Novas receitas

5 sabores de Portland, Oregon

5 sabores de Portland, Oregon



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Esta cidade tem uma das cenas de comidas e bebidas mais criativas do país

Escolha entre muitos restaurantes e pratos em Portland, de asas a bourguignon de bochecha.

Como parte do noroeste do Pacífico, Portland, Oregon, é conhecida por ter belas paisagens, bem como muitos descolados, amantes de bicicleta e homens com bigodes ou barbas. Embora Portland possa abraçar seus estereótipos muito bem, ela também faz algumas das comidas e bebidas mais interessantes e inovadoras do país.

Clique aqui para ver a apresentação de slides dos 5 sabores de Portland!

Se você estiver visitando Portland, prepare-se para comer. Com opções que vão desde alguns dos melhores sanduíches e cortes de açougue / restaurante Mercado Laurelhurst para locais da moda, como Pok Pok aos exóticos brunches do Oriente Médio, os moradores de Portland são um bando faminto e maravilhosamente não convencional.

Você poderia facilmente passar meses comendo do seu jeito por esta cidade. A maioria de nós (infelizmente) não tem meses para apenas passar comendo, no entanto. Para sua próxima viagem a Portland, então, reunimos cinco petiscos que acreditamos que você ficará mais do que satisfeito em experimentar durante sua visita. Se você seguir este guia, comerá bem em Portland e seu paladar agradecerá.

Clique no slideshow para ver mais!


LIC-5.07 - Sobretaxa de Energia Limpa (CES) - Penalidades e Juros

Portland City Code (PCC) 7.02.500 (F) (4), intitulado & ldquoData efetiva e penalidades & rdquo, impõe penalidades e juros sobre grandes varejistas que apresentarem atrasos ou pagarem a menos no CES. O PCC 7.02.700 e o PCC 7.02.710 impõem penalidades e juros sobre as entidades empresariais que apresentarem atrasos ou pagarem a menos sua responsabilidade pelo Imposto de Licença de Negócios (BLT) e são diretamente referenciados no PCC 7.02.500 (F) (4) para calcular multas e juros para CES. O BLT e o CES são analisados ​​separadamente ao determinar o valor das multas e juros devidos.

De acordo com o PCC 7.02.500 (F) (4), nenhum pagamento a menor de juros por falha em fazer pagamentos estimados trimestrais para a CES será cobrado ou imposto para o ano fiscal de 2019. Todas as outras penalidades e juros sob o PCC 7.02.700 e PCC 7.02.710 serão impostos para todos os anos fiscais da CES.

O Grande Varejista A paga sua obrigação de BLT um ano após a promulgação da CES e está sujeito a multas e juros sobre o BLT. Se o Grande Varejista A não pagar abaixo de sua obrigação de CES, não estará sujeito a penalidades e juros sobre o valor de CES.

O Grande Varejista B paga sua obrigação de CES e está sujeito às multas e juros da CES, mas paga sua obrigação de BLT integralmente. O Grande Varejista B está sujeito às multas e juros da CES, mas não está sujeito às multas e juros do BLT.

O grande varejista C paga suas obrigações com a CES e BLT. O Grande Varejista C está sujeito às multas e juros da CES e às multas e juros da BLT, cada uma calculada de forma independente.

O grande varejista D paga a mais de seu BLT em $ 500.000 e a menos de sua CES em $ 500.000. O grande varejista D está sujeito às multas e juros da CES.


Fim de semana TCM: vivendo bem em Portland, Oregon

portland não pode ser limitada a uma única cena, mas esta cidade de retalhos está rapidamente se transformando em um destino idílico para os preocupados com a saúde. Existem muitas joias aprovadas pelo TCM para descobrir nos vários bairros e mais bondade natural para se apaixonar fora dos limites da cidade, onde a natureza reina. É apenas uma questão de tempo antes que essa cena de bem-estar fervilhante aumente rapidamente.

Com os bilhetes só de ida de Los Angeles chegando a US $ 35, é fácil aparecer em Portland para um fim de semana explorando & # 8211 e é altamente recomendável que você faça. Portland é um lugar que está implorando para ser absorvido, percorrido e escolhido pedaço por pedaço para pousar nos pequenos tesouros não comercializados que o tornam tão maravilhosamente peculiares e a vida lá tão excepcionalmente bem. Seja qual for o seu sabor de bem-estar, verifique abaixo alguns dos nossos locais mais amados & # 8230

Onde ficar

The Ace Hotel | O posto avançado de Portland desta franquia de hotel boutique é uma mistura perfeita de tendência cosmopolita e do noroeste do Pacífico. Decorado com metais reciclados, móveis antigos e arte de artistas locais, é o espaço aconchegante e fresco perfeito para ficar. SABER MAIS

Os noves | O The Nines oferece um contraste delicioso entre o charme folclórico difundido de Portland e # 8216 com o clássico & # 8216big hotel urbano & # 8217 de luxo. O restaurante e bar de fusão asiática na cobertura, o Departure, tem menus veganos e sem glúten, além do normal, mesmo que você não vá ficar lá, certifique-se de aparecer para um coquetel, petiscos e uma vista incrível do cidade. SABER MAIS

Airbnb | A melhor maneira de sentir o gostinho de Portland & # 8217s, bem, Portland-ness, é pegar o Airbnb. Há uma abundância de apartamentos bonitos e moradias geminadas, mas para uma experiência ainda mais única, considere alugar uma casa minúscula ou estabelecer-se em uma yurt em uma fazenda urbana para uma experiência glamping como nenhuma outra.

Onde comprar

Eco Beleza Natural | Esta vitrine arejada do Pearl District tem uma das melhores coleções de produtos de beleza natural em Portland, apresentando todos os favoritos do TCM, bem como um menu completo de serviços de beleza que os utilizam. Dia chuvoso atrapalhando seus planos? Entre no Echo para um tratamento facial personalizado, uma sessão de adoçante ou um cuidado de pele com brilho total May Lindstorm experiência. SABER MAIS

Union Way | Em frente à famosa livraria Powells está a elegante galeria comercial Union Way, forrada com madeira clara e um punhado de lojas como Steven Alen e Spruce Apothecary. É pequeno, mas definitivamente vale a pena um passeio, mesmo que apenas a caminho de outras boutiques bonitas espalhadas pelo bairro.

Menagerie + Work / Shop | Menagerie não é uma loja de beleza natural comum. Alojado em um fluxo de ar vintage, esta mini-loja chique pode ser encontrada entre um bando de carrinhos de comida (uma experiência gastronômica uber-clássica em Portland). A loja irmã Menagerie & # 8217s, Work / Shop, é uma loja física de lembranças botânicas e um espaço criativo coletivo, com curadoria e design com o mesmo bom gosto. Como o nome indica, eles também oferecem workshops legais e engenhosos que amamos.

