the recipe in hand:

1 shot fresh orange juice

Shake all ingredients together with ice in a shaker and strain into a chilled glass. Garnish with two candied cicadas* on a stick, if desired.

More of Jadin's ideas include Martha Stewart-inspired Maple Cicada Cupcakes—roast the bugs for 10 to 20 minutes, then stir them into a cupcake batter with a wooden spoon—and Cicada Bahn Mi, a Vietnamese-style sandwich with cicadas first blanched, then sautéed until brown.

Jadin's cookbook begins with a disclaimer from the University of Maryland asking would-be cicada eaters to first consult a doctor because, like with all foods, certain individuals may have an allergic reaction.

More recent research indicates that mercury from sources such as coal-fired power plants accumulates in the bodies of periodical cicadas, which spend 13 or 17 years underground. "Now, whether that is a concern or not, I would say no," Jadin said.

People already eat fish, which are known to have mercury in their bodies, she noted. Federal guidelines recommend limiting fish intake, especially for pregnant women. The same would probably hold true for cicadas, though there are no official guidelines.

"I don't think the average person who wants to go out and enjoy the cicada emergence by having a meal of cicadas or two [has] anything to worry about," she said.

Her only true concern is the cicadas that emerge in areas heavily treated with pesticides and herbicides, as the insects could have absorbed the chemicals in their bodies.

"Given that it's likely people won't be feasting on cicadas, just eating a few of them, even if they have [absorbed] chemicals, it's no worse than eating fish from the Great Lakes," Jadin said. "If [people] survived that, they'll probably survive eating a plateful of cicada."

And no, there is no bona fide business out there marketing organic cicadas, she added.

The only consequence of cicada feasting that Kritsky is aware of is overindulgence, especially on the part of the family dog or favorite backyard squirrel. The animals may be enticed to gobble cicadas so quickly that the bugs could block the animals' throats.

"Just imagine how you would react if inundated with thousands of flying Hershey's Kisses," Kritsky said. "You might go nuts. I'd go nuts. That's what happens to dogs or squirrels."

Eaten in moderation, most experts agree that cicadas—like most insects—are a good source of protein: about the same amount per pound as red meat. However, official studies on cicada nutrition are lacking, noted Jadin.

So, are you ready to try a cicada? Aspiring gourmands must first collect the raw ingredients. The insects are best eaten just after the nymphs break open their skin and before their exoskeleton turns black and hard, cicada aficionados say.

These newly hatched cicadas are called tenerals. Jadin said they are easiest to collect in the early morning hours, just after the insects emerge from the ground but before they crawl up a tree, where they are harder to reach.

If tenerals are unavailable, the next best menu item is adult females. Their bellies are fat and full of nutritious eggs. (Also see "For Most People, Eating Bugs Is Only Natural.")

Adult males, however, offer little to eat. More crunch than munch, their abdomens are hollow. (This enables the flirtatious tunes they strum on body structures known as tymbals to resonate.) With raw cicadas in hand, preparation is a matter of chef's choice.

Kritsky said, "Most people like them deep fried and dipped in a sauce like a hot mustard or cocktail sauce." Other people boil or blanch them.

Jadin said cicadas take on a "nutty" flavor when roasted. She notes that many cicada recipes call for a lot of spices and sauce, which usually winds up being the dominant flavor.

Now on to the wine: red or white? Jadin, who might be found with a cicada-infused cocktail in hand before the main feast, said neither. "I think anything pairs well with a high-alcoholic Belgian beer, but that's just my opinion."

Preheat oven to 350°F (177°C). Spread cicadas in a single layer over a baking sheet. Roast for approximately 15-20 minutes, or until the cicadas start to turn brown and are thoroughly dried out.

Stir together sugar, cinnamon, salt, and milk in a medium saucepan. Cook over medium-high heat for eight minutes, or until the mixture reaches the soft ball stage at 236°F (113°C). Remove from heat, and stir in vanilla immediately.

