Novas receitas

Singapore Eats: descobrindo uma das melhores cidades gastronômicas do mundo

Singapore Eats: descobrindo uma das melhores cidades gastronômicas do mundo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Quando a comida é posta na sua frente em Cingapura - seja um prato de papel de arroz com asas de frango frito e sambal picante, uma tigela de sopa de costela de porco apimentada, um prato gloriosamente bagunçado de caranguejo de pimenta preta ou uma apresentação elegante de selvagem bacalhau de coral da Tasmânia ao molho de pimenta agridoce - a primeira coisa que você nota é o seu cheiro bom. Este é um alimento intensamente aromático. Os aromas de especiarias, caldos, carnes grelhadas ou frutos do mar - os aromas de cozinhando - levante-se da mesa, seduzindo-o antes de dar uma mordida. Então você dá uma mordida, e a segunda coisa que você nota é como tudo é gloriosamente, vividamente delicioso.

Você pode comer bem em todo o mundo hoje, mas se quisermos ser honestos sobre isso, há apenas um punhado de cidades com boa comida, que eu definiria como lugares que têm uma cozinha própria rica (ou várias eles), mas também uma ampla gama de ofertas internacionais, juntamente com um cenário gastronômico próspero que varia de barato e informal a caro e refinado. A cidade de Nova York é certamente uma delas. Los Angeles. Londres. Talvez Paris (embora esteja em liberdade condicional ultimamente). Sydney e / ou Melbourne. Hong Kong. E bem lá em cima com qualquer um deles, eu firmemente sustentaria com base em uma recente visita repleta de comida, é a cidade-estado rica, famosa e limpa no sudeste asiático de Cingapura.

Singapore Eats: descobrindo uma das melhores cidades gastronômicas do mundo (apresentação de slides)

Para uma cidade, Cingapura é grande; para um país, é pequeno. Cobre cerca de 277 milhas quadradas (cerca da área de Brooklyn e Queens juntas), a maioria das quais é urbanizada. Muito pouco é cultivado ou criado aqui. A maior produção alimentar indígena é nas fazendas de peixes, das quais existem atualmente 126 (117 delas são de água salgada, no litoral; o restante é de água doce). Uma grande variedade de espécies é cultivada - peixes de leite, salmonetes, mexilhões, barramundi ("robalo asiático"), pampo (pomfret dourado), pargo vermelho, pargo dourado, trevally, garoupa, robalo, camarão, caranguejos de mangue ... e em água doce, tilápia, bagre, carpa e muito mais. Muito disso é vendido congelado para exportação, e os mercados de peixes de Cingapura geralmente estocam uma combinação de peixes cultivados localmente e frutos do mar selvagens importados da Austrália e de outras partes da Ásia. Há uma produção limitada de galinhas e coelhos e um punhado de fazendas, algumas hidropônicas, outras em telhados (a Panasonic cultiva vegetais e ervas em jardins verticais internos para um restaurante japonês local em sua fábrica em Cingapura).

Quase tudo o que as pessoas comem ou bebem aqui, no entanto, é importado - até mesmo a água, que vem por dutos submarinos da Malásia através do Estreito de Johor. Isso pode parecer uma limitação neste dia de menus de 100 milhas e restaurantes locavore, mas a comunidade é rica e etnicamente diversa o suficiente para comandar uma variedade absoluta, abundância e qualidade de alimentos que são verdadeiramente surpreendentes.

As influências culinárias e culturais aqui são, em primeiro lugar, chinesas, depois malaias, indianas e europeias (sobretudo britânicas, holandesas e portuguesas). O mais definitivo de Cingapura, entretanto, é a população Peranakan. Também conhecido como Estreito Chinês ou Baba-Nyonya (dos termos para homens e mulheres), esses são descendentes de imigrantes chineses que vieram para o que hoje são Cingapura e Malásia há centenas de anos e se casaram com malaios locais. A culinária peranakan tem seus próprios pratos e tradições e é uma das coisas que tornam a culinária em Cingapura tão emocionante. “As pessoas realmente levam a sério a comida em Cingapura”, oferece Kenneth Lim, um chef ocasional e “gerente de projeto de jantar” do Conselho de Turismo de Cingapura. "Acho que o motivo pelo qual todos se dão tão bem aqui - chineses, indianos, malaios, todos - é que todos gostam da comida de todos."