Onde tomar um gole

Kiva Tea Spa | Há uma abundância de locais de chá incríveis em Portland que vale a pena conferir, mas este se destaca pela experiência única que você pode obter lá: pare para tomar uma xícara de algo relaxante e beba enquanto recebe uma massagem em seu & # 8220foot santuário & # 8221. SABER MAIS

Prasad | Ligado ao Yoga Pearl, este café à base de plantas oferece um extenso menu de smoothies que apresenta todos os suplementos de bem-estar que amamos. Se você está procurando algo para fazer um lanche, peça um prato de waffles de baunilha vegana ou uma tigela de verduras e grãos cozidos no vapor. SABER MAIS

Vinhos Naturais Ardor | Este local fofo é o lugar perfeito para se aconchegar quando o clima está acontecendo & # 8211 que é frequente. Sua seleção de vinhos naturais de origem global e menu rotativo de pequenos petiscos sazonais é tudo o que queremos em um dia chuvoso. SABER MAIS

Onde comer

Farm Spirit | Uma mudança notável no cenário gastronômico de Portland é a mudança de crocantes vegans para experiências gastronômicas mais sofisticadas. O Farm Spirit otimiza isso com seu belo menu de degustação de 12 pratos, aclamado por ultrapassar os limites de quão criativa e luxuosa a comida vegana pode ser. Os lugares são muito limitados, por isso certifique-se de reservar um com antecedência. SABER MAIS

Tusk | Este novo restaurante do Oriente Médio foi apelidado de o & # 8220mais belo bar de saladas de Portland & # 8221. Ironicamente, a salada é a coisa menos notável em seu menu inspirado de pães achatados, espetos, pratos vegetarianos e belos coquetéis artesanais. Pare para comer e fique por aqui para conferir o interior lindamente projetado. SABER MAIS

Sushi de bambu | Bamboo é o primeiro restaurante de sushi sustentável certificado no mundo. Tudo, desde os peixes que eles servem até seus recipientes biodegradáveis ​​para viagem e o programa de compostagem, está alinhado com a intenção de deixar a menor pegada ecológica possível. SABER MAIS

O que fazer

Vá para fora | Uma das melhores partes de Portland é o cenário natural deslumbrante que cerca a cidade e tecido por ela. Uma curta viagem de carro leva você a locais incríveis para caminhadas, ciclismo e ver cachoeiras de tirar o fôlego. Se você não quiser se aventurar muito longe (ou se tornar muito ativo), basta escolher um bairro e caminhar por aí & # 8211 que há muito para explorar!

Livros de Powell & # 8217s | Este clássico de Portland é do tamanho de uma cidade pequena (ou pelo menos é o que parece). Ele se estende por um quarteirão inteiro e contém todos os livros que você poderia querer ler. É imperdível. SABER MAIS

Mercado de sábado de Portland | Experimente a esquisitice maravilhosa e característica de Portland, sem se perder muito nela, neste mercado semanal onde os fabricantes locais vêm para mostrar seus artesanatos. Você encontrará arte, comida e algumas pessoas épicas assistindo. Fica a apenas uma curta caminhada de um popular mercado de fazendeiros semanais, se você gosta mais de comer com os olhos.

Jardim Japonês | O belo nem sequer começa a cobri-lo. Os jardins perfeitamente cuidados são um lugar de sonho para se perder ou se inspirar & # 8211 talvez ambos. SABER MAIS

Quais são suas principais opções para um fim de semana em Portland? Deixe-nos saber nos comentários abaixo!


Cinco chefs de Portland sobre as receitas que aprenderam a cozinhar com suas mães e avós

F orget tendências alimentares. Às vezes, os pratos que realmente acalmam a alma são receitas comprovadas pelas pessoas que nos deram nossas primeiras mordidas e nos ensinaram a cozinhar: nossas famílias. Esses chefs homenageiam seus entes queridos - especialmente mães e avós - por meio de seus menus, compartilhando esses pratos reconfortantes para que todos em Portland possam desfrutar.

Thuy Pham da Mama Dút Foods

O chefe: Thuy Pham / O restaurante: Mama Dút Foods / O Prato: Waffle Bánh Xèo

Por vários anos, Thuy Pham trabalhou como cabeleireira em seu estúdio particular no sudeste de Portland. Sua habilidade em transformar o cabelo asiático em mechas azuis, rosa, loiras ou cinza atraiu clientes de lugares distantes como Bay Area e Seattle. Mas quando Kate Brown fechou os salões em março de 2020, Pham estava procurando maneiras de se manter ocupada.

Então, ela e sua filha Kinsley, agora com 7 anos, começaram a fazer barriga de porco vegana vietnamita no Instagram Live. Seus DMs foram imediatamente inundados com clientes de cabelo pedindo para comprar alguns. Lotes de até 240 fatias de barriga de porco vegana se esgotam todas as semanas. No outono, ela abriu seu primeiro tijolo e argamassa, servindo versões veganas dos pratos vietnamitas de sua mãe, que fugiu com a família do Vietnã do Norte dilacerado pela guerra quando Pham era criança, cozinhava para ela enquanto crescia. Seu petisco favorito que sua mãe faria nos fins de semana, aniversários e feriados é o bánh xèo, um crepe vietnamita com leite de coco e açafrão, tipicamente recheado com barriga de porco e camarão e carregado com ervas frescas e brotos de feijão.

“É sempre um tratamento especial quando minha mãe faz isso”, diz Pham. “É a única coisa que colocamos nossos jogos para baixo [para] e corremos para comer quando está fresco. Quando ficamos mais velhos, bánh xèo foi uma forma de ela nos fazer vir para casa. Ela vai ficar tipo, ‘Ei, estou fazendo bánh xèo hoje, venha aqui’. Acho que é algo que as mães asiáticas fazem. Eles atraem seus filhos de volta com pratos de que gostam. ”

No Mama Dút, Pham faz sua versão vegana reconfortante e crocante com cheiro de cúrcuma e coco cremoso com um ferro de waffle, enchendo-o com cogumelos chanterelle fritos - e recebeu o selo de aprovação de seu testador de sabor mais importante, sua mãe.

“Na verdade, deixei minha mãe experimentar [a versão no Mama Dút]. E ela disse, ‘Oh, isso é muito bom’. Porque eu estava com medo que ela gritasse comigo. Ela sempre me critica quando faço coisas que não são completamente autênticas. Ela ainda faz isso com barriga de porco e camarão para ela. Mas ela vai colocar cogumelos e outras coisas para mim. " 1414 SE Morrison St

Collin Mohr e Aaron Kiss of Ruthie's

Os Chefs: Collin Mohr e Aaron Kiss / O carrinho de comida: Ruthie’s / O Prato: Rolls da vovó

A avó de Collin Mohr, Ruth, agora na casa dos 80 anos, é carinhosamente conhecida por ele como Vovó Ruthie. Se ela tem um ethos, é este: tudo deve ser feito do zero.

“Ela faz seu próprio pão, faz todas as suas conservas, latas, picles e tudo isso”, diz ele. "Ela está sempre cozinhando."

Ruthie's se casa com pãezinhos caseiros da vovó estilo Utah, fofinhos, com galinhas de caça cheffy, cozidas a lenha (coberto com o sonho de um amante de junk food, pó de rancho) e acompanhadas por saladas sazonais.

O carrinho de Mohr no sudeste de Portland, que ele abriu em outubro passado com o amigo de infância Aaron Kiss, abraça a tendência de seu homônimo ao máximo. O resultado é uma mistura de cheffiness de Portland - produtos sazonais de pequenas fazendas e cozinha em forno a lenha - e receitas de família que ambos aprenderam com Ruthie em Ogden, Utah. Comida caseira, velha e nova, é um tema constante: galinha de caça polvilhada com pó de rancho e acompanhada por salada de chicória local, saladas sazonais carregadas com picles escondidos e pãezinhos de Ruthie com manteiga, sal em flocos e geleia de marionberry da casa.