Add cicadas to sugar syrup, and stir to coat well. Spoon onto waxed paper, and immediately separate cicadas with a fork. Cool and store in airtight containers.


Cicada Recipes: Bugs Are Low-Carb, Gluten-Free Food

Blanched, boiled, or candied, cicadas are a healthy snack, experts say.

Anyone hoping to spice up their gluten-free diet need look only at the billions of beady-eyed, shrimp-size cicadas currently emerging from the ground in the eastern United States.

"They definitely would be gluten free . they do not feed on wheat," said Gene Kritsky, a biologist and cicada expert at the College of Mount St. Joseph in Cincinnati, Ohio. The bugs are also high in protein, low in fat, and low in carbohydrates, he added. (Related: "Cicadas as Food: Summer's Low-Fat Snack.")

Members of Brood II, one of the largest groups of periodical cicadas, have been crawling out of the ground and carpeting trees from North Carolina to Connecticut since early May. By July, they will be gone—not to be heard from again for 17 years.

Cicadas spend most of their lives underground sucking sap from tree roots. The plant-based diet gives them a green, asparagus-like flavor, especially when eaten raw or boiled, according to Kristky, who prefers his Brood II bugs blanched and tossed into a leafy green salad like chunks of chicken.

Gross? Not really, said Jenna Jadin, an entomologist who wrote the online cookbook Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada in 2004 while a graduate student at the University of Maryland in College Park.

She notes in her book that crawfish, lobster, crab, and shrimp are part of the same biological phylum—arthropods—as insects. "So popping a big juicy beetle, cricket, or cicada into your mouth is only a step away," Jadin writes. (Related: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

The entomologist is now a science and technology policy fellow at the American Association for the Advancement of Science in Washington, D.C. She's been too busy to add recipes to her cookbook, but when asked if she had new ideas for 2013 Brood II emergence, she suggested a cicada-inspired cocktail.

"Right now, craft cocktails are a big deal, so a cocktail with a candied cicada in it would be a good update," she said. The next day, she had the recipe in hand:

1 shot fresh orange juice

Shake all ingredients together with ice in a shaker and strain into a chilled glass. Garnish with two candied cicadas* on a stick, if desired.

More of Jadin's ideas include Martha Stewart-inspired Maple Cicada Cupcakes—roast the bugs for 10 to 20 minutes, then stir them into a cupcake batter with a wooden spoon—and Cicada Bahn Mi, a Vietnamese-style sandwich with cicadas first blanched, then sautéed until brown.

Jadin's cookbook begins with a disclaimer from the University of Maryland asking would-be cicada eaters to first consult a doctor because, like with all foods, certain individuals may have an allergic reaction.

More recent research indicates that mercury from sources such as coal-fired power plants accumulates in the bodies of periodical cicadas, which spend 13 or 17 years underground. "Now, whether that is a concern or not, I would say no," Jadin said.

People already eat fish, which are known to have mercury in their bodies, she noted. Federal guidelines recommend limiting fish intake, especially for pregnant women. The same would probably hold true for cicadas, though there are no official guidelines.

"I don't think the average person who wants to go out and enjoy the cicada emergence by having a meal of cicadas or two [has] anything to worry about," she said.

Her only true concern is the cicadas that emerge in areas heavily treated with pesticides and herbicides, as the insects could have absorbed the chemicals in their bodies.

"Given that it's likely people won't be feasting on cicadas, just eating a few of them, even if they have [absorbed] chemicals, it's no worse than eating fish from the Great Lakes," Jadin said. "If [people] survived that, they'll probably survive eating a plateful of cicada."

And no, there is no bona fide business out there marketing organic cicadas, she added.

The only consequence of cicada feasting that Kritsky is aware of is overindulgence, especially on the part of the family dog or favorite backyard squirrel. The animals may be enticed to gobble cicadas so quickly that the bugs could block the animals' throats.

"Just imagine how you would react if inundated with thousands of flying Hershey's Kisses," Kritsky said. "You might go nuts. I'd go nuts. That's what happens to dogs or squirrels."