A primeira coisa que todo visitante experiente aprende sobre Cingapura é comer nos chamados centros de vendedores ambulantes. Quando Cingapura nasceu como uma nação independente, há exatamente 50 anos, uma das iniciativas do governo foi agrupar todas as muitas barracas de comida de rua da cidade em praças de alimentação, onde a higiene e o saneamento podiam ser controlados. Existem em torno de 150 a 170 desses centros em torno de Cingapura hoje, cada um normalmente segurando dezenas de estandes individuais, muitos deles especializados em um único prato. Alguns moradores vão diariamente e comem sempre a mesma coisa - talvez um prato de bak chor mee (às vezes conhecido carinhosamente como "BCN"), macarrão frito em banha de porco, com pedaços de fígado de porco e almôndegas; ou nasi lemak, arroz com peixe frito ou asas de frango e sambal picante - enquanto outros (e muitos visitantes) tratam os centros como uma espécie de grande bufê, indo de barraca em barraca e comendo o quanto podem.

Além de sua riqueza em comida de vendedor ambulante, algumas delas exclusivas de Cingapura, e outras especialidades locais encontradas em outros locais, a cidade também oferece uma ampla variedade de cozinhas de todo o mundo - alguma cozinha de fusão de primeira classe (como no telhado do famoso chef Justin Quek Sky on 57), sushi bars de excelente qualidade (como os dois locais de Shinji by Kanesaka), restaurantes administrados por renomados chefs britânicos e americanos (Gordon Ramsay, Jamie Oliver, Jason Atherton e membros do Daily Meal Council Wolfgang Puck, Daniel Boulud e Mario Batali e Nancy Silverton, entre outros), bem como por superstars internacionais como Joël Robuchon e Tetsuya Wakuda e Luke Mangan da Austrália e, em geral, boas representações de quase qualquer tipo de comida que você possa imaginar.

Em um pequeno trecho da East Coast Road, no bairro de Joo Chiat, por exemplo, você encontrará Zaffron Kitchen ("indelevelmente indiano"), Brotzeit German Bier Bar and Restaurant, Wallet Friendly Authentic Thai Cuisine, Nyonya Delicatessen, Spizza para amigos e a Fish & Chip Shop, junto com vários lugares chineses e vitrines abertas que vendem várias coisas boas para comer.

Em uma breve visita a Cingapura em meados de agosto, com o chef-restaurateur (e fotógrafo ávido) Daniel Holzman de Nova York, cujo Meatball Shop tem seis locais em Manhattan e Brooklyn, conseguimos comer um delicioso variedade de alimentos de todos os tipos.

No mercado de Tiong Bahru, passeamos por corredores repletos de barracas que vendem frutas tropicais (não apenas as usuais, mas as frutas do dragão vermelhas e amarelas, carambola, jaca, longan, langsat e duku), galinhas Kampung caipiras, carne de porco indonésia ( altamente conceituado aqui), mosaicos de ovos frescos e salgados, peixes de um oceano de peixes, desde garoupa brilhante até pequenos pomfrets prateados, sacos e barris cheios de vieiras secas, chocos e abalone - e objetos de papel elaborados, representando tudo, desde barras de ouro até Guinness latas de cerveja para BMWs, para serem queimadas para a boa sorte. Subimos para a praça de alimentação e, depois de vigiar nossa mesa, como é o costume local, com um pacote de lenços umedecidos - um equipamento essencial para comer no centro de vendedores ambulantes, muitos de que é prático - trabalhe nosso caminho de barraca em barraca, escolhendo praticamente tudo que podemos lidar, de chwee kueh a char siew fan e pedaços de tubarão frito.

Subimos para a praça de alimentação e, depois de vigiar nossa mesa, como é o costume local, com um pacote de lenços umedecidos - um acessório essencial para comer no centro de vendedores ambulantes, muito do qual é prático - vamos da barraca até barraca escolhendo praticamente tudo que podemos lidar, desde chwee kueh (bolos de arroz no vapor com o que você juraria ser um molho de carne intenso, mas na verdade é feito de daikon cozido em soja escura) a char siew fan (porco assado em molho de soja doce sobre arroz, com pimenta em conserva e molho picante ao lado) a pedaços de tubarão frito (e muito mais).

