Novas receitas

Não coma na escadaria da igreja em Florença, a menos que queira um banho

Não coma na escadaria da igreja em Florença, a menos que queira um banho



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Florença começará a lavar as catedrais todos os dias na hora do almoço

Wikimedia / Luca Aless

A cidade de Florença decidiu começar a lavar os degraus da catedral durante a hora do almoço, na tentativa de fazer os turistas pararem de fazer piqueniques indesejáveis.

Florença tem uma série de belas e históricas catedrais, e por anos essas catedrais têm atraído muitos turistas e convidados religiosos, e muitos turistas que fazem lanches no caminho e usam os locais religiosos como locais de piquenique. A cidade tem tentado fazer com que as pessoas parem de comer nos degraus da catedral, e agora eles estão criando uma nova técnica: eles estão borrifando água nos degraus para encorajar os piqueniques a ir para outro lugar.

De acordo com o The Local, Dario Nardella, o prefeito de Florença, anunciou na semana passada que a cidade iria começar a lavar os degraus da igreja na hora do almoço na esperança de que os turistas vão para outro lugar para comer.

“A partir de hoje, estaremos experimentando uma medida muito simples: derramar água sobre os degraus da igreja para limpar os espaços e, esperançosamente, desencorajar as pessoas de comer, beber e fazer bagunça lá”, disse Nardella. "Se os turistas quiserem sentar lá, eles vão se molhar."

Posteriormente, o prefeito especificou que a cidade não estaria borrifando as pessoas com mangueiras de água. Eles vão começar a lavar os degraus da catedral durante a hora do almoço e, como as pessoas não podem sentar nos degraus enquanto estão sendo limpos, a cidade espera que os piqueniques se dispersem.

Roma já havia começado a impor multas às pessoas por comerem em áreas históricas, mas o prefeito de Florença disse que essa opção era um pouco mais amigável, mas esperançosamente tão eficaz quanto.


Informações sobre a reabertura de Massachusetts

Reabertura de Massachusetts foi a abordagem de quatro fases para reabrir com responsabilidade a economia de Massachusetts em meio à pandemia COVID-19. O objetivo da reabertura em fases, com base nas orientações de saúde pública, era permitir progressivamente a retomada de negócios, serviços e atividades, protegendo a saúde pública e limitando o ressurgimento de novos casos COVID-19. O plano se concentrava em Padrões Obrigatórios de Segurança no Trabalho que se aplicavam a todos os setores e empresas, bem como em protocolos específicos do setor adaptados a setores e atividades individuais. Cada fase da reabertura foi orientada por dados de saúde pública e indicadores-chave que foram continuamente monitorados para o progresso e foram usados ​​para determinar o avanço para as fases futuras. Indústrias, setores e atividades que apresentavam menor risco foram autorizados a reabrir em fases anteriores. Aqueles que apresentaram maior risco abriram em fases posteriores. Para reabrir, as empresas foram solicitadas a desenvolver um Plano de Controle do COVID-19 por escrito, delineando planos para evitar a disseminação do COVID-19 entre os trabalhadores e clientes.

O plano foi desenvolvido por um Conselho Consultivo de Reabertura de 17 membros, co-presidido pela Vice-Governadora Karyn Polito e pelo Secretário de Habitação e Desenvolvimento Econômico Mike Kennealy, que incluiu especialistas em saúde pública, líderes municipais e membros da comunidade empresarial que representam muitas facetas de Massachusetts economia. O Conselho se reuniu com um total de 75 grupos de partes interessadas, desde associações industriais, câmaras regionais de comércio, coalizões comunitárias e organizações trabalhistas, representando mais de 112.000 empresas diferentes e mais de dois milhões de trabalhadores em toda a Comunidade. O Conselho Consultivo de Reabertura também considerou comentários escritos de mais de 4.500 empregadores, organizações e indivíduos no desenvolvimento de seu plano.

Fase I (“Iniciar”) do plano começou em 18 de maio de 2020 e permitiu a reabertura de fábricas, canteiros de obras e locais de culto. Hospitais e centros de saúde comunitários puderam começar a fornecer cuidados preventivos de alta prioridade, cuidados pediátricos e tratamento para pacientes de alto risco. Sob uma abordagem escalonada, setores adicionais da Fase 1 da economia foram autorizados a abrir a partir de 25 de maio, incluindo espaço de laboratório, espaço de escritório, serviços pessoais limitados (incluindo cabeleireiros, cuidados com animais de estimação, lavagens de carros, e os varejistas podem oferecer atendimento remoto e coleta na calçada para todos os varejistas).

Massachusetts mudou-se para Fase 2 (“Cauteloso”) em junho, permitindo a reabertura de negócios adicionais de menor risco, incluindo varejo, creches, restaurantes (com serviço de mesa ao ar livre apenas), hotéis e outros alojamentos, serviços pessoais sem contato físico próximo, esportes amadores para jovens e adultos e escolas de direção e vôo. Na Etapa 2 da Fase II, os restaurantes foram autorizados a abrir para serviço de mesa interna, serviços pessoais de contato próximo, incluindo cuidados com as unhas, cuidados com a pele, massagem terapêutica e treinamento pessoal. Os prestadores de cuidados de saúde também retomaram progressivamente os procedimentos e serviços eletivos não urgentes em pessoa, incluindo consultas de rotina ao consultório, visitas ao dentista e cuidados oftalmológicos, sujeitos ao cumprimento das normas de saúde e segurança públicas.