“[Ruthie] foi uma grande influência durante toda a minha infância”, diz Mohr. “Ela nos assistia todas as quartas e sextas-feiras e estava sempre lá. E ela com certeza é uma das principais razões pelas quais estou cozinhando hoje. ”

Você encontrará pickles, geléias e conservas inspirados na Ruthie em todo o menu. “Definitivamente colocamos muitas conservas, como seu estilo de picles, em saladas. Ela faz conservas e conservas em muitas coisas, desde a maneira como faz pimentas em conserva durante o verão até maçãs em conserva. Temos uma manteiga de maçã dela que estava em um prato de carne. Do jeito que ela faz picadinho de beterraba, faremos ocasionalmente. "

Mas o empecilho? Os rolos, que obviamente são feitos internamente. (Você nunca pegaria a vovó Ruthie comprando pãezinhos pré-fabricados na loja, diz Mohr.) Sua versão é feita com farinha de Utah e mel em uma homenagem à casa e assada em forno a lenha.

Wendy Li (à esquerda) e filho Peter of Chin's Kitchen

O chefe: Wendy Li / O restaurante: Cozinha de Chin / Os pratos: Ensopado, Bolinhos e La Pi

Wendy Li cresceu em uma família de oito pessoas em uma fazenda perto de Harbin, China. Seu pai cultivava vegetais e criava galinhas, ovelhas, vacas e porcos, enquanto sua mãe e irmãs mais velhas cozinhavam com ingredientes superfrescos da fazenda. Eles cozinharam

de acordo com as estações - guisados ​​nos invernos com neve, saladas nos climas mais quentes.

“[Na minha cidade] gostamos de fazer vários ensopados diferentes. [Minha mãe] usou uma panela enorme. Era uma grande wok de metal, com um metro de diâmetro [sobre um fogão a lenha]. No verão está quente, então gostamos de comer pratos frios, saladas [como la pi]. ”

Costela de porco e batata ensopada de macarrão e bolinhos artesanais

Quando Li assumiu o controle de Chin's Kitchen, um restaurante antigo de sete décadas com um letreiro de neon vintage, em 2017, ela trouxe Harbin para o bairro de Hollywood. Ela reformulou o cardápio com pratos que comia enquanto crescia: bolinhos artesanais macios cheios de sabor porky e chucrute chinês picante, uma salada refrescante chamada la pi feita com macarrão de amido de batata translúcido e gelatinoso colocado sobre um arco-íris de vegetais em juliana e ensopados borbulhantes, quase amanteigados, feitos com carne de porco, macarrão de vidro e repolho. Chin's Kitchen recebeu elogios da mídia local, bem como de Guy Fieri, que apresentou o restaurante em um episódio de outubro de 2020 de Diners, Drive-Ins e Dives. Li ensinou Fieri a fazer bolinhos - que ele chamou de sua Kryptonita - e em troca, Fieri mostrou a ela como fazer macarrão do zero. Como o episódio foi filmado pré-pandêmico, ela diz, ele voltou com amigos no dia seguinte às filmagens para mais daqueles famosos bolinhos - um movimento raro que surpreendeu tanto Li quanto os assistentes de produção de Fieri.

Embora seus bolinhos artesanais al dente gotejando suco estejam no cardápio todos os dias, a jovem Li os via como uma iguaria rara. “Só podíamos comer bolinhos para comer nos feriados. O feriado mais importante é o Ano Novo Chinês e, no Ano Novo Chinês, temos que comer bolinhos. Isso é muito importante para nós. Normalmente carne de porco com vegetais misturados, como repolho, alho-poró ou chucrute. Demora muito para fazer, porque temos uma grande família. Não tínhamos máquinas - apenas usávamos nossas mãos. ”

Bolinhos ainda são um prato de ocasião especial em casa, mas agora ela tem mãos extras: o marido e três filhos, incluindo o filho mais velho, Peter, que ajuda no restaurante. “Durante o festival da primavera, tínhamos essa tradição de fazer bolinhos à meia-noite em casa”, diz ele. “Todo mundo iria contribuir. Meu pai faria a grana. Minha mãe os [dobrava] e eu os fervia. ” 4126 NE Broadway

Alkebulan Moroski de Alface Suja

O chefe: Alkebulan Moroski / O carrinho de comida: Alface Suja / O Prato: Seitan Fried Chicken & amp Vegan Mac & amp Cheese

A comida vegana não precisa ser leve. E, aos olhos de Alkebulan Moroski, vegan mac absolutamente não deveria ser.

“Muitas pessoas, quando estão fazendo comida vegana, vão com muita facilidade com muitas manteigas e óleos”, diz ele. "E, honestamente, se você quiser que tenha gosto de macarrão com queijo, não pode ter medo de torná-lo um pouco gorduroso."

Alkebulan Moroski serve o decadente macarrão vegano com queijo de sua mãe ao lado de seu frango frito seitan cuidadosamente preparado e aprovado pelo Mississippi

Moroski é o proprietário da Dirty Lettuce, um restaurante vegano do sul que abriu no Shady Pines um carrinho de comida à base de plantas em fevereiro, onde ele faz a mesma receita de macarrão com queijo que ele come há 25 anos. Moroski e sua família são novos na cidade do Mississippi, onde ele cresceu em um lar sem carne, dono de um restaurante. Ele serve uma combinação de suas próprias proteínas veganas e pratos que sua mãe, Kim, fez para ele crescer - especialmente seu amado macarrão com queijo. (A receita é um segredo bem guardado. Moroski sugere apenas que contém fermento nutricional.)

Enquanto o macarrão com queijo permanece fiel à receita de sua mãe, Moroski - muitas vezes referido como um Seitanist na página do Instagram da Alface Suja - desenvolveu suas próprias receitas de frango frito de seitan, costelas e bagre, junto com molho de retorno, molho tártaro e rancho . Eles são notavelmente próximos da coisa real, embora ele nunca tenha comido carne.

“Minha mãe foi quem me ensinou originalmente como fazer seitan. Eu meio que peguei a partir daí e fui à loucura. [Minha receita de frango frito] era inteiramente eu mexendo com um monte de glúten e temperos. Uma vantagem de estar no Mississippi é que você tem toneladas e toneladas de provadores que estão bem familiarizados com frango frito e bagre frito. Então, eu tinha cada pessoa que pude encontrar e que quisesse experimentar, experimentei - e usei todos os seus comentários para tentar aprimorar algo cada vez mais próximo de um frango frito clássico. ” 5240 NE 42nd Ave

Amalia Sierra de Tierra del Sol

O chefe: Amalia Sierra / O carrinho de comida: Tierra del Sol / O Prato: Mole Pipián e amp Mole Coloradito

Mesmo depois de possuir um carrinho de comida por mais de cinco anos, Amalia Sierra ainda liga para sua mãe pedindo ajuda na cozinha às vezes.

“Eu fiz um muito de ligações para o México ”, afirma Sierra. “Sinto-me bem porque a minha família está longe daqui e é assim que podemos ficar juntos.”