Em seguida, para a sobremesa, atravessamos a rua até o Old Tiong Bahru Bak Kut Teh, onde nos sentamos na calçada em cadeiras de plástico vermelho, bebemos chá e comemos o bak kut teh homônimo do restaurante, costelas de porco cozidas em um molho apimentado e com alho caldo. Ao lado, provamos pé de porco cozido com soja clara e escura, alho, cinco especiarias em pó e açúcar.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. Sempre tenho um pacote de aletria de arroz na minha despensa (adoro a marca Kong Moon), especificamente para esse fim. Os outros princípios básicos do macarrão de Cingapura são curry em pó (qualquer variedade funciona, mas eu prefiro S & ampB Oriental Curry em pó), vegetais e ovos mexidos (tradicionalmente, este prato também contém proteínas como camarão, frango ou char siu, que omito). Você pode usar qualquer combinação de vegetais, tornando este um ótimo prato para limpar a geladeira. Cenouras, repolho, abobrinha, couve-flor, ervilhas ou basicamente qualquer coisa que possa ser fatiada em fatias finas e cozida em 3 ou 4 minutos são adequados.

Para começar, mergulhe 14 onças Arroz Vermicelli por cerca de 8–10 minutos em água quente da torneira. Enquanto isso, prepare o resto dos ingredientes. Ao fritar, é importante ter sua mise pronta antes de começar a cozinhar, para que tudo possa ser adicionado à frigideira rapidamente. Fatiar 1 cebola média (você também pode usar cebola roxa ou chalotas aqui) e coloque em uma tigela pequena. Pique finamente 1 dente de alho e adicione a uma tigela grande junto com seus vegetais preparados: Julienne 1 pimenta (qualquer cor) e 1 cenoura descascada, em seguida, corte em fatias finas 1 pequena cabeça de brócolis (caule e tudo, após descascar a parte externa do caule). Pique finamente 2 cebolinhas e prepare-os também. Agora bata 4 ovos com cerca de 1 colher de sopa de água (só para soltar) e tempere bem com sal.

Aqueça uma wok ou frigideira grande em fogo alto e regue com óleo neutro (cerca de 1 colher de sopa deve servir) e, em seguida, despeje os ovos. Trabalhando rápido, mexa os ovos até que estejam firmes (você pode deixá-los em pedaços grandes, não há necessidade de parti-los em pedaços pequenos agora) e, em seguida, retire da assadeira imediatamente e reserve.

Coloque a mesma wok ou frigideira de volta ao fogo alto. Adicione cerca de 1–2 colheres de sopa de óleo neutro e, em seguida, misture a cebola, mexa por 2 minutos ou mais, até ficar macia. Adicione o alho, todos os vegetais e tempere com sal. Frite por 3-4 minutos até que tudo esteja macio e crocante (macio, com um pouco de uma mordida). Retire da frigideira.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. Sempre tenho um pacote de aletria de arroz na minha despensa (adoro a marca Kong Moon), especificamente para esse fim. Os outros princípios básicos do macarrão de Cingapura são curry em pó (qualquer variedade funciona, mas eu prefiro S & ampB Oriental Curry em pó), vegetais e ovos mexidos (tradicionalmente, este prato também contém proteínas como camarão, frango ou char siu, que omito). Você pode usar qualquer combinação de vegetais, tornando este um ótimo prato para limpar a geladeira. Cenouras, repolho, abobrinha, couve-flor, ervilhas ou basicamente qualquer coisa que possa ser fatiada em fatias finas e cozida em 3 ou 4 minutos são adequados.

Para começar, mergulhe 14 onças Arroz Vermicelli por cerca de 8–10 minutos em água quente da torneira. Enquanto isso, prepare o resto dos ingredientes. Ao fritar, é importante ter sua mise pronta antes de começar a cozinhar, para que tudo possa ser adicionado à frigideira rapidamente. Fatiar 1 cebola média (você também pode usar cebola roxa ou chalotas aqui) e coloque em uma tigela pequena. Pique finamente 1 dente de alho e adicione a uma tigela grande junto com seus vegetais preparados: Julienne 1 pimenta (qualquer cor) e 1 cenoura descascada, em seguida, corte em fatias finas 1 pequena cabeça de brócolis (caule e tudo, após descascar a parte externa do caule). Pique finamente 2 cebolinhas e prepare-os também. Agora bata 4 ovos com cerca de 1 colher de sopa de água (só para soltar) e tempere bem com sal.

Aqueça uma wok ou frigideira grande em fogo alto e regue com óleo neutro (cerca de 1 colher de sopa deve servir) e, em seguida, despeje os ovos. Trabalhando rápido, mexa os ovos até que estejam firmes (você pode deixá-los em pedaços grandes, não há necessidade de parti-los em pedaços pequenos agora) e, em seguida, retire da assadeira imediatamente e reserve.