Em 6 de julho, a Commonwealth procedeu a Fase III (“Vigilante”) com base em um declínio sustentado nos principais dados de saúde pública, como novos casos e hospitalizações. Foi permitida a abertura de uma ampla gama de setores, novamente sujeitos ao cumprimento de regras específicas da indústria relativas à capacidade e às operações. Os setores da Fase III, Etapa 1 incluíram cinemas e locais de espetáculos ao ar livre, museus, centros de fitness e centros de saúde culturais e históricos, certas atividades recreativas internas com baixo potencial de contato e equipes esportivas profissionais (sem espectadores) tornaram-se elegíveis para reabertura. Em outubro, foi permitida a abertura de locais para apresentações internas e algumas indústrias viram seus limites de capacidade aumentarem.

Um aumento em novas infecções e hospitalizações por COVID-19 após o feriado de Ação de Graças, que coincidiu com um aumento global do vírus, precipitou novas restrições estaduais de capacidade, mascaramento de conformidade e distanciamento. Essas reduções temporárias nas capacidades internas em uma ampla gama de setores da economia, bem como o endurecimento de várias outras restrições ao local de trabalho, foram projetadas para prevenir infecções e disseminação viral.

Com as métricas de saúde pública continuando a apresentar uma tendência positiva, incluindo quedas na média de casos diários de COVID e hospitalizações, e as taxas de vacinação continuando a aumentar, Massachusetts mudou-se para Fase IV (“Novo Normal”) em 22 de março de 2021, com estádios internos e externos, arenas e estádios com permissão para abrir com 12 por cento da capacidade, e salas de exposições e convenções também começando a funcionar. Indústrias adicionais, como parques de diversões, parques temáticos e parques aquáticos ao ar livre foram inauguradas em 10 de maio, junto com corridas de rua e outros grandes eventos esportivos de grupos amadores ou profissionais organizados ao ar livre.

O plano de reabertura exigia o fim das restrições quando as vacinas se tornassem amplamente disponíveis e, a partir de 29 de maio de 2021, todas as indústrias pudessem abrir. Com exceção dos requisitos de cobertura facial restantes para sistemas de transporte público e privado e instalações que abrigam populações vulneráveis, todas as restrições do setor também foram suspensas e a capacidade aumentou para 100% para todos os setores. Todas as indústrias são incentivadas a seguir as orientações do CDC para os protocolos de limpeza e higiene.


Informações sobre a reabertura de Massachusetts

Reabertura de Massachusetts foi a abordagem de quatro fases para reabrir com responsabilidade a economia de Massachusetts em meio à pandemia COVID-19. O objetivo da reabertura em fases, com base nas orientações de saúde pública, era permitir progressivamente a retomada de negócios, serviços e atividades, protegendo a saúde pública e limitando o ressurgimento de novos casos COVID-19. O plano se concentrava em Padrões Obrigatórios de Segurança no Trabalho que se aplicavam a todos os setores e empresas, bem como em protocolos específicos do setor adaptados a setores e atividades individuais. Cada fase da reabertura foi orientada por dados de saúde pública e indicadores-chave que foram continuamente monitorados para o progresso e foram usados ​​para determinar o avanço para as fases futuras. Indústrias, setores e atividades que apresentavam menor risco foram autorizados a reabrir em fases anteriores. Aqueles que apresentaram maior risco abriram em fases posteriores. Para reabrir, as empresas foram solicitadas a desenvolver um Plano de Controle do COVID-19 por escrito, delineando planos para evitar a disseminação do COVID-19 entre os trabalhadores e clientes.

O plano foi desenvolvido por um Conselho Consultivo de Reabertura de 17 membros, co-presidido pela Vice-Governadora Karyn Polito e pelo Secretário de Habitação e Desenvolvimento Econômico Mike Kennealy, que incluiu especialistas em saúde pública, líderes municipais e membros da comunidade empresarial que representam muitas facetas de Massachusetts economia. O Conselho se reuniu com um total de 75 grupos de partes interessadas, desde associações industriais, câmaras regionais de comércio, coalizões comunitárias e organizações trabalhistas, representando mais de 112.000 empresas diferentes e mais de dois milhões de trabalhadores em toda a Comunidade. O Conselho Consultivo de Reabertura também considerou comentários escritos de mais de 4.500 empregadores, organizações e indivíduos no desenvolvimento de seu plano.

Fase I (“Iniciar”) do plano começou em 18 de maio de 2020 e permitiu a reabertura de fábricas, canteiros de obras e locais de culto. Hospitais e centros de saúde comunitários puderam começar a fornecer cuidados preventivos de alta prioridade, cuidados pediátricos e tratamento para pacientes de alto risco. Sob uma abordagem escalonada, setores adicionais da Fase 1 da economia foram autorizados a abrir a partir de 25 de maio, incluindo espaço de laboratório, espaço de escritório, serviços pessoais limitados (incluindo cabeleireiros, cuidados com animais de estimação, lavagens de carros, e os varejistas podem oferecer atendimento remoto e coleta na calçada para todos os varejistas).