O mole é tradicionalmente servido com arroz e tortilhas artesanais, mas esses tacos mole permitem que você experimente as três opções do Tierra del Sol de uma vez: pipián, amarillo e coloradito.

Crescendo em uma pequena cidade em Oaxaca chamada Santa Cruz Tacache de Mina, Sierra aprendeu a fazer toupeira com sua mãe, que havia aprendido com sua própria mãe. Ela abriu seu primeiro carrinho no Mercado de Portland em 2015. Prova de seu sucesso: ela abriu recentemente uma segunda loja na Rocket Empire Machine em Montavilla. Ambos os locais são especializados em vários tipos de toupeira de frango de Oaxaca com tortilhas artesanais.

Mole pipián, uma toupeira verde feita de sementes de abóbora, tomatillos e jalapeños, era a toupeira escolhida para batismos, aniversários e reuniões familiares. A maioria das pessoas em sua cidade natal eram fazendeiros, então, quando a temporada de abóboras chegava no verão, havia muitas sementes de abóbora. Sua irmã ainda cultiva abóboras em Oaxaca hoje, e Sierra usa suas sementes em Tierra del Sol. “Quando faço pipián de pollo, lembro-me dessas festas e reuniões com minha família e do tempo que passamos juntos”, diz ela.

Enormes quinceañeras e casamentos pediam toupeira coloradito. “As pessoas ganham muito, muito mole para um casamento, porque normalmente, em uma cidade pequena, todas as pessoas daquela cidade vão ao casamento, sejam você convidados ou não.”

Enquanto as senhoras preparavam grandes quantidades de chiles para a toupeira, elas tinham muito tempo para chisme, ou fofoca. “Eles tinham um muito de diversão quando eles estavam juntos. contando histórias sobre suas vidas ”, relembra Sierra.

“Eu acho que a toupeira é tão especial porque não é apenas o prato, não é apenas a comida, mas são as memórias, os sentimentos, o amor quando estamos juntos, os abraços, as festas.” 7238 SE Foster Rd # 1 e amp 6935 NE Glisan St


Cerca de


Oi, eu sou OLIVIA!
Coisas que adoro: viagens, comida, o grande noroeste do Pacífico, ciclismo, cerveja (IPAs), verão, café, listas e corrida. Entusiasta de viagens, dabbler e atualmente blogando sobre aventuras na vida mamãe na Frugal Bon Vivant e marketing por e-mail na Early Bird Strategy. Consulte Mais informação

Postagens mais populares

Divulgação

Desenvolvido por Tofu é um participante de programas de publicidade afiliados (como Amazon Services LLC Associates Program e Commission Junction), projetados para fornecer um meio de ganharmos taxas de publicidade vinculando-nos a produtos afiliados.


As 50 melhores cervejas do Oregon escolhidas pelo The Oregonian / OregonLive

É uma pergunta que se faz todos os dias, em todo o Oregon: Qual a melhor cerveja artesanal produzida no maior estado de cerveja artesanal? Com centenas de cervejas produzidas no Oregon para escolher, qual IPA chega ao topo? Que cerveja você deve ter para combinar com aquele wrap tailandês de queijo grelhado com waffle? Que cerveja sazonal chega ao local em uma noite fria e chuvosa de inverno? Que azedo você adora, mas seu outro significativo não suporta?

Em busca de respostas, oito membros da equipe do The Oregonian / OregonLive - uma equipe liderada pelos escritores de culinária Michael Russell e Samantha Bakall, incluindo David Greenwald, Kathy Hinson, Sue Jepsen, Andre Meunier, Michelle Nicolosi e Mike Swanson - foram pesquisar para as melhores cervejas de Oregon e voltou com esta classificação das 50 melhores cervejas produzidas em Oregon.

O que você acha de suas escolhas e classificações? A partir de segunda-feira, 9 de novembro, todos em Oregon (21 anos ou mais) terão a chance de nomear e votar a melhor cerveja do Oregon. A seleção de cerveja Oregonian / OregonLive & # x27s Best Of Oregon durará quatro semanas e lhe dará a chance de servir sua cerveja favorita em uma série de estilos de cerveja, tudo em oregonlive.com/best.

50. Full Sail Brewing Company Session Premium Lager
Às vezes, um bombardeiro exótico de US $ 10 é o que atinge o local, mas é bom alcançar os velhos fiéis a preços acessíveis. Portland pode ser a capital Pabst Blue Ribbon da América, mas a Session Premium Lager do Oregon e # x27s é nossa melhor cerveja barata local. Se você quer apenas uma cerveja - não uma IPA, não uma stout, não uma saison, não uma sour - você provavelmente quer uma Session. (DG)

49. Ninkasi Brewing Vanilla Oatis Stout
Ninkasi usa sua cerveja preta de aveia Oatis como base e adiciona baunilha para dar um toque cremoso e rico a esta garrafa. Em suas notas de degustação, Ninkasi ressalta que adiciona grãos inteiros de baunilha durante o acondicionamento final - da mesma forma que usa para dry hop em uma cerveja. Não há razão para os fanáticos por aí se divertirem, certo? A bebida fermentada resultante é uma ótima entrada para uma bóia forte de sorvete. Ou, se você não consegue colocar sorvete em uma cerveja, desfrute de um copo de Vanilla Oatis com qualquer sobremesa. Ou vá para ninkasibrewing.com para receitas que usam Vanilla Oatis como ingrediente. (KH)

48. Hipernova eclíptica (IPA triplo)
Derrama laranja, tem um cheiro doce, lúpulo e alcoólico e tem um sabor mais suave do que o cheiro. Esta é uma temporada que vale a pena procurar. (EM)

47. Oregon Public House Do-Gooder IPA
Sim, conseguir um IPA em um pub em Portland é um pouco clichê. Mas esta cerveja (e pub) é diferente: o Oregon Public House se autointitula como o primeiro brewpub sem fins lucrativos do país, com lucros indo para uma lista rotativa de instituições de caridade. O slogan do pub & # x27s é "Beba uma cerveja, mude o mundo" e esta é uma boa cerveja para escolher. It & # x27s fabricado pela OPH & # x27s novo braço cervejeiro, Aletruism Brewing. Preparar seu próprio produto reduzirá os custos, permitindo que mais dinheiro vá para instituições de caridade. E é um IPA suave e equilibrado, portanto, neste caso, fazer o bem é fácil e saboroso. (KH)

46. Oakshire Brewing Overcast Espresso Stout
Uma cerveja preta para todas as estações. Oakshire & # x27s, uma cerveja forte de aveia saudável e fácil de beber, tem um toque aveludado, preto azeviche com um nariz de café e riqueza em chocolate. (SB)

45. Rogue Dead Guy Ale
Fabricada no estilo de um Maibock, a Dead Guy Ale em tom âmbar é uma cerveja maltada e terrosa com notas de caramelo e lúpulo. Feito pela primeira vez no início de 1990, ele & # x27s ainda é uma das cervejas essenciais da Rogue Brewery & # x27s. (SB)

44. Widmer Hefeweizen
Graças ao Portland & # x27s Dublin Pub, Oregon tem Widmer & # x27s Hefeweizen. A cerveja, que se aproxima rapidamente do seu 30º aniversário, estava entre as primeiras cervejas artesanais do país. Embora tenha se juntado a centenas de outras cervejas locais, este & quot de trigo de quotyeast & quot não filtrado e cítrico ainda é considerado pelos pais fundadores. (SB)