Eaten in moderation, most experts agree that cicadas—like most insects—are a good source of protein: about the same amount per pound as red meat. However, official studies on cicada nutrition are lacking, noted Jadin.

So, are you ready to try a cicada? Aspiring gourmands must first collect the raw ingredients. The insects are best eaten just after the nymphs break open their skin and before their exoskeleton turns black and hard, cicada aficionados say.

These newly hatched cicadas are called tenerals. Jadin said they are easiest to collect in the early morning hours, just after the insects emerge from the ground but before they crawl up a tree, where they are harder to reach.

If tenerals are unavailable, the next best menu item is adult females. Their bellies are fat and full of nutritious eggs. (Also see "For Most People, Eating Bugs Is Only Natural.")

Adult males, however, offer little to eat. More crunch than munch, their abdomens are hollow. (This enables the flirtatious tunes they strum on body structures known as tymbals to resonate.) With raw cicadas in hand, preparation is a matter of chef's choice.

Kritsky said, "Most people like them deep fried and dipped in a sauce like a hot mustard or cocktail sauce." Other people boil or blanch them.

Jadin said cicadas take on a "nutty" flavor when roasted. She notes that many cicada recipes call for a lot of spices and sauce, which usually winds up being the dominant flavor.

Now on to the wine: red or white? Jadin, who might be found with a cicada-infused cocktail in hand before the main feast, said neither. "I think anything pairs well with a high-alcoholic Belgian beer, but that's just my opinion."

Preheat oven to 350°F (177°C). Spread cicadas in a single layer over a baking sheet. Roast for approximately 15-20 minutes, or until the cicadas start to turn brown and are thoroughly dried out.

Stir together sugar, cinnamon, salt, and milk in a medium saucepan. Cook over medium-high heat for eight minutes, or until the mixture reaches the soft ball stage at 236°F (113°C). Remove from heat, and stir in vanilla immediately.

Add cicadas to sugar syrup, and stir to coat well. Spoon onto waxed paper, and immediately separate cicadas with a fork. Cool and store in airtight containers.


Cicada Recipes: Bugs Are Low-Carb, Gluten-Free Food

Blanched, boiled, or candied, cicadas are a healthy snack, experts say.

Anyone hoping to spice up their gluten-free diet need look only at the billions of beady-eyed, shrimp-size cicadas currently emerging from the ground in the eastern United States.

"They definitely would be gluten free . they do not feed on wheat," said Gene Kritsky, a biologist and cicada expert at the College of Mount St. Joseph in Cincinnati, Ohio. The bugs are also high in protein, low in fat, and low in carbohydrates, he added. (Related: "Cicadas as Food: Summer's Low-Fat Snack.")

Members of Brood II, one of the largest groups of periodical cicadas, have been crawling out of the ground and carpeting trees from North Carolina to Connecticut since early May. By July, they will be gone—not to be heard from again for 17 years.

Cicadas spend most of their lives underground sucking sap from tree roots. The plant-based diet gives them a green, asparagus-like flavor, especially when eaten raw or boiled, according to Kristky, who prefers his Brood II bugs blanched and tossed into a leafy green salad like chunks of chicken.

Gross? Not really, said Jenna Jadin, an entomologist who wrote the online cookbook Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada in 2004 while a graduate student at the University of Maryland in College Park.

She notes in her book that crawfish, lobster, crab, and shrimp are part of the same biological phylum—arthropods—as insects. "So popping a big juicy beetle, cricket, or cicada into your mouth is only a step away," Jadin writes. (Related: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

The entomologist is now a science and technology policy fellow at the American Association for the Advancement of Science in Washington, D.C. She's been too busy to add recipes to her cookbook, but when asked if she had new ideas for 2013 Brood II emergence, she suggested a cicada-inspired cocktail.

"Right now, craft cocktails are a big deal, so a cocktail with a candied cicada in it would be a good update," she said. The next day, she had the recipe in hand:

1 shot fresh orange juice

Shake all ingredients together with ice in a shaker and strain into a chilled glass. Garnish with two candied cicadas* on a stick, if desired.