Coloque a mesma wok ou frigideira de volta ao fogo alto. Adicione cerca de 1–2 colheres de sopa de óleo neutro e, em seguida, misture a cebola, mexa por 2 minutos ou mais, até ficar macia. Adicione o alho, todos os vegetais e tempere com sal. Frite por 3-4 minutos até que tudo esteja macio e crocante (macio, com um pouco de uma mordida). Retire da frigideira.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. Sempre tenho um pacote de aletria de arroz na minha despensa (adoro a marca Kong Moon), especificamente para esse fim. Os outros princípios básicos do macarrão de Cingapura são curry em pó (qualquer variedade funciona, mas eu prefiro S & ampB Oriental Curry em pó), vegetais e ovos mexidos (tradicionalmente, este prato também contém proteínas como camarão, frango ou char siu, que omito). Você pode usar qualquer combinação de vegetais, tornando este um ótimo prato para limpar a geladeira. Cenouras, repolho, abobrinha, couve-flor, ervilhas ou basicamente qualquer coisa que possa ser fatiada em fatias finas e cozida em 3 ou 4 minutos são adequados.

Para começar, mergulhe 14 onças Arroz Vermicelli por cerca de 8–10 minutos em água quente da torneira. Enquanto isso, prepare o resto dos ingredientes. Ao fritar, é importante ter sua mise pronta antes de começar a cozinhar, para que tudo possa ser adicionado à frigideira rapidamente. Fatiar 1 cebola média (você também pode usar cebola roxa ou chalotas aqui) e coloque em uma tigela pequena. Pique finamente 1 dente de alho e adicione a uma tigela grande junto com seus vegetais preparados: Julienne 1 pimenta (qualquer cor) e 1 cenoura descascada, em seguida, corte em fatias finas 1 pequena cabeça de brócolis (caule e tudo, após descascar a parte externa do caule). Pique finamente 2 cebolinhas e prepare-os também. Agora bata 4 ovos com cerca de 1 colher de sopa de água (só para soltar) e tempere bem com sal.

Aqueça uma wok ou frigideira grande em fogo alto e regue com óleo neutro (cerca de 1 colher de sopa deve servir) e, em seguida, despeje os ovos. Trabalhando rápido, mexa os ovos até que estejam firmes (você pode deixá-los em pedaços grandes, não há necessidade de parti-los em pedaços pequenos agora) e, em seguida, retire da assadeira imediatamente e reserve.

Coloque a mesma wok ou frigideira de volta ao fogo alto. Adicione cerca de 1–2 colheres de sopa de óleo neutro e, em seguida, misture a cebola, mexa por 2 minutos ou mais, até ficar macia. Adicione o alho, todos os vegetais e tempere com sal. Frite por 3-4 minutos até que tudo esteja macio e crocante (macio, com um pouco de uma mordida). Retire da frigideira.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. Sempre tenho um pacote de aletria de arroz na minha despensa (adoro a marca Kong Moon), especificamente para esse fim. Os outros princípios básicos do macarrão de Cingapura são curry em pó (qualquer variedade funciona, mas eu prefiro S & ampB Oriental Curry em pó), vegetais e ovos mexidos (tradicionalmente, este prato também contém proteínas como camarão, frango ou char siu, que omito). Você pode usar qualquer combinação de vegetais, tornando este um ótimo prato para limpar a geladeira. Cenouras, repolho, abobrinha, couve-flor, ervilhas ou basicamente qualquer coisa que possa ser fatiada em fatias finas e cozida em 3 ou 4 minutos são adequados.

Para começar, mergulhe 14 onças Arroz Vermicelli por cerca de 8–10 minutos em água quente da torneira. Enquanto isso, prepare o resto dos ingredientes. Ao fritar, é importante ter sua mise pronta antes de começar a cozinhar, para que tudo possa ser adicionado à frigideira rapidamente. Fatiar 1 cebola média (você também pode usar cebola roxa ou chalotas aqui) e coloque em uma tigela pequena. Pique finamente 1 dente de alho e adicione a uma tigela grande junto com seus vegetais preparados: Julienne 1 pimenta (qualquer cor) e 1 cenoura descascada, em seguida, corte em fatias finas 1 pequena cabeça de brócolis (caule e tudo, após descascar a parte externa do caule). Pique finamente 2 cebolinhas e prepare-os também. Agora bata 4 ovos com cerca de 1 colher de sopa de água (só para soltar) e tempere bem com sal.

Aqueça uma wok ou frigideira grande em fogo alto e regue com óleo neutro (cerca de 1 colher de sopa deve servir) e, em seguida, despeje os ovos. Trabalhando rápido, mexa os ovos até que estejam firmes (você pode deixá-los em pedaços grandes, não há necessidade de parti-los em pedaços pequenos agora) e, em seguida, retire da assadeira imediatamente e reserve.