Massachusetts mudou-se para Fase 2 (“Cauteloso”) em junho, permitindo a reabertura de negócios adicionais de menor risco, incluindo varejo, creches, restaurantes (com serviço de mesa ao ar livre apenas), hotéis e outros alojamentos, serviços pessoais sem contato físico próximo, esportes amadores para jovens e adultos e escolas de direção e vôo. Na Etapa 2 da Fase II, os restaurantes foram autorizados a abrir para serviço de mesa interna, serviços pessoais de contato próximo, incluindo cuidados com as unhas, cuidados com a pele, massagem terapêutica e treinamento pessoal. Os prestadores de cuidados de saúde também retomaram progressivamente os procedimentos e serviços eletivos não urgentes em pessoa, incluindo consultas de rotina ao consultório, visitas ao dentista e cuidados oftalmológicos, sujeitos ao cumprimento das normas de saúde e segurança públicas.

Em 6 de julho, a Commonwealth procedeu a Fase III (“Vigilante”) com base em um declínio sustentado nos principais dados de saúde pública, como novos casos e hospitalizações. Foi permitida a abertura de uma ampla gama de setores, novamente sujeitos ao cumprimento de regras específicas da indústria relativas à capacidade e às operações. Os setores da Fase III, Etapa 1 incluíram cinemas e locais de espetáculos ao ar livre, museus, centros de fitness e centros de saúde culturais e históricos, certas atividades recreativas internas com baixo potencial de contato e equipes esportivas profissionais (sem espectadores) tornaram-se elegíveis para reabertura. Em outubro, foi permitida a abertura de locais para apresentações internas e algumas indústrias viram seus limites de capacidade aumentarem.

Um aumento em novas infecções e hospitalizações por COVID-19 após o feriado de Ação de Graças, que coincidiu com um aumento global do vírus, precipitou novas restrições estaduais de capacidade, mascaramento de conformidade e distanciamento. Essas reduções temporárias nas capacidades internas em uma ampla gama de setores da economia, bem como o endurecimento de várias outras restrições ao local de trabalho, foram projetadas para prevenir infecções e disseminação viral.

Com as métricas de saúde pública continuando a apresentar uma tendência positiva, incluindo quedas na média de casos diários de COVID e hospitalizações, e as taxas de vacinação continuando a aumentar, Massachusetts mudou-se para Fase IV (“Novo Normal”) em 22 de março de 2021, com estádios internos e externos, arenas e estádios com permissão para abrir com 12 por cento da capacidade, e salas de exposições e convenções também começando a funcionar. Indústrias adicionais, como parques de diversões, parques temáticos e parques aquáticos ao ar livre foram inauguradas em 10 de maio, junto com corridas de rua e outros grandes eventos esportivos de grupos amadores ou profissionais organizados ao ar livre.

O plano de reabertura exigia o fim das restrições quando as vacinas se tornassem amplamente disponíveis e, a partir de 29 de maio de 2021, todas as indústrias pudessem abrir. Com exceção dos requisitos de cobertura facial restantes para sistemas de transporte público e privado e instalações que abrigam populações vulneráveis, todas as restrições do setor também foram suspensas e a capacidade aumentou para 100% para todos os setores. Todas as indústrias são incentivadas a seguir as orientações do CDC para os protocolos de limpeza e higiene.


Informações sobre a reabertura de Massachusetts

Reabertura de Massachusetts foi a abordagem de quatro fases para reabrir com responsabilidade a economia de Massachusetts em meio à pandemia COVID-19. O objetivo da reabertura em fases, com base nas orientações de saúde pública, era permitir progressivamente a retomada de negócios, serviços e atividades, protegendo a saúde pública e limitando o ressurgimento de novos casos COVID-19. O plano se concentrava em Padrões Obrigatórios de Segurança no Trabalho que se aplicavam a todos os setores e empresas, bem como em protocolos específicos do setor adaptados a setores e atividades individuais. Cada fase da reabertura foi orientada por dados de saúde pública e indicadores-chave que foram continuamente monitorados para o progresso e foram usados ​​para determinar o avanço para as fases futuras. Indústrias, setores e atividades que apresentavam menor risco foram autorizados a reabrir em fases anteriores. Aqueles que apresentaram maior risco abriram em fases posteriores. Para reabrir, as empresas foram solicitadas a desenvolver um Plano de Controle do COVID-19 por escrito, delineando planos para evitar a disseminação do COVID-19 entre os trabalhadores e clientes.

O plano foi desenvolvido por um Conselho Consultivo de Reabertura de 17 membros, co-presidido pela Vice-Governadora Karyn Polito e pelo Secretário de Habitação e Desenvolvimento Econômico Mike Kennealy, que incluiu especialistas em saúde pública, líderes municipais e membros da comunidade empresarial que representam muitas facetas de Massachusetts economia. O Conselho se reuniu com um total de 75 grupos de partes interessadas, desde associações industriais, câmaras regionais de comércio, coalizões comunitárias e organizações trabalhistas, representando mais de 112.000 empresas diferentes e mais de dois milhões de trabalhadores em toda a Comunidade. O Conselho Consultivo de Reabertura também considerou comentários escritos de mais de 4.500 empregadores, organizações e indivíduos no desenvolvimento de seu plano.