43. Laurelwood Brewing Free Range Red Ale
Se você não gosta de stouts e porters, aqui está sua resposta para uma cerveja de inverno. Ele oferece mais notas de malte e caramelo do que um IPA, mas lúpulo suficiente para que você não esteja muito longe de sua zona de conforto. Laurelwood diz que é de longe a bebida mais popular. (KH)

42. Cervejaria Culmination EuPhoric Brett IPA
"Belga" pode parecer um sinônimo de "quotyeasty e frutado", mas, na verdade, os estilos belgas abrangem uma ampla e selvagem variedade de cervejas. Antes de dizer que não gosta dos belgas, experimente este. Tem um sabor agradável e leve de IPA e muito pouco sabor evidente de levedura. Culmination usa uma levedura híbrida e a fermenta no lado quente, e usa lúpulos com notas cítricas para complementar as notas cítricas e de abacaxi que a levedura traz. Um sorvete crocante e refrescante. (KH)

41. Deschutes Fresh Squeezed
Nem muito leve, nem muito ousado, nem excessivamente aventureiro, Fresh Squeezed desce perfeitamente. Se você é novo no Deschutes, experimente os voos mistos e combinados com Fresh Squeezed. Se você é novo na cerveja Oregon e gosta da IPA, esta é uma prova obrigatória. (MN)

40. Burnside Brewing Fifth Ellament India Cream Ale
Um sipper mais suave do que um IPA e um pouco & quotrounder & quot, com ênfase mais nas notas cremosas de baunilha do que no lúpulo. É nomeado em homenagem ao lúpulo australiano Ella usado na receita. (KH)

39. Hopworks Ace of Spades
Ace of Spades é um IPA imperial feito com lúpulo do Noroeste orgânico adicionado em todas as fases da fermentação. A Hopworks Urban Brewery chama-a de uma besta "quothopped out" com um "aroma cítrico de lúpulo, sabor e um amargor profundo e limpo." Seu IBU tem mais de 100. (SJ)

38. Goodlife & # x27s Sweet As Pacific Ale
A cerveja favorita do verão, mas feita o ano todo. É leve, mesmo com 6 por cento ABV, cítrico e suave com um acabamento limpo. (SJ)

37. Cascade Brewing The Vine
The Vine é uma sour ale do estilo do noroeste, feita por um pioneiro em tortas e azedas. Segundo a Cascade, é envelhecido em barricas de carvalho com uvas brancas. As garrafas estouram como champanhe, e a cerveja é muito parecida com vinho branco. Refrescante e não terrivelmente azedo. (SJ)

36. Mazama Saison d & # x27Etre
Um saison clássico com um nariz frutado e um final amargo e seco, Saison d & # x27Etre leva a cerveja belga e adiciona um toque de Oregon com zimbro, frutas vermelhas e pimenta preta. (SB)

35. Deschuta o dissidente
Com desculpas ao The Abyss, este oud bruin é um dos favoritos da Deschutes Brewery & # x27s Reserve Series. Uma sour brown ale no estilo tradicional de Flandres, The Dissident é envelhecida por 18 meses em barris de pinot e cabernet, emergindo com notas fortes de caramelo e cereja do Oregon, fermento selvagem e um ABV enganosamente forte de 10,7 por cento. (SR)

34. Breakside Brewery Wanderlust IPA
Criado como uma válvula de escape após Breakside & # x27s outro IPA ganharem ouro no Great American Beer Festival, Wanderlust apresenta um caráter de malte leve e um nariz tropical de uma mistura de lúpulos, incluindo Simcoe, Mosaic e Amarillo. Com uma cor dourada límpida e um acabamento crocante de toranja, algumas pessoas - incluindo alguns bartenders na cervejaria Breakside & # x27s Northeast Portland - na verdade preferem esta IPA a seu irmão mais famoso. (SR)

33. The Commons Myrtle
Se esse glorioso sabor azedo é o que você está procurando, Myrtle o entrega com a suavidade de um pão de massa fermentada fresco - sem empurrar para o território de franzir. Pense nas cervejas do dia a dia The Commons & # x27, aumentadas. (DG)

32. Baerlic Primeval Brown Ale
Uma brown ale turva e maltada, Baerlic & # x27s Primeval bebe cacau e biscoito com uma sensação cremosa na boca e um final seco e levemente lupulado. (SB)

31. Fort George Vortex IPA
Essas latas de quatro embalagens são a cerveja mais comum em certas geladeiras. É uma cerveja grande, amarga e cheia de pinho que parece comida depois que você comeu duas. (EM)

30. Cascade Brewing Vlad, o Imp Aler
Uma sour ale da Cascade Brewing, esta mistura loiras quads, triplas e loiras e, em seguida, Cascade envelhece 18 meses ou mais em bourbon e barris de vinho. Ganhou uma medalha de prata no Great American Beer Festival 2009. (SJ)

29. Double Mountain Tahoma Kriek
Faça biquinho com Tahoma Kriek, uma ale loira belga dourada com um nariz de massa azeda mofada e gole com especiarias frutadas com cereja local Rainier com Brett por mais de um ano. (SB)

28. Bend Brewing Co. Volkssekt Berliner Weisse
Bend é o lar de tal constrangimento de riquezas cervejeiras que até mesmo uma microcervejaria fina pode existir à sombra de suas congêneres. Mesmo aos 20 anos, a Bend Brewing Co. merece uma parte dos holofotes, especialmente por suas cervejas premiadas de estilo alemão. Este Berliner Weiss, fermentado com malte alemão e lúpulo e inoculado com lactobacilos, é leve, ácido e refrescante. (SR)

27. Jogo de Quatro Ereto
Este azedo envelhecido em barril de rascunho - disponível apenas na sala de degustação subterrânea Upright & # x27s - leva a cervejaria & # x27s já levemente azeda e refrescante farmhouse-saison Four, e adiciona purê de cereja de Oregon, leveduras e bactérias e passa um ano na Vinícola La Bete em barricas Pinot Noir. Bebe com um nariz funky e terroso com um acabamento cereja brilhante e rugoso. (SB)

26. Pêlo do Cachorro Adam
A primeira cerveja Hair of the Dog altamente colecionável de Portland & # x27s ainda é uma das cervejarias & # x27s mais atraentes. Morena, rica e difícil de classificar, a Hair of the Dog diz que Adam é uma recriação de uma cerveja alemã histórica. Tome um gole de cada vez. (DG)

25. Flora Rustica Ereta
Isso é muito floral, graças às flores de mil-folhas e calêndula, e no lado seco e amargo. É um lindo amarelo brilhante e cítrico com uma boa carbonatação. (SJ)

24. Migração Lupulin Luscious IPA
Com saltos de virar a cabeça, Luscious Lupulin desenha na parte inferior de uma toranja para evitar o aroma de pinho de tantos IPAs do Oregon. Mas também não espere uma onda de frutas cítricas. (DG)

23. Pfriem Wit
Cervejas para acompanhar comidas raramente recebem o amor que merecem. Pfriem & # x27s Wit, brilhantemente efervescente com um toque de frutas cítricas e especiarias, é um dos melhores. Com personalidade suficiente para se destacar, mas com um final limpo e cremoso, esta cerveja é uma cerveja para cada refeição. (SB)