Coloque a mesma wok ou frigideira de volta ao fogo alto. Adicione cerca de 1–2 colheres de sopa de óleo neutro e, em seguida, misture a cebola, mexa por 2 minutos ou mais, até ficar macia. Adicione o alho, todos os vegetais e tempere com sal. Frite por 3-4 minutos até que tudo esteja macio e crocante (macio, com um pouco de uma mordida). Retire da frigideira.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. Sempre tenho um pacote de aletria de arroz na minha despensa (adoro a marca Kong Moon), especificamente para esse fim. Os outros princípios básicos do macarrão de Cingapura são curry em pó (qualquer variedade funciona, mas eu prefiro S & ampB Oriental Curry em pó), vegetais e ovos mexidos (tradicionalmente, este prato também contém proteínas como camarão, frango ou char siu, que omito). Você pode usar qualquer combinação de vegetais, tornando este um ótimo prato para limpar a geladeira. Cenouras, repolho, abobrinha, couve-flor, ervilhas ou basicamente qualquer coisa que possa ser fatiada em fatias finas e cozida em 3 ou 4 minutos são adequados.

Para começar, mergulhe 14 onças Arroz Vermicelli por cerca de 8–10 minutos em água quente da torneira. Enquanto isso, prepare o resto dos ingredientes. Ao fritar, é importante ter sua mise pronta antes de começar a cozinhar, para que tudo possa ser adicionado à frigideira rapidamente. Fatiar 1 cebola média (você também pode usar cebola roxa ou chalotas aqui) e coloque em uma tigela pequena. Pique finamente 1 dente de alho e adicione a uma tigela grande junto com seus vegetais preparados: Julienne 1 pimenta (qualquer cor) e 1 cenoura descascada, em seguida, corte em fatias finas 1 pequena cabeça de brócolis (caule e tudo, após descascar a parte externa do caule). Pique finamente 2 cebolinhas e prepare-os também. Agora bata 4 ovos com cerca de 1 colher de sopa de água (só para soltar) e tempere bem com sal.

Aqueça uma wok ou frigideira grande em fogo alto e regue com óleo neutro (cerca de 1 colher de sopa deve servir) e, em seguida, despeje os ovos. Trabalhando rápido, mexa os ovos até que estejam firmes (você pode deixá-los em pedaços grandes, não há necessidade de parti-los em pedaços pequenos agora) e, em seguida, retire da assadeira imediatamente e reserve.

Coloque a mesma wok ou frigideira de volta ao fogo alto. Adicione cerca de 1–2 colheres de sopa de óleo neutro e, em seguida, misture a cebola, mexa por 2 minutos ou mais, até ficar macia. Adicione o alho, todos os vegetais e tempere com sal. Frite por 3-4 minutos até que tudo esteja macio e crocante (macio, com um pouco de uma mordida). Retire da frigideira.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. Sempre tenho um pacote de aletria de arroz na minha despensa (adoro a marca Kong Moon), especificamente para esse fim. Os outros princípios básicos do macarrão de Cingapura são curry em pó (qualquer variedade funciona, mas eu prefiro S & ampB Oriental Curry em pó), vegetais e ovos mexidos (tradicionalmente, este prato também contém proteínas como camarão, frango ou char siu, que omito). Você pode usar qualquer combinação de vegetais, tornando este um ótimo prato para limpar a geladeira. Cenouras, repolho, abobrinha, couve-flor, ervilhas ou basicamente qualquer coisa que possa ser fatiada em fatias finas e cozida em 3 ou 4 minutos são adequados.

Para começar, mergulhe 14 onças Arroz Vermicelli por cerca de 8–10 minutos em água quente da torneira. Enquanto isso, prepare o resto dos ingredientes. Ao fritar, é importante ter sua mise pronta antes de começar a cozinhar, para que tudo possa ser adicionado à frigideira rapidamente. Fatiar 1 cebola média (você também pode usar cebola roxa ou chalotas aqui) e coloque em uma tigela pequena. Pique finamente 1 dente de alho e adicione a uma tigela grande junto com seus vegetais preparados: Julienne 1 pimenta (qualquer cor) e 1 cenoura descascada, em seguida, corte em fatias finas 1 pequena cabeça de brócolis (caule e tudo, após descascar a parte externa do caule). Pique finamente 2 cebolinhas e prepare-os também. Agora bata 4 ovos com cerca de 1 colher de sopa de água (só para soltar) e tempere bem com sal.