Fase I (“Iniciar”) do plano começou em 18 de maio de 2020 e permitiu a reabertura de fábricas, canteiros de obras e locais de culto. Hospitais e centros de saúde comunitários puderam começar a fornecer cuidados preventivos de alta prioridade, cuidados pediátricos e tratamento para pacientes de alto risco. Sob uma abordagem escalonada, setores adicionais da Fase 1 da economia foram autorizados a abrir a partir de 25 de maio, incluindo espaço de laboratório, espaço de escritório, serviços pessoais limitados (incluindo cabeleireiros, cuidados com animais de estimação, lavagens de carros, e os varejistas podem oferecer atendimento remoto e coleta na calçada para todos os varejistas).

Massachusetts mudou-se para Fase 2 (“Cauteloso”) em junho, permitindo a reabertura de negócios adicionais de menor risco, incluindo varejo, creches, restaurantes (com serviço de mesa ao ar livre apenas), hotéis e outros alojamentos, serviços pessoais sem contato físico próximo, esportes amadores para jovens e adultos e escolas de direção e vôo. Na Etapa 2 da Fase II, os restaurantes foram autorizados a abrir para serviço de mesa interna, serviços pessoais de contato próximo, incluindo cuidados com as unhas, cuidados com a pele, massagem terapêutica e treinamento pessoal. Os prestadores de cuidados de saúde também retomaram progressivamente os procedimentos e serviços eletivos não urgentes em pessoa, incluindo consultas de rotina ao consultório, visitas ao dentista e cuidados oftalmológicos, sujeitos ao cumprimento das normas de saúde e segurança públicas.

Em 6 de julho, a Commonwealth procedeu a Fase III (“Vigilante”) com base em um declínio sustentado nos principais dados de saúde pública, como novos casos e hospitalizações. Foi permitida a abertura de uma ampla gama de setores, novamente sujeitos ao cumprimento de regras específicas da indústria relativas à capacidade e às operações. Os setores da Fase III, Etapa 1 incluíram cinemas e locais de espetáculos ao ar livre, museus, centros de fitness e centros de saúde culturais e históricos, certas atividades recreativas internas com baixo potencial de contato e equipes esportivas profissionais (sem espectadores) tornaram-se elegíveis para reabertura. Em outubro, foi permitida a abertura de locais para apresentações internas e algumas indústrias viram seus limites de capacidade aumentarem.

Um aumento em novas infecções e hospitalizações por COVID-19 após o feriado de Ação de Graças, que coincidiu com um aumento global do vírus, precipitou novas restrições estaduais de capacidade, mascaramento de conformidade e distanciamento. Essas reduções temporárias nas capacidades internas em uma ampla gama de setores da economia, bem como o endurecimento de várias outras restrições ao local de trabalho, foram projetadas para prevenir infecções e disseminação viral.

Com as métricas de saúde pública continuando a apresentar uma tendência positiva, incluindo quedas na média de casos diários de COVID e hospitalizações, e as taxas de vacinação continuando a aumentar, Massachusetts mudou-se para Fase IV (“Novo Normal”) em 22 de março de 2021, com estádios internos e externos, arenas e estádios com permissão para abrir com 12 por cento da capacidade, e salas de exposições e convenções também começando a funcionar. Indústrias adicionais, como parques de diversões, parques temáticos e parques aquáticos ao ar livre foram inauguradas em 10 de maio, junto com corridas de rua e outros grandes eventos esportivos de grupos amadores ou profissionais organizados ao ar livre.

O plano de reabertura exigia o fim das restrições quando as vacinas se tornassem amplamente disponíveis e, a partir de 29 de maio de 2021, todas as indústrias pudessem abrir. Com exceção dos requisitos de cobertura facial restantes para sistemas de transporte público e privado e instalações que abrigam populações vulneráveis, todas as restrições do setor também foram suspensas e a capacidade aumentou para 100% para todos os setores. Todas as indústrias são incentivadas a seguir as orientações do CDC para os protocolos de limpeza e higiene.


Informações sobre a reabertura de Massachusetts

Reabertura de Massachusetts foi a abordagem de quatro fases para reabrir com responsabilidade a economia de Massachusetts em meio à pandemia COVID-19. O objetivo da reabertura em fases, com base nas orientações de saúde pública, era permitir progressivamente a retomada de negócios, serviços e atividades, protegendo a saúde pública e limitando o ressurgimento de novos casos COVID-19. O plano se concentrava em Padrões Obrigatórios de Segurança no Trabalho que se aplicavam a todos os setores e empresas, bem como em protocolos específicos do setor adaptados a setores e atividades individuais. Cada fase da reabertura foi orientada por dados de saúde pública e indicadores-chave que foram continuamente monitorados para o progresso e foram usados ​​para determinar o avanço para as fases futuras. Indústrias, setores e atividades que apresentavam menor risco foram autorizados a reabrir em fases anteriores. Aqueles que apresentaram maior risco abriram em fases posteriores. Para reabrir, as empresas foram solicitadas a desenvolver um Plano de Controle do COVID-19 por escrito, delineando planos para evitar a disseminação do COVID-19 entre os trabalhadores e clientes.