22. Fort George Brewing Sunrise Oatmeal Pale Ale
A nice, smooth change of pace when you don't want another Northwest-style hop-bomb IPA. This has four types of hops, so you still get that clean smell and clear, cut-through-the-fog taste, but at a reasonable alcohol and hop level. (KH)

21. Burnside Brewing Burnside Stout
Burnside Brewing's lineup is rock solid, with beers that nicely fulfill all aspects of a brew's style -- and this stout is no exception. This full-bodied and dark drink will warm you up on chilly evenings with its malty and chocolate-tinged flavor. Occasionally, Burnside offers it on nitro, making it even velvetier. (KH)

20. Gigantic Pipewrench IPA
Pipewrench, brewed occasionally by Southeast Portland's Gigantic Brewing, is a complex, layered IPA aged in gin barrels to deliver a hint of juniper complemented by fruity citrus notes. Pouring a honey amber orange with an off-white lacy head, Pipewrench delivers a fresh, tangy flavor punch that stays big but smooth throughout its profile. (AM)

19. Hair of the Dog Blue Dot IPA
Tastes and looks like a home brew. Very grainy, mealy and cloudy, and tastes more alcoholic than it is. Not a classic IPA by any means, but many still choose it over the classic Fred and Adam. (MS)

18. Widmer/Deschutes AltBitter
There are nearly 60 years of Oregon brewing history in a single glass of this Widmer/Deschutes collaboration. A barrel-aged blend of imperial versions of both Widmer's first brew, their perennially underrated Alt, and one of Deschutes' first, Bachelor Bitter, AltBitter tops out at 9.5 percent ABV, adding some extra bass notes to a pair of classic Northwest beers. (MR)

17. Pelican Brewing Mother of All Storms
This is a barleywine aged in Kentucky bourbon barrels in Pacific City. Expect a melding of toasted malt, bourbon and oak with a vanilla, toffee, caramel finish, as Pelican describes it. (SJ)

16. Logsdon Farm Brewery Aberrant
Aberrant is an organic farmhouse ale brewed by Chuck Porter as part of his Bergschrund series at Logsdon Farm Brewery. He described it this way to The New School: a "golden beer of medium hopping, high carbonation and dry finish." (SJ)

15. Pfriem Strong Blonde
Few brewers in Oregon or otherwise are channeling Belgian beer inspiration like Hood River's Pfriem, whose full lineup is worth a taste. But if you can only have one, the Strong Blonde is a revelatory answer to the heavier tradition of the Strong Dark, with spicy clove notes and a crisp mouthfeel. (DG)

14. Fort George Bourbon Barrel Cavatica Stout
If all it made were passable ales, this Astoria brewery would be worth a visit, if only for its scenic perch above the Columbia River. Thankfully, Fort George's brewers' work is more than just passable. For their Bourbon Barrel Cavatica Stout, the hosts of Oregon's annual Dark Arts festival aged their big, dank stout in Willett Bourbon barrels. Sealed in wax, these lovely bottles are a fine example of the power of barrel aging. (MR)

13. De Garde Chat D'Or
How do you pick a favorite beer from a brewery that barely distributes, where much of its product leaves the premises six 22 ounce bottles at a time, in the trunks of individual customers' cars? You can't, really, but this wild ale -- naturally fermented, like all of de Garde's beers, then aged for up to 18 months in a blend of barrels -- will blow you away on a trip to the Tillamook brewery. (MR)

12. Boneyard RPM IPA
Boneyard's flagship IPA is hoppy -- there are six hops in there -- but balanced by the malt. It's not bitter and much beloved for its piney-citrusy notes.(SJ)

11. Laurelwood Megafauna
It's hoppy, citrusy and piney, but this double IPA has the thickness of an amber ale. No need for food with this beer. It's a meal. (MS)

10. Barley Brown's Pallet Jack IPA
It looks like a light beer but doesn't taste like one. The smell is bursting with pine and citrus, and the hops are present but not overpowering. (MS)

9. Upright Fantasia
This peach-infused beer is an easy beer to fall in love with. Made with peaches from a Dayton orchard, Fantasia is barrel-fermented, aged in oak barrels, then bottle-conditioned. The result is tart, with a dark orange color and a flavor like pure peach. Yum. (MR)

8. The Ale Apothecary Sahalie
The flagship beer of one of Oregon's most celebrated breweries, Sahalie pours golden with an active head and tropical nose. The funky, tangy and lightly floral beer is brewed with Ale Apothecary's own lactobacillus culture and ferments for up to a year in oak barrels before a monthlong dry-hopping with Cascade hops. (SB)

7. Heater Allen Pilsner
A true micro brewery in the most stubborn sense, Heater Allen makes note-perfect German beers born from a McMinnville garage. The pilsner is refreshing and floral in awesome balance. Lots of breweries are making fine pilsners these days, including Upright, Pfriem and --- yes -- Ninkasi. Use this as your gateway drug for Heater Allen's Isarweizen and Bobtoberfest then move on to the imported German beers at places such as Northeast Portland's Stammtisch. (MR)

6. Double Mountain IRA
Accept no imitations. The flagship beer from one of Oregon's most consistent breweries, this India Red Ale pours a deep red-brown with a frothy white head. With a more-balanced hop profile than most IPAs, it's a must-order during any visit to the Hood River brewery, preferably alongside a hot Jersey Pie, and, when available, the safest choice at many dive bars. (MR)

5. Cascade Sang Noir
Forced to pick one American beer to go head-to-head with Belgium's Duchesse De Bourgogne for global sour supremacy, go with Sang Noir, the limited release Northwest-style sour ale from Cascade Brewing. Literally "black blood," this red ale blend is barrel-aged then rested on Bing cherries, producing a lively beer with a mahogany color and a brilliant balance of sweet and tart. Sang Noir is a limited release, but should be available again in November. (MR)

4. Boneyard Hop Venom
Psst. Here's a secret for anyone who's waited in line for Russian River's Pliny The Younger: Hop Venom might be better. This mighty double from Boneyard Beer in Bend pours a bright orange with a gorgeous white head and tastes of resin, honey and pine. You might never wait in line again. (MR)

3. The Commons Urban Farmhouse Ale
Traditionally, farmhouse ales were brewed on actual farms. Here in the New World, they're more often made in suburban office parks or urban warehouses. At the Commons, a fine example of the latter, with its austere tasting room and built-in cheese counter, the flagship beer is a worthy companion to any Old World saison. Golden-hued, floral, light, bright and a bit grassy on the tongue, with a flavor drawn from Belgian-style yeast, this signature beer is the taste of Portland summers. (MR)

2. Deschutes The Abyss
Barrel-aged for six months in bourbon, oak and pinot noir barrels, the carefully sweetened Abyss is alcohol-forward and burns with a deep, dark purpose. (The purpose is to get you drunk during dessert, or after a year or two of aging.) (DG)

1. Breakside IPA
Does the perfect Oregon IPA exist? Probably not. But among all Portland breweries, perhaps Breakside has come closest with this flagship beer. The favorite IPA of many IPA fans in the world's greatest IPA town, this copper-colored ale smells of citrus without being too citrusy, tastes of pine without being too piney and shows off its Citra and Chinook hops without being over-hopped. It would almost be boring, if it wasn't so good. (MR)


Lardo

I’ve already confessed my love for Lardo and those dirty fries. And everything else that I put in my mouth. Lardo would definitely go on my list of top spots to eat in Portland!