Aqueça uma wok ou frigideira grande em fogo alto e regue com óleo neutro (cerca de 1 colher de sopa deve servir) e, em seguida, despeje os ovos. Trabalhando rápido, mexa os ovos até que estejam firmes (você pode deixá-los em pedaços grandes, não há necessidade de parti-los em pedaços pequenos agora) e, em seguida, retire da assadeira imediatamente e reserve.

Coloque a mesma wok ou frigideira de volta ao fogo alto. Adicione cerca de 1–2 colheres de sopa de óleo neutro e, em seguida, misture a cebola, mexa por 2 minutos ou mais, até ficar macia. Adicione o alho, todos os vegetais e tempere com sal. Frite por 3-4 minutos até que tudo esteja macio e crocante (macio, com um pouco de uma mordida). Retire da frigideira.


O macarrão de Cingapura é consumido imediatamente (que não apresenta problemas)

A única coisa melhor do que uma boa receita? Quando algo é tão fácil de fazer que você nem mesmo precisa de um. Bem-vindo ao It & # x27s That Simple, uma coluna onde falamos sobre o processo de preparação dos pratos e bebidas que podemos fazer de olhos fechados.

Quando eu era adolescente, visitei Cingapura com minha mãe e sua família estendida em uma daquelas férias clássicas mal concebidas, em que todas as atividades turísticas eram misturadas com brigas e divergências. Estressado pelo drama familiar, me consolava com a comida e encontrava consolo no extenso buffet de café da manhã do hotel. Foi aqui que conheci e me apaixonei pelo macarrão de Cingapura.

Embora tenha o nome de Cingapura, este prato na verdade não se originou lá. Acredita-se que foi criado em Hong Kong e faz parte dos menus de restaurantes que servem cozinha cantonesa. Minha mãe, que faz macarrão de Cingapura com frequência, humildemente se gaba de que o dela é mais “sedoso” do que o que encontraríamos nos restaurantes. O macarrão de Cingapura é fortemente temperado com curry em pó, que pode criar uma sensação na boca arenosa ou granulosa. Seu “segredo” não tão secreto é fazer florescer o curry em pó no óleo, ampliando assim seu sabor e induzindo-o a uma textura lisa, antes de adicionar o macarrão à panela.

Embora o macarrão de Cingapura seja um prato extremamente satisfatório, tradicionalmente comido no café da manhã ou no almoço, ele também serve para um jantar rápido e descomplicado em minha casa. I always have a packet of rice vermicelli in my pantry (I love Kong Moon brand), specifically for this purpose. The other basic tenets of Singapore noodles are curry powder (any variety works but I prefer S&B Oriental Curry powder), vegetables, and scrambled eggs (traditionally, this dish also features protein such as shrimp, chicken or char siu, which I omit). You can use any combination of vegetables, making this a great fridge clean-out dish. Carrots, cabbage, zucchini, cauliflower, snow peas, or basically anything that can be thinly sliced and cooked in 3 or 4 minutes are all suitable.

To start, soak 14 onças rice vermicelli for about 8–10 minutes in hot tap water. While those soak, prep the rest of the ingredients. When stir-frying, it’s important to have your mise ready to go before you start cooking so that everything can be added to the pan quickly. Slice 1 medium onion (you can also use red onion or shallots here) and place in a small bowl. Finely chop 1 dente de alho and add this to a large bowl along with your prepped vegetables: Julienne 1 pepper (any color) and 1 peeled carrot, then thinly slice 1 small head of broccoli (stem and all, after peeling the outer part of the stalk). Finely chop 2 scallions and have these ready too. Now, beat 4 ovos with about 1 tablespoon or so of water (just to loosen it up) and season well with salt.

Heat a wok or large skillet on high heat, and then drizzle with neutral oil (about 1 tablespoon should do) and then pour in the eggs. Working quickly, scramble the eggs until they are just set (you can leave it in large chunks, no need to break it up into small pieces right now) and then remove from the pan immediately and set aside.

Place the same wok or skillet back on high heat. Add about 1–2 tablespoons neutral oil and then toss in the onion, stir for 2 minutes or so, until softened. Add the garlic, all the vegetables, and season with salt. Stir-fry for 3–4 minutes until everything is crisp-tender (soft, with a bit of a bite). Remove from the skillet.


Singapore Noodles Are Best Eaten Immediately (Which Presents No Issues)

The only thing better than a good recipe? When something's so easy to make that you don't even need one. Welcome to It's That Simple, a column where we talk you through the process of making the dishes and drinks we can make with our eyes closed.