O plano foi desenvolvido por um Conselho Consultivo de Reabertura de 17 membros, co-presidido pela Vice-Governadora Karyn Polito e pelo Secretário de Habitação e Desenvolvimento Econômico Mike Kennealy, que incluiu especialistas em saúde pública, líderes municipais e membros da comunidade empresarial que representam muitas facetas de Massachusetts economia. O Conselho se reuniu com um total de 75 grupos de partes interessadas, desde associações industriais, câmaras regionais de comércio, coalizões comunitárias e organizações trabalhistas, representando mais de 112.000 empresas diferentes e mais de dois milhões de trabalhadores em toda a Comunidade. O Conselho Consultivo de Reabertura também considerou comentários escritos de mais de 4.500 empregadores, organizações e indivíduos no desenvolvimento de seu plano.

Fase I (“Iniciar”) do plano começou em 18 de maio de 2020 e permitiu a reabertura de fábricas, canteiros de obras e locais de culto. Hospitais e centros de saúde comunitários puderam começar a fornecer cuidados preventivos de alta prioridade, cuidados pediátricos e tratamento para pacientes de alto risco. Sob uma abordagem escalonada, setores adicionais da Fase 1 da economia foram autorizados a abrir a partir de 25 de maio, incluindo espaço de laboratório, espaço de escritório, serviços pessoais limitados (incluindo cabeleireiros, cuidados com animais de estimação, lavagens de carros, e os varejistas podem oferecer atendimento remoto e coleta na calçada para todos os varejistas).

Massachusetts mudou-se para Fase 2 (“Cauteloso”) em junho, permitindo a reabertura de negócios adicionais de menor risco, incluindo varejo, creches, restaurantes (com serviço de mesa ao ar livre apenas), hotéis e outros alojamentos, serviços pessoais sem contato físico próximo, esportes amadores para jovens e adultos e escolas de direção e vôo. Na Etapa 2 da Fase II, os restaurantes foram autorizados a abrir para serviço de mesa interna, serviços pessoais de contato próximo, incluindo cuidados com as unhas, cuidados com a pele, massagem terapêutica e treinamento pessoal. Os prestadores de cuidados de saúde também retomaram progressivamente os procedimentos e serviços eletivos não urgentes em pessoa, incluindo consultas de rotina ao consultório, visitas ao dentista e cuidados oftalmológicos, sujeitos ao cumprimento das normas de saúde e segurança públicas.

Em 6 de julho, a Commonwealth procedeu a Fase III (“Vigilante”) com base em um declínio sustentado nos principais dados de saúde pública, como novos casos e hospitalizações. Foi permitida a abertura de uma ampla gama de setores, novamente sujeitos ao cumprimento de regras específicas da indústria relativas à capacidade e às operações. Os setores da Fase III, Etapa 1 incluíram cinemas e locais de espetáculos ao ar livre, museus, centros de fitness e centros de saúde culturais e históricos, certas atividades recreativas internas com baixo potencial de contato e equipes esportivas profissionais (sem espectadores) tornaram-se elegíveis para reabertura. Em outubro, foi permitida a abertura de locais para apresentações internas e algumas indústrias viram seus limites de capacidade aumentarem.

Um aumento em novas infecções e hospitalizações por COVID-19 após o feriado de Ação de Graças, que coincidiu com um aumento global do vírus, precipitou novas restrições estaduais de capacidade, mascaramento de conformidade e distanciamento. Essas reduções temporárias nas capacidades internas em uma ampla gama de setores da economia, bem como o endurecimento de várias outras restrições ao local de trabalho, foram projetadas para prevenir infecções e disseminação viral.

Com as métricas de saúde pública continuando a apresentar uma tendência positiva, incluindo quedas na média de casos diários de COVID e hospitalizações, e as taxas de vacinação continuando a aumentar, Massachusetts mudou-se para Fase IV (“Novo Normal”) em 22 de março de 2021, com estádios internos e externos, arenas e estádios com permissão para abrir com 12 por cento da capacidade, e salas de exposições e convenções também começando a funcionar. Indústrias adicionais, como parques de diversões, parques temáticos e parques aquáticos ao ar livre foram inauguradas em 10 de maio, junto com corridas de rua e outros grandes eventos esportivos de grupos amadores ou profissionais organizados ao ar livre.

O plano de reabertura exigia o fim das restrições quando as vacinas se tornassem amplamente disponíveis e, a partir de 29 de maio de 2021, todas as indústrias pudessem abrir. Com exceção dos requisitos de cobertura facial restantes para sistemas de transporte público e privado e instalações que abrigam populações vulneráveis, todas as restrições do setor também foram suspensas e a capacidade aumentou para 100% para todos os setores. Todas as indústrias são incentivadas a seguir as orientações do CDC para os protocolos de limpeza e higiene.