More of Jadin's ideas include Martha Stewart-inspired Maple Cicada Cupcakes—roast the bugs for 10 to 20 minutes, then stir them into a cupcake batter with a wooden spoon—and Cicada Bahn Mi, a Vietnamese-style sandwich with cicadas first blanched, then sautéed until brown.

Jadin's cookbook begins with a disclaimer from the University of Maryland asking would-be cicada eaters to first consult a doctor because, like with all foods, certain individuals may have an allergic reaction.

More recent research indicates that mercury from sources such as coal-fired power plants accumulates in the bodies of periodical cicadas, which spend 13 or 17 years underground. "Now, whether that is a concern or not, I would say no," Jadin said.

People already eat fish, which are known to have mercury in their bodies, she noted. Federal guidelines recommend limiting fish intake, especially for pregnant women. The same would probably hold true for cicadas, though there are no official guidelines.

"I don't think the average person who wants to go out and enjoy the cicada emergence by having a meal of cicadas or two [has] anything to worry about," she said.

Her only true concern is the cicadas that emerge in areas heavily treated with pesticides and herbicides, as the insects could have absorbed the chemicals in their bodies.

"Given that it's likely people won't be feasting on cicadas, just eating a few of them, even if they have [absorbed] chemicals, it's no worse than eating fish from the Great Lakes," Jadin said. "If [people] survived that, they'll probably survive eating a plateful of cicada."

And no, there is no bona fide business out there marketing organic cicadas, she added.

The only consequence of cicada feasting that Kritsky is aware of is overindulgence, especially on the part of the family dog or favorite backyard squirrel. The animals may be enticed to gobble cicadas so quickly that the bugs could block the animals' throats.

"Just imagine how you would react if inundated with thousands of flying Hershey's Kisses," Kritsky said. "You might go nuts. I'd go nuts. That's what happens to dogs or squirrels."

Eaten in moderation, most experts agree that cicadas—like most insects—are a good source of protein: about the same amount per pound as red meat. However, official studies on cicada nutrition are lacking, noted Jadin.

So, are you ready to try a cicada? Aspiring gourmands must first collect the raw ingredients. The insects are best eaten just after the nymphs break open their skin and before their exoskeleton turns black and hard, cicada aficionados say.

These newly hatched cicadas are called tenerals. Jadin said they are easiest to collect in the early morning hours, just after the insects emerge from the ground but before they crawl up a tree, where they are harder to reach.

If tenerals are unavailable, the next best menu item is adult females. Their bellies are fat and full of nutritious eggs. (Also see "For Most People, Eating Bugs Is Only Natural.")

Adult males, however, offer little to eat. More crunch than munch, their abdomens are hollow. (This enables the flirtatious tunes they strum on body structures known as tymbals to resonate.) With raw cicadas in hand, preparation is a matter of chef's choice.

Kritsky said, "Most people like them deep fried and dipped in a sauce like a hot mustard or cocktail sauce." Other people boil or blanch them.

Jadin said cicadas take on a "nutty" flavor when roasted. She notes that many cicada recipes call for a lot of spices and sauce, which usually winds up being the dominant flavor.

Now on to the wine: red or white? Jadin, who might be found with a cicada-infused cocktail in hand before the main feast, said neither. "I think anything pairs well with a high-alcoholic Belgian beer, but that's just my opinion."

Preheat oven to 350°F (177°C). Spread cicadas in a single layer over a baking sheet. Roast for approximately 15-20 minutes, or until the cicadas start to turn brown and are thoroughly dried out.

Stir together sugar, cinnamon, salt, and milk in a medium saucepan. Cook over medium-high heat for eight minutes, or until the mixture reaches the soft ball stage at 236°F (113°C). Remove from heat, and stir in vanilla immediately.

Add cicadas to sugar syrup, and stir to coat well. Spoon onto waxed paper, and immediately separate cicadas with a fork. Cool and store in airtight containers.