When I was a teenager, I visited Singapore with my mother and her extended family on one of those classic ill-conceived vacations where every sight-seeing activity was laced with bickering and dissent. Stressed by the family drama, I consoled myself in food and found solace in our hotel’s sprawling buffet breakfast. This is where I met and fell in love with Singapore noodles.

While named after Singapore, this dish didn’t actually originate there. It is believed to have been created in Hong Kong and is a fixture on restaurant menus serving Cantonese cuisine. My mother, who makes Singapore noodles often, humbly brags that hers is “silkier” than what we would find at restaurants. Singapore noodles are heavily seasoned in curry powder, which can create a mouthfeel that is gritty or grainy. Her not-so-secret “secret” is to bloom the curry powder in the oil, thus amplifying its flavor and coaxing it into a smooth texture, prior to adding noodles to the pan.

While Singapore noodles is a tremendously satisfying dish traditionally eaten for breakfast or lunch, it also makes a quick and fuss-free dinner at my house. I always have a packet of rice vermicelli in my pantry (I love Kong Moon brand), specifically for this purpose. The other basic tenets of Singapore noodles are curry powder (any variety works but I prefer S&B Oriental Curry powder), vegetables, and scrambled eggs (traditionally, this dish also features protein such as shrimp, chicken or char siu, which I omit). You can use any combination of vegetables, making this a great fridge clean-out dish. Carrots, cabbage, zucchini, cauliflower, snow peas, or basically anything that can be thinly sliced and cooked in 3 or 4 minutes are all suitable.

To start, soak 14 onças rice vermicelli for about 8–10 minutes in hot tap water. While those soak, prep the rest of the ingredients. When stir-frying, it’s important to have your mise ready to go before you start cooking so that everything can be added to the pan quickly. Slice 1 medium onion (you can also use red onion or shallots here) and place in a small bowl. Finely chop 1 dente de alho and add this to a large bowl along with your prepped vegetables: Julienne 1 pepper (any color) and 1 peeled carrot, then thinly slice 1 small head of broccoli (stem and all, after peeling the outer part of the stalk). Finely chop 2 scallions and have these ready too. Now, beat 4 ovos with about 1 tablespoon or so of water (just to loosen it up) and season well with salt.

Heat a wok or large skillet on high heat, and then drizzle with neutral oil (about 1 tablespoon should do) and then pour in the eggs. Working quickly, scramble the eggs until they are just set (you can leave it in large chunks, no need to break it up into small pieces right now) and then remove from the pan immediately and set aside.

Place the same wok or skillet back on high heat. Add about 1–2 tablespoons neutral oil and then toss in the onion, stir for 2 minutes or so, until softened. Add the garlic, all the vegetables, and season with salt. Stir-fry for 3–4 minutes until everything is crisp-tender (soft, with a bit of a bite). Remove from the skillet.


Singapore Noodles Are Best Eaten Immediately (Which Presents No Issues)

The only thing better than a good recipe? When something's so easy to make that you don't even need one. Welcome to It's That Simple, a column where we talk you through the process of making the dishes and drinks we can make with our eyes closed.

When I was a teenager, I visited Singapore with my mother and her extended family on one of those classic ill-conceived vacations where every sight-seeing activity was laced with bickering and dissent. Stressed by the family drama, I consoled myself in food and found solace in our hotel’s sprawling buffet breakfast. This is where I met and fell in love with Singapore noodles.

While named after Singapore, this dish didn’t actually originate there. It is believed to have been created in Hong Kong and is a fixture on restaurant menus serving Cantonese cuisine. My mother, who makes Singapore noodles often, humbly brags that hers is “silkier” than what we would find at restaurants. Singapore noodles are heavily seasoned in curry powder, which can create a mouthfeel that is gritty or grainy. Her not-so-secret “secret” is to bloom the curry powder in the oil, thus amplifying its flavor and coaxing it into a smooth texture, prior to adding noodles to the pan.

While Singapore noodles is a tremendously satisfying dish traditionally eaten for breakfast or lunch, it also makes a quick and fuss-free dinner at my house. I always have a packet of rice vermicelli in my pantry (I love Kong Moon brand), specifically for this purpose. The other basic tenets of Singapore noodles are curry powder (any variety works but I prefer S&B Oriental Curry powder), vegetables, and scrambled eggs (traditionally, this dish also features protein such as shrimp, chicken or char siu, which I omit). You can use any combination of vegetables, making this a great fridge clean-out dish. Carrots, cabbage, zucchini, cauliflower, snow peas, or basically anything that can be thinly sliced and cooked in 3 or 4 minutes are all suitable.