Informações sobre a reabertura de Massachusetts

Reabertura de Massachusetts foi a abordagem de quatro fases para reabrir com responsabilidade a economia de Massachusetts em meio à pandemia COVID-19. O objetivo da reabertura em fases, com base nas orientações de saúde pública, era permitir progressivamente a retomada de negócios, serviços e atividades, protegendo a saúde pública e limitando o ressurgimento de novos casos COVID-19. O plano se concentrava em Padrões Obrigatórios de Segurança no Trabalho que se aplicavam a todos os setores e empresas, bem como em protocolos específicos do setor adaptados a setores e atividades individuais. Cada fase da reabertura foi orientada por dados de saúde pública e indicadores-chave que foram continuamente monitorados para o progresso e foram usados ​​para determinar o avanço para as fases futuras. Indústrias, setores e atividades que apresentavam menor risco foram autorizados a reabrir em fases anteriores. Aqueles que apresentaram maior risco abriram em fases posteriores. Para reabrir, as empresas foram solicitadas a desenvolver um Plano de Controle do COVID-19 por escrito, delineando planos para evitar a disseminação do COVID-19 entre os trabalhadores e clientes.

O plano foi desenvolvido por um Conselho Consultivo de Reabertura de 17 membros, co-presidido pela Vice-Governadora Karyn Polito e pelo Secretário de Habitação e Desenvolvimento Econômico Mike Kennealy, que incluiu especialistas em saúde pública, líderes municipais e membros da comunidade empresarial que representam muitas facetas de Massachusetts economia. O Conselho se reuniu com um total de 75 grupos de partes interessadas, desde associações industriais, câmaras regionais de comércio, coalizões comunitárias e organizações trabalhistas, representando mais de 112.000 empresas diferentes e mais de dois milhões de trabalhadores em toda a Comunidade. O Conselho Consultivo de Reabertura também considerou comentários escritos de mais de 4.500 empregadores, organizações e indivíduos no desenvolvimento de seu plano.

Fase I (“Iniciar”) do plano começou em 18 de maio de 2020 e permitiu a reabertura de fábricas, canteiros de obras e locais de culto. Hospitais e centros de saúde comunitários puderam começar a fornecer cuidados preventivos de alta prioridade, cuidados pediátricos e tratamento para pacientes de alto risco. Sob uma abordagem escalonada, setores adicionais da Fase 1 da economia foram autorizados a abrir a partir de 25 de maio, incluindo espaço de laboratório, espaço de escritório, serviços pessoais limitados (incluindo cabeleireiros, cuidados com animais de estimação, lavagens de carros, e os varejistas podem oferecer atendimento remoto e coleta na calçada para todos os varejistas).

Massachusetts mudou-se para Fase 2 (“Cauteloso”) em junho, permitindo a reabertura de negócios adicionais de menor risco, incluindo varejo, creches, restaurantes (com serviço de mesa ao ar livre apenas), hotéis e outros alojamentos, serviços pessoais sem contato físico próximo, esportes amadores para jovens e adultos e escolas de direção e vôo. Na Etapa 2 da Fase II, os restaurantes foram autorizados a abrir para serviço de mesa interna, serviços pessoais de contato próximo, incluindo cuidados com as unhas, cuidados com a pele, massagem terapêutica e treinamento pessoal. Os prestadores de cuidados de saúde também retomaram progressivamente os procedimentos e serviços eletivos não urgentes em pessoa, incluindo consultas de rotina ao consultório, visitas ao dentista e cuidados oftalmológicos, sujeitos ao cumprimento das normas de saúde e segurança públicas.

Em 6 de julho, a Commonwealth procedeu a Fase III (“Vigilante”) com base em um declínio sustentado nos principais dados de saúde pública, como novos casos e hospitalizações. Foi permitida a abertura de uma ampla gama de setores, novamente sujeitos ao cumprimento de regras específicas da indústria relativas à capacidade e às operações. Os setores da Fase III, Etapa 1 incluíram cinemas e locais de espetáculos ao ar livre, museus, centros de fitness e centros de saúde culturais e históricos, certas atividades recreativas internas com baixo potencial de contato e equipes esportivas profissionais (sem espectadores) tornaram-se elegíveis para reabertura. Em outubro, foi permitida a abertura de locais para apresentações internas e algumas indústrias viram seus limites de capacidade aumentarem.

Um aumento em novas infecções e hospitalizações por COVID-19 após o feriado de Ação de Graças, que coincidiu com um aumento global do vírus, precipitou novas restrições estaduais de capacidade, mascaramento de conformidade e distanciamento. Essas reduções temporárias nas capacidades internas em uma ampla gama de setores da economia, bem como o endurecimento de várias outras restrições ao local de trabalho, foram projetadas para prevenir infecções e disseminação viral.

Com as métricas de saúde pública continuando a apresentar uma tendência positiva, incluindo quedas na média de casos diários de COVID e hospitalizações, e as taxas de vacinação continuando a aumentar, Massachusetts mudou-se para Fase IV (“Novo Normal”) em 22 de março de 2021, com estádios internos e externos, arenas e estádios com permissão para abrir com 12 por cento da capacidade, e salas de exposições e convenções também começando a funcionar. Indústrias adicionais, como parques de diversões, parques temáticos e parques aquáticos ao ar livre foram inauguradas em 10 de maio, junto com corridas de rua e outros grandes eventos esportivos de grupos amadores ou profissionais organizados ao ar livre.