Cicada Recipes: Bugs Are Low-Carb, Gluten-Free Food

Blanched, boiled, or candied, cicadas are a healthy snack, experts say.

Anyone hoping to spice up their gluten-free diet need look only at the billions of beady-eyed, shrimp-size cicadas currently emerging from the ground in the eastern United States.

"They definitely would be gluten free . they do not feed on wheat," said Gene Kritsky, a biologist and cicada expert at the College of Mount St. Joseph in Cincinnati, Ohio. The bugs are also high in protein, low in fat, and low in carbohydrates, he added. (Related: "Cicadas as Food: Summer's Low-Fat Snack.")

Members of Brood II, one of the largest groups of periodical cicadas, have been crawling out of the ground and carpeting trees from North Carolina to Connecticut since early May. By July, they will be gone—not to be heard from again for 17 years.

Cicadas spend most of their lives underground sucking sap from tree roots. The plant-based diet gives them a green, asparagus-like flavor, especially when eaten raw or boiled, according to Kristky, who prefers his Brood II bugs blanched and tossed into a leafy green salad like chunks of chicken.

Gross? Not really, said Jenna Jadin, an entomologist who wrote the online cookbook Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada in 2004 while a graduate student at the University of Maryland in College Park.

She notes in her book that crawfish, lobster, crab, and shrimp are part of the same biological phylum—arthropods—as insects. "So popping a big juicy beetle, cricket, or cicada into your mouth is only a step away," Jadin writes. (Related: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

The entomologist is now a science and technology policy fellow at the American Association for the Advancement of Science in Washington, D.C. She's been too busy to add recipes to her cookbook, but when asked if she had new ideas for 2013 Brood II emergence, she suggested a cicada-inspired cocktail.

"Right now, craft cocktails are a big deal, so a cocktail with a candied cicada in it would be a good update," she said. The next day, she had the recipe in hand:

1 shot fresh orange juice

Shake all ingredients together with ice in a shaker and strain into a chilled glass. Garnish with two candied cicadas* on a stick, if desired.

More of Jadin's ideas include Martha Stewart-inspired Maple Cicada Cupcakes—roast the bugs for 10 to 20 minutes, then stir them into a cupcake batter with a wooden spoon—and Cicada Bahn Mi, a Vietnamese-style sandwich with cicadas first blanched, then sautéed until brown.

Jadin's cookbook begins with a disclaimer from the University of Maryland asking would-be cicada eaters to first consult a doctor because, like with all foods, certain individuals may have an allergic reaction.

More recent research indicates that mercury from sources such as coal-fired power plants accumulates in the bodies of periodical cicadas, which spend 13 or 17 years underground. "Now, whether that is a concern or not, I would say no," Jadin said.

People already eat fish, which are known to have mercury in their bodies, she noted. Federal guidelines recommend limiting fish intake, especially for pregnant women. The same would probably hold true for cicadas, though there are no official guidelines.

"I don't think the average person who wants to go out and enjoy the cicada emergence by having a meal of cicadas or two [has] anything to worry about," she said.

Her only true concern is the cicadas that emerge in areas heavily treated with pesticides and herbicides, as the insects could have absorbed the chemicals in their bodies.

"Given that it's likely people won't be feasting on cicadas, just eating a few of them, even if they have [absorbed] chemicals, it's no worse than eating fish from the Great Lakes," Jadin said. "If [people] survived that, they'll probably survive eating a plateful of cicada."

And no, there is no bona fide business out there marketing organic cicadas, she added.

The only consequence of cicada feasting that Kritsky is aware of is overindulgence, especially on the part of the family dog or favorite backyard squirrel. The animals may be enticed to gobble cicadas so quickly that the bugs could block the animals' throats.

"Just imagine how you would react if inundated with thousands of flying Hershey's Kisses," Kritsky said. "You might go nuts. I'd go nuts. That's what happens to dogs or squirrels."

Eaten in moderation, most experts agree that cicadas—like most insects—are a good source of protein: about the same amount per pound as red meat. However, official studies on cicada nutrition are lacking, noted Jadin.