To start, soak 14 onças rice vermicelli for about 8–10 minutes in hot tap water. While those soak, prep the rest of the ingredients. When stir-frying, it’s important to have your mise ready to go before you start cooking so that everything can be added to the pan quickly. Slice 1 medium onion (you can also use red onion or shallots here) and place in a small bowl. Finely chop 1 dente de alho and add this to a large bowl along with your prepped vegetables: Julienne 1 pepper (any color) and 1 peeled carrot, then thinly slice 1 small head of broccoli (stem and all, after peeling the outer part of the stalk). Finely chop 2 scallions and have these ready too. Now, beat 4 ovos with about 1 tablespoon or so of water (just to loosen it up) and season well with salt.

Heat a wok or large skillet on high heat, and then drizzle with neutral oil (about 1 tablespoon should do) and then pour in the eggs. Working quickly, scramble the eggs until they are just set (you can leave it in large chunks, no need to break it up into small pieces right now) and then remove from the pan immediately and set aside.

Place the same wok or skillet back on high heat. Add about 1–2 tablespoons neutral oil and then toss in the onion, stir for 2 minutes or so, until softened. Add the garlic, all the vegetables, and season with salt. Stir-fry for 3–4 minutes until everything is crisp-tender (soft, with a bit of a bite). Remove from the skillet.


Singapore Noodles Are Best Eaten Immediately (Which Presents No Issues)

The only thing better than a good recipe? When something's so easy to make that you don't even need one. Welcome to It's That Simple, a column where we talk you through the process of making the dishes and drinks we can make with our eyes closed.

When I was a teenager, I visited Singapore with my mother and her extended family on one of those classic ill-conceived vacations where every sight-seeing activity was laced with bickering and dissent. Stressed by the family drama, I consoled myself in food and found solace in our hotel’s sprawling buffet breakfast. This is where I met and fell in love with Singapore noodles.

While named after Singapore, this dish didn’t actually originate there. It is believed to have been created in Hong Kong and is a fixture on restaurant menus serving Cantonese cuisine. My mother, who makes Singapore noodles often, humbly brags that hers is “silkier” than what we would find at restaurants. Singapore noodles are heavily seasoned in curry powder, which can create a mouthfeel that is gritty or grainy. Her not-so-secret “secret” is to bloom the curry powder in the oil, thus amplifying its flavor and coaxing it into a smooth texture, prior to adding noodles to the pan.

While Singapore noodles is a tremendously satisfying dish traditionally eaten for breakfast or lunch, it also makes a quick and fuss-free dinner at my house. I always have a packet of rice vermicelli in my pantry (I love Kong Moon brand), specifically for this purpose. The other basic tenets of Singapore noodles are curry powder (any variety works but I prefer S&B Oriental Curry powder), vegetables, and scrambled eggs (traditionally, this dish also features protein such as shrimp, chicken or char siu, which I omit). You can use any combination of vegetables, making this a great fridge clean-out dish. Carrots, cabbage, zucchini, cauliflower, snow peas, or basically anything that can be thinly sliced and cooked in 3 or 4 minutes are all suitable.

To start, soak 14 onças rice vermicelli for about 8–10 minutes in hot tap water. While those soak, prep the rest of the ingredients. When stir-frying, it’s important to have your mise ready to go before you start cooking so that everything can be added to the pan quickly. Slice 1 medium onion (you can also use red onion or shallots here) and place in a small bowl. Finely chop 1 dente de alho and add this to a large bowl along with your prepped vegetables: Julienne 1 pepper (any color) and 1 peeled carrot, then thinly slice 1 small head of broccoli (stem and all, after peeling the outer part of the stalk). Finely chop 2 scallions and have these ready too. Now, beat 4 ovos with about 1 tablespoon or so of water (just to loosen it up) and season well with salt.

Heat a wok or large skillet on high heat, and then drizzle with neutral oil (about 1 tablespoon should do) and then pour in the eggs. Working quickly, scramble the eggs until they are just set (you can leave it in large chunks, no need to break it up into small pieces right now) and then remove from the pan immediately and set aside.

Place the same wok or skillet back on high heat. Add about 1–2 tablespoons neutral oil and then toss in the onion, stir for 2 minutes or so, until softened. Add the garlic, all the vegetables, and season with salt. Stir-fry for 3–4 minutes until everything is crisp-tender (soft, with a bit of a bite). Remove from the skillet.


Assista o vídeo: Indian Street Food - SCRAMBLED EGGS PIZZA Mumbai Hyderabad India (Fevereiro 2023).