Lardo
lardosandwiches.com
1205 SW Washington Street (2 other locations as well)
Portland, OR


5 Portland Bartenders Capture the Autumnal Spirit in a Glass

B y this point in 2020, your go-to old-fashioned recipe might be getting a little stale. So we enlisted the help of five of the city’s best bartenders, asking them to help us push the envelope beyond stereotypical fall flavors. The results: Spiced pear cordial married with pineapple rum for a tiki-inspired take on fall. Sotol and vanilla rum mixed with oat milk and turmeric for a grassy yet fragrant milk punch. Earl Grey tea and walnut liqueur melded with bourbon for an evening sipper. Fig jam shaken up with tequila, rosemary, and dry curaçao for a bright, herbaceous, and fruity drink. Você entendeu a ideia. Fancy glassware not included.

Ashelee Wells

National food and beverage magazines started buzzing about sotol, a spirit from Northern Mexico, a couple years ago. But Ashelee Wells, bartender at the popular Thai-meets-Texas-barbecue-meets-tiki-bar spot Eem since its opening in early 2019, was way ahead of the curve—she’d been introduced to sotol years earlier in her hometown of Houston, Texas.

“It’s not as crisp as tequila. It’s not going to be as smoky as mezcal,” Wells explains. “It tastes very lightly smoked—the faint whisper of a notion of smoke—with more of a vegetal, grassy texture. It doesn’t overpower. Everything plays well. The more you drink it, the more you can notice every note.”

Sotol’s easygoing nature makes it the perfect match for her fall cocktail, Golden Hour, which she created especially for Portland Monthly. It’s based on her love for turmeric in all shapes and forms, whether mixed with milk to create “golden milk,” added to a cocktail, or incorporated into one of her homemade body scrubs. Black pepper is a natural match for turmeric—“like peas and carrots,” she says—while cinnamon adds a hint of sweetness.

Golden Hour

2 dashes cardamom bitters

Strain over ice in a collins glass and garnish with fresh
cracked pepper.

*Golden Milk

Combine in a sealed container, like a mason jar, and give a good shake:

1 cup of extra creamy oat milk

1/4 tsp fresh ground black pepper and ground ginger

3/4 tsp turmeric and cinnamon

2 oz 2:1 golden brown sugar syrup

Camille Cavan

“If I were to go through all my cocktail names, it’d be like reading my diary,” says Camille Cavan, bar manager at Quaintrelle. “They’re all very personal to me.” At the N Mississippi Avenue spot, she creates thoughtfully named cocktails using straight-from-the-farm ingredients designed to pair with the restaurant’s vegetable-forward menu. This cocktail, dreamed up for our readers in honor of Cavan’s favorite season, was named after her father’s love for Greek mythology.

Though Quaintrelle isn’t a tiki bar in any sense, Cavan loves a good tiki cocktail. “That’s where I thrive and feel like I have the most fun,” Cavan says. This drink is equal parts fall-inspired (crème de noyaux, spiced pear cordial, cinnamon, allspice, nutmeg) and tiki bar (pineapple rum, lime juice, pineapple gomme).

Cavan, of course, makes her pear cordial from scratch . “I’ve always loved working with fresh pears, especially in Oregon,” she says, but store-bought cordial works, too. She chose Angostura amaro as a float for its autumnal notes of blue fruits, cardamom, and cloves. The unusual addition of Greek yogurt, inspired by a yogurt cocktail that Cavan drank in London years ago, acts like orgeat, thickening the cocktail and adding richness and tartness without the sweetness of the almond you’d find in orgeat.


Portland Neighborhood Evening Food & Drink Tour

Explore a local Portland neighborhood on this walking food tour that visits an incredible selection of sit-down restaurants, a wine tasting room, and a brewery. Plenty of food, Oregon wine, a unique cocktail, and local craft beer are all included!

4 sit-down restaurants and one craft brewery.

Small groups of 2-10 people per tour.

Starts in the heart of the Slabtown neighborhood in NW Portland. Ends 1 block away from the starting location. An email will be sent with detailed meeting location details immediately after booking.

We are happy to welcome vegetarians and pescatarians, but please let us know prior to your tour date as same day requests cannot be guaranteed. This tour is not recommended for gluten free, dairy free, vegan or other special diets.

Book Now:

This tour is currently paused due to local dining restrictions and restaurant closures.

View our Portland COVID-19 updates here.

About This Tour:

What do The Simpsons and a coin toss have to do with Portland’s history? Beyond the amazing food and drink, Portland’s weird and awesome legacy continues to shape life for Portlanders.

Across 5 tourist-free locations and two historic neighborhoods, every street and every bite has a unique story to tell. Come hear that story through the best medium possible: food and drink. This is not a tasting tour, come hungry and eat loads. If you have one night in Portland, this is it!

What You'll Do:

Learn how to pair wine and cheese from master wine experts, sampling the finest of Oregon’s wine to start the evening.

Dig into some housemade pasta tossed in truffle butter, seasoned with sea salt and cracked pepper, then topped with grana cheese.

Walk through neighborhoods that hold relics from Lewis and Clark and the industrialization of Oregon up to it’s modern gastro-scene.

Try freshly-steamed Chinese bao buns alongside Korean kimchi and house cocktails in an Asia-facing port-city with deep roots in fusion cuisine.

Save room for a made-from-scratch crepe from the best creperie in Portland, in a blink-and-you-miss-it mom and pop shop.

Cap off the evening with a cheers at a neighborhood craft beer hall.

Featured In:

“In Portland’s Alphabet District, it’s not unusual to see lines for a restaurant table or an ice cream cone. But the focus of Lost Plate Food Tours is to give its guests an alternative to the well-known spots, focusing instead on hidden gems that serve up some of the city’s best food and drinks. From the first glass of wine to the final beer, our group enjoyed an extraordinary dining experience in six different neighborhood spots on our Evening Food & Drink Tour.”

Customer Reviews:

“All the food was incredible and left us all in awe every time. Drinks were also amazing! Our tour guide was so great and the group got along so well, we all stayed together after the tour was finished! Amazing experience.”

“A great a taste of what Portland has to offer!! Michelle was an amazing host for the city & had the best food picked out for us! Always heard Portland was a beer town but the food surpassed all our expectations. Highly recommend the tour!! Great experience, would tour with them again.”

“I highly recommend this tour to anyone visiting Portland! We did the evening tour, and I was not disappointed. Our guide was absolutely wonderful, so knowledgeable and passionate about the city, it’s history and everything is has to offer. All of the places we visited were fantastic. It was great to see the culture and true Portland gems that weren’t “touristy.” The tour was my favorite part of the whole trip – thanks Lost Plate!”

“Joined a lovely group led by Michelle. I chose tour because it was in the evening, but there are other great reasons to do it. It was fun and educational and I learned a lot about Portland cuisine. And the food and drink was great, particularly the pasta and the wine. Loved the neighborhood so much I went back the following night to eat.”