So, are you ready to try a cicada? Aspiring gourmands must first collect the raw ingredients. The insects are best eaten just after the nymphs break open their skin and before their exoskeleton turns black and hard, cicada aficionados say.

These newly hatched cicadas are called tenerals. Jadin said they are easiest to collect in the early morning hours, just after the insects emerge from the ground but before they crawl up a tree, where they are harder to reach.

If tenerals are unavailable, the next best menu item is adult females. Their bellies are fat and full of nutritious eggs. (Also see "For Most People, Eating Bugs Is Only Natural.")

Adult males, however, offer little to eat. More crunch than munch, their abdomens are hollow. (This enables the flirtatious tunes they strum on body structures known as tymbals to resonate.) With raw cicadas in hand, preparation is a matter of chef's choice.

Kritsky said, "Most people like them deep fried and dipped in a sauce like a hot mustard or cocktail sauce." Other people boil or blanch them.

Jadin said cicadas take on a "nutty" flavor when roasted. She notes that many cicada recipes call for a lot of spices and sauce, which usually winds up being the dominant flavor.

Now on to the wine: red or white? Jadin, who might be found with a cicada-infused cocktail in hand before the main feast, said neither. "I think anything pairs well with a high-alcoholic Belgian beer, but that's just my opinion."

Preheat oven to 350°F (177°C). Spread cicadas in a single layer over a baking sheet. Roast for approximately 15-20 minutes, or until the cicadas start to turn brown and are thoroughly dried out.

Stir together sugar, cinnamon, salt, and milk in a medium saucepan. Cook over medium-high heat for eight minutes, or until the mixture reaches the soft ball stage at 236°F (113°C). Remove from heat, and stir in vanilla immediately.

Add cicadas to sugar syrup, and stir to coat well. Spoon onto waxed paper, and immediately separate cicadas with a fork. Cool and store in airtight containers.


Cicada Recipes: Bugs Are Low-Carb, Gluten-Free Food

Blanched, boiled, or candied, cicadas are a healthy snack, experts say.

Anyone hoping to spice up their gluten-free diet need look only at the billions of beady-eyed, shrimp-size cicadas currently emerging from the ground in the eastern United States.

"They definitely would be gluten free . they do not feed on wheat," said Gene Kritsky, a biologist and cicada expert at the College of Mount St. Joseph in Cincinnati, Ohio. The bugs are also high in protein, low in fat, and low in carbohydrates, he added. (Related: "Cicadas as Food: Summer's Low-Fat Snack.")

Members of Brood II, one of the largest groups of periodical cicadas, have been crawling out of the ground and carpeting trees from North Carolina to Connecticut since early May. By July, they will be gone—not to be heard from again for 17 years.

Cicadas spend most of their lives underground sucking sap from tree roots. The plant-based diet gives them a green, asparagus-like flavor, especially when eaten raw or boiled, according to Kristky, who prefers his Brood II bugs blanched and tossed into a leafy green salad like chunks of chicken.

Gross? Not really, said Jenna Jadin, an entomologist who wrote the online cookbook Cicada-Licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicada in 2004 while a graduate student at the University of Maryland in College Park.

She notes in her book that crawfish, lobster, crab, and shrimp are part of the same biological phylum—arthropods—as insects. "So popping a big juicy beetle, cricket, or cicada into your mouth is only a step away," Jadin writes. (Related: "U.N. Urges Eating Insects 8 Popular Bugs to Try.")

The entomologist is now a science and technology policy fellow at the American Association for the Advancement of Science in Washington, D.C. She's been too busy to add recipes to her cookbook, but when asked if she had new ideas for 2013 Brood II emergence, she suggested a cicada-inspired cocktail.

"Right now, craft cocktails are a big deal, so a cocktail with a candied cicada in it would be a good update," she said. The next day, she had the recipe in hand:

1 shot fresh orange juice

Shake all ingredients together with ice in a shaker and strain into a chilled glass. Garnish with two candied cicadas* on a stick, if desired.