O plano de reabertura exigia o fim das restrições quando as vacinas se tornassem amplamente disponíveis e, a partir de 29 de maio de 2021, todas as indústrias pudessem abrir. Com exceção dos requisitos de cobertura facial restantes para sistemas de transporte público e privado e instalações que abrigam populações vulneráveis, todas as restrições do setor também foram suspensas e a capacidade aumentou para 100% para todos os setores. Todas as indústrias são incentivadas a seguir as orientações do CDC para os protocolos de limpeza e higiene.


Informações sobre a reabertura de Massachusetts

Reabertura de Massachusetts foi a abordagem de quatro fases para reabrir com responsabilidade a economia de Massachusetts em meio à pandemia COVID-19. O objetivo da reabertura em fases, com base nas orientações de saúde pública, era permitir progressivamente a retomada de negócios, serviços e atividades, protegendo a saúde pública e limitando o ressurgimento de novos casos COVID-19. O plano se concentrava em Padrões Obrigatórios de Segurança no Trabalho que se aplicavam a todos os setores e empresas, bem como em protocolos específicos do setor adaptados a setores e atividades individuais. Cada fase da reabertura foi orientada por dados de saúde pública e indicadores-chave que foram continuamente monitorados para o progresso e foram usados ​​para determinar o avanço para as fases futuras. Indústrias, setores e atividades que apresentavam menor risco foram autorizados a reabrir em fases anteriores. Aqueles que apresentaram maior risco abriram em fases posteriores. Para reabrir, as empresas foram solicitadas a desenvolver um Plano de Controle do COVID-19 por escrito, delineando planos para evitar a disseminação do COVID-19 entre os trabalhadores e clientes.

The plan was developed by a 17-member Reopening Advisory Board, co-chaired by Lieutenant Governor Karyn Polito and Housing and Economic Development Secretary Mike Kennealy, that included public health experts, municipal leaders and members of the business community representing many facets of the Massachusetts economy. The Board met with a total of 75 stakeholder groups ranging from industry associations, regional chambers of commerce, community coalitions, and labor organizations, representing over 112,000 different businesses and more than two million workers across the Commonwealth. The Reopening Advisory Board also considered written comments from over 4,500 employers, organizations, and individuals in the development of its plan.

Phase I (“Start”) of the plan began on May 18, 2020, and allowed manufacturing facilities, construction sites, and places of worship to re-open. Hospitals and community health centers were able to begin to provide high priority preventative care, pediatric care and treatment for high risk patients. Under a staggered approach, additional Phase 1 sectors of the economy were permitted to open effective May 25 including lab space, office space, limited personal services (including hair salons, pet grooming, car washes, and retailers could offer remote fulfillment and curbside pick-up for all retailers).

Massachusetts moved to Phase 2 (“Cautious”) in June, allowing additional lower risk businesses to reopen, including retail, childcare facilities, restaurants (with outdoor table service only), hotels and other lodgings, personal services without close physical contact, youth and adult amateur sports, and driving and flight schools. In Step 2 of Phase II, restaurants were permitted to open for indoor table service, close-contact personal services, including nail care, skin care, massage therapy, and personal training. Health care providers also incrementally resumed in-person elective, non-urgent procedures and services, including routine office visits, dental visits and vision care subject to compliance with public health and safety standards.

On July 6, the Commonwealth proceeded to Phase III (“Vigilant”) based on a sustained decline in key public health data, such as new cases and hospitalizations. A broad range of sectors were permitted to open, again subject to compliance with industry-specific rules concerning capacity and operations. The Phase III, Step 1 sectors included movie theaters and outdoor performance venues museums, cultural and historical sites fitness centers and health clubs certain indoor recreational activities with low potential for contact and professional sports teams (without spectators) became eligible to reopen. In October, indoor performance venues were permitted to open, and certain industries saw their capacity limits increase.

An increase in new COVID-19 infections and hospitalizations following the Thanksgiving holiday that coincided with a global surge in the virus precipitated new statewide restrictions for capacity, mask compliance and distancing. These temporary reductions in indoor capacities across a broad range of sectors of the economy, as well as a tightening of several other workplace restrictions, were designed to prevent infection and viral spread.

With public health metrics continuing to trend in a positive direction, including drops in average daily COVID cases and hospitalizations, and vaccination rates continuing to increase, Massachusetts moved into Phase IV (“New Normal”) on March 22, 2021 with indoor and outdoor stadiums, arenas, and ballparks permitted to open at 12 percent capacity, and exhibition and convention halls also beginning to operate. Additional industries such as amusement parks, theme parks, and outdoor water parks opened on May 10, along with road races and other large, outdoor organized amateur or professional group athletic events.

The reopening plan called for ending restrictions when vaccines became widely available, and effective May 29, 2021 all industries were permitted to open. With the exception of remaining face-covering requirements for public and private transportation systems and facilities housing vulnerable populations, all industry restrictions were also lifted, and capacity increased to 100% for all industries. All industries are encouraged to follow CDC guidance for cleaning and hygiene protocols.


Information about Reopening Massachusetts

Reopening Massachusetts was the four-phase approach to responsibly reopen the Massachusetts economy amidst the COVID-19 pandemic. The goal of the phased reopening, based on public health guidance, was progressively to allow businesses, services, and activities to resume, while protecting public health and limiting a resurgence of new COVID-19 cases. The plan centered around Mandatory Workplace Safety Standards that applied across all sectors and enterprises as well as sector-specific protocols tailored to individual sectors and activities. Each phase of the reopening was guided by public health data and key indicators that were continually monitored for progress and were used to determine advancement to future phases. Industries, sectors, and activities that presented lower risk were allowed to reopen in earlier phases. Those that presented greater risk opened in later phases. In order to reopen, businesses were required to develop a written COVID-19 Control Plan outlining plans to prevent the spread of COVID-19 among workers and patrons.