COVID-19 Health & Safety.

  • Flexible Cancellation Policy: We have always offered one of the most flexible cancellation policies in the industry and that hasn’t changed. You are able to reschedule your tour or receive a 100% refund for all cancellations made at least 48 hours before the tour start time. Your reservations with Lost Plate are worry-free.
  • Reduced group sizes of 5 people, 6 including your guide, are currently in place for public tours. Due to the limited group size, everyone in your party must book a spot, including infants and children of all ages. Parties over 5 cannot be accommodated at this time per current state-wide social gathering limitations. Private tours of the same size are possible and subject to availability and private tour pricing.
  • Symptom-Free: We require that all guides and guests are free of any symptoms. Guides or guests showing symptoms of any illness, including fever, cough, or shortness of breath, will be asked to not join the tour.
  • Social Distancing Measures: We will maintain social distance whenever possible during the tour. We follow all local regulations and restaurant requirements, which means it’s possible your group may be seated at multiple tables at a venue.
  • Masks Required: All guides and guests are required to wear face masks at all times when not eating or drinking. If you have a medical exemption or disability that prohibits you from wearing a mask, you must book a private tour for just your group by contacting us.
  • More About Masks: Due to each tour being public with others outside your group, face coverings are required per state mandate. If you have a medical exemption or disability that prohibits you from wearing a face covering, you will need to book a private tour for only your party by contacting us. Providing this reasonable accommodation is in accordance with Oregon Health Authority guidance. We appreciate your compliance and understanding.
  • Sanitization: Hand sanitizer or hand-washing facilities will be provided at each stop.
  • Individual Portions: When possible, all portions will be served in individual servings. If larger dishes must be shared, public utensils will be made available to ensure each guest’s safety.
  • All restaurants that we visit follow local requirements. Temperature checks, personal registration, and/or health app screening are likely. It is the guest’s responsibility to meet requirements at each stop.
  • Your guide has the right to refuse service to anyone not complying with safety protocols. If you have any questions or concerns with any of these details, please contact us before your tour begins.

Frequently Asked Questions:

Should I sign up for multiple Lost Plate Tours? Are they all different?

We have many happy customers who do more than one of our tours in Portland! We have designed our tours to focus only on very different parts of the city and different cuisines. This means that each dish, story, and vibe is unique to each tour and there aren’t any repeats.

Most people are very surprised how broad the culinary scene is in Portland, and our tours are a good way to discover those differences. We cover everything from food carts to private kitchen experiences, morning coffees to wine tastings. We encourage you to pick the tours that best fit your itinerary and we offer a 10% discount if booking more than one tour.

Will I need to walk very far?

This tour covers about 1.5 miles by foot, so we recommend leaving the heels at home. This distance is split up between 5 stops, so it’s roughly a 10 minute walk between each stop and a great chance to digest a bit before the next course. We also find that exploring by foot is the best way to see this neighborhood and find relics dotted throughout. If this sounds like a too much walking, our other tours in Portland cover less distance.

How many drinks are included?

This tour includes a wine tasting flight, a craft cocktail, and a local craft beer. At stops which do not have alcohol, we will provide water or you are welcome to purchase your own drink if time permits. It’s definitely plenty to drink, and shows off the variety of tasty beverages found throughout the city.

Are there non-alcoholic options?

Not a drinker? Sem problemas! Please let us know if you will not be drinking prior to the tour and we will make sure to provide tasty non-alcoholic options for you.

Are children allowed on this tour?

All of the places we visit during this tour do allow minors, however we recommend leaving the kids at home for this one. Our other tours in Portland are a much better fit for the little ones. Our general recommendation for this tour is that guests are 21 years of age or over, but feel free to let us know if you have any questions or concerns.

What if I’m vegetarian, vegan, or have food allergies?

Our tours have been designed to accommodate as many diets as possible while still remaining stupid delicious. We are happy to welcome vegetarians and pescatarians, but please let us know prior to your tour date as same day requests cannot be guaranteed. This tour is not recommended for gluten free, dairy free, vegan or other special diets.

When booking online, you’ll have the opportunity to let us know if you have any dietary restrictions or special requests. Please use this field to let us know about your requests and we will follow up if there are any problems or questions.

How many people will be on my tour?

Our minimum is 2 and maximum is 12. There’s no flag to follow, or megaphone, or tacky uniforms. It’s small enough to be intimate, but big enough to get away with trying several dishes at each stop. You’ll get plenty of face-time with the experts. Bottom line is, you’ll follow the guide through a super-local experience and make friends along the way. It is awfully common for our guests to continue the evening together after the tour is over for a few more rounds.

Where does the tour start and end?

This tour starts at 5pm at our first stop in the Slabtown neighborhood in Northwest Portland (the popular NW 23rd street is nearby). You’ll get the exact address, directions, and transportation details immediately after booking.

The end location is approx. 1 block away from the start location. Our last stop is at a brewery, where you are able to stay as long as you like!

How long does the tour last?

This tour lasts about 3 hours and ends at a brewery. It’s not uncommon for guests to stay out and keep the pints going afterwards.

If you have any concerns about timing or meeting up based on your itinerary, let us know and we’ll see what we can do to make this as hassle-free as possible.

Can I bring my pet on a tour?

Unfortunately, pets are not allowed inside food and drink establishments in Portland. While we would love to meet your furry friend, pets are not able to join our tours for the comfort and safety of all guests and vendors.

Can I smoke on the tour?

For the safety and comfort of our guests and guides, all tours are smoke-free. This includes nicotine, cannabis, and vape devices.

Can I drink alcohol on the tour?

This tour does include alcohol, but please keep in mind Oregon law prohibits the serving of alcohol to visibly intoxicated individuals. If you arrive to the tour visibly intoxicated, you will be kindly asked to leave. We want everyone to have a comfortable and pleasant experience, so please save your shenanigans for after the tour. All Lost Plate tours are a family-friendly experience and we appreciate your understanding.

Do you offer private tours or tours for special events/groups?

Yes we do! If you would like to book a special tour for your organization or group, just contact us and we’ll take care of you.

Do you offer discounts?

We sure do! If you decide to do more than one tour with us we are happy to offer you a 10% discount off your total amount. It doesn’t matter if the tour is in the same city or a different city, we want to keep feeding you as long as you let us. Our online booking system will automatically deduct the discount from your total if booking online. If you decide to add more tours later, your original confirmation email will include a promo code to use on those bookings.


Portland Food Tours

Portland’s unique history, from the Oregon Trail to its post WWII industrial boom, was the perfect storm to create a culture of counter-culture. Portland is now famous for its crunch hipsterness and proud adage, “Keep Portland Weird.” But the truth is, Portland has always been weird.

What does a Portlander’s passion look like in food and drink? Whatever your imagined answer is to that question, it’s based on a reputation that Portland has worked hard to earn. Come see the food, drink, and atmosphere that has kept Porland weird, for Portlanders by Portlanders. You won’t see anything else quite like it.

From roving food carts to bespoke private kitchen events, and morning coffees to wine tastings, our Portland Food Tours have got Portland’s wide and weird culinary scene covered. Try to keep up with the food-and-drink experts as we show off Portland’s amazing culture, one plate a time.


Assista o vídeo: Hottest Restaurants: Portland, Oregon (Agosto 2022).