More of Jadin's ideas include Martha Stewart-inspired Maple Cicada Cupcakes—roast the bugs for 10 to 20 minutes, then stir them into a cupcake batter with a wooden spoon—and Cicada Bahn Mi, a Vietnamese-style sandwich with cicadas first blanched, then sautéed until brown.

Jadin's cookbook begins with a disclaimer from the University of Maryland asking would-be cicada eaters to first consult a doctor because, like with all foods, certain individuals may have an allergic reaction.

More recent research indicates that mercury from sources such as coal-fired power plants accumulates in the bodies of periodical cicadas, which spend 13 or 17 years underground. "Now, whether that is a concern or not, I would say no," Jadin said.

People already eat fish, which are known to have mercury in their bodies, she noted. Federal guidelines recommend limiting fish intake, especially for pregnant women. The same would probably hold true for cicadas, though there are no official guidelines.

"I don't think the average person who wants to go out and enjoy the cicada emergence by having a meal of cicadas or two [has] anything to worry about," she said.

Her only true concern is the cicadas that emerge in areas heavily treated with pesticides and herbicides, as the insects could have absorbed the chemicals in their bodies.

"Given that it's likely people won't be feasting on cicadas, just eating a few of them, even if they have [absorbed] chemicals, it's no worse than eating fish from the Great Lakes," Jadin said. "If [people] survived that, they'll probably survive eating a plateful of cicada."

And no, there is no bona fide business out there marketing organic cicadas, she added.

The only consequence of cicada feasting that Kritsky is aware of is overindulgence, especially on the part of the family dog or favorite backyard squirrel. The animals may be enticed to gobble cicadas so quickly that the bugs could block the animals' throats.

"Just imagine how you would react if inundated with thousands of flying Hershey's Kisses," Kritsky said. "You might go nuts. I'd go nuts. That's what happens to dogs or squirrels."

Eaten in moderation, most experts agree that cicadas—like most insects—are a good source of protein: about the same amount per pound as red meat. However, official studies on cicada nutrition are lacking, noted Jadin.

So, are you ready to try a cicada? Aspiring gourmands must first collect the raw ingredients. The insects are best eaten just after the nymphs break open their skin and before their exoskeleton turns black and hard, cicada aficionados say.

These newly hatched cicadas are called tenerals. Jadin said they are easiest to collect in the early morning hours, just after the insects emerge from the ground but before they crawl up a tree, where they are harder to reach.

If tenerals are unavailable, the next best menu item is adult females. Their bellies are fat and full of nutritious eggs. (Also see "For Most People, Eating Bugs Is Only Natural.")

Adult males, however, offer little to eat. More crunch than munch, their abdomens are hollow. (This enables the flirtatious tunes they strum on body structures known as tymbals to resonate.) With raw cicadas in hand, preparation is a matter of chef's choice.

Kritsky said, "Most people like them deep fried and dipped in a sauce like a hot mustard or cocktail sauce." Other people boil or blanch them.

Jadin said cicadas take on a "nutty" flavor when roasted. She notes that many cicada recipes call for a lot of spices and sauce, which usually winds up being the dominant flavor.

Now on to the wine: red or white? Jadin, who might be found with a cicada-infused cocktail in hand before the main feast, said neither. "I think anything pairs well with a high-alcoholic Belgian beer, but that's just my opinion."

Preheat oven to 350°F (177°C). Spread cicadas in a single layer over a baking sheet. Roast for approximately 15-20 minutes, or until the cicadas start to turn brown and are thoroughly dried out.

Stir together sugar, cinnamon, salt, and milk in a medium saucepan. Cook over medium-high heat for eight minutes, or until the mixture reaches the soft ball stage at 236°F (113°C). Remove from heat, and stir in vanilla immediately.

Add cicadas to sugar syrup, and stir to coat well. Spoon onto waxed paper, and immediately separate cicadas with a fork. Cool and store in airtight containers.