The plan was developed by a 17-member Reopening Advisory Board, co-chaired by Lieutenant Governor Karyn Polito and Housing and Economic Development Secretary Mike Kennealy, that included public health experts, municipal leaders and members of the business community representing many facets of the Massachusetts economy. The Board met with a total of 75 stakeholder groups ranging from industry associations, regional chambers of commerce, community coalitions, and labor organizations, representing over 112,000 different businesses and more than two million workers across the Commonwealth. The Reopening Advisory Board also considered written comments from over 4,500 employers, organizations, and individuals in the development of its plan.

Phase I (“Start”) of the plan began on May 18, 2020, and allowed manufacturing facilities, construction sites, and places of worship to re-open. Hospitals and community health centers were able to begin to provide high priority preventative care, pediatric care and treatment for high risk patients. Under a staggered approach, additional Phase 1 sectors of the economy were permitted to open effective May 25 including lab space, office space, limited personal services (including hair salons, pet grooming, car washes, and retailers could offer remote fulfillment and curbside pick-up for all retailers).

Massachusetts moved to Phase 2 (“Cautious”) in June, allowing additional lower risk businesses to reopen, including retail, childcare facilities, restaurants (with outdoor table service only), hotels and other lodgings, personal services without close physical contact, youth and adult amateur sports, and driving and flight schools. In Step 2 of Phase II, restaurants were permitted to open for indoor table service, close-contact personal services, including nail care, skin care, massage therapy, and personal training. Health care providers also incrementally resumed in-person elective, non-urgent procedures and services, including routine office visits, dental visits and vision care subject to compliance with public health and safety standards.

On July 6, the Commonwealth proceeded to Phase III (“Vigilant”) based on a sustained decline in key public health data, such as new cases and hospitalizations. A broad range of sectors were permitted to open, again subject to compliance with industry-specific rules concerning capacity and operations. The Phase III, Step 1 sectors included movie theaters and outdoor performance venues museums, cultural and historical sites fitness centers and health clubs certain indoor recreational activities with low potential for contact and professional sports teams (without spectators) became eligible to reopen. In October, indoor performance venues were permitted to open, and certain industries saw their capacity limits increase.

An increase in new COVID-19 infections and hospitalizations following the Thanksgiving holiday that coincided with a global surge in the virus precipitated new statewide restrictions for capacity, mask compliance and distancing. These temporary reductions in indoor capacities across a broad range of sectors of the economy, as well as a tightening of several other workplace restrictions, were designed to prevent infection and viral spread.

With public health metrics continuing to trend in a positive direction, including drops in average daily COVID cases and hospitalizations, and vaccination rates continuing to increase, Massachusetts moved into Phase IV (“New Normal”) on March 22, 2021 with indoor and outdoor stadiums, arenas, and ballparks permitted to open at 12 percent capacity, and exhibition and convention halls also beginning to operate. Additional industries such as amusement parks, theme parks, and outdoor water parks opened on May 10, along with road races and other large, outdoor organized amateur or professional group athletic events.

The reopening plan called for ending restrictions when vaccines became widely available, and effective May 29, 2021 all industries were permitted to open. With the exception of remaining face-covering requirements for public and private transportation systems and facilities housing vulnerable populations, all industry restrictions were also lifted, and capacity increased to 100% for all industries. All industries are encouraged to follow CDC guidance for cleaning and hygiene protocols.


Information about Reopening Massachusetts

Reopening Massachusetts was the four-phase approach to responsibly reopen the Massachusetts economy amidst the COVID-19 pandemic. The goal of the phased reopening, based on public health guidance, was progressively to allow businesses, services, and activities to resume, while protecting public health and limiting a resurgence of new COVID-19 cases. The plan centered around Mandatory Workplace Safety Standards that applied across all sectors and enterprises as well as sector-specific protocols tailored to individual sectors and activities. Each phase of the reopening was guided by public health data and key indicators that were continually monitored for progress and were used to determine advancement to future phases. Industries, sectors, and activities that presented lower risk were allowed to reopen in earlier phases. Those that presented greater risk opened in later phases. In order to reopen, businesses were required to develop a written COVID-19 Control Plan outlining plans to prevent the spread of COVID-19 among workers and patrons.

The plan was developed by a 17-member Reopening Advisory Board, co-chaired by Lieutenant Governor Karyn Polito and Housing and Economic Development Secretary Mike Kennealy, that included public health experts, municipal leaders and members of the business community representing many facets of the Massachusetts economy. The Board met with a total of 75 stakeholder groups ranging from industry associations, regional chambers of commerce, community coalitions, and labor organizations, representing over 112,000 different businesses and more than two million workers across the Commonwealth. The Reopening Advisory Board also considered written comments from over 4,500 employers, organizations, and individuals in the development of its plan.

Phase I (“Start”) of the plan began on May 18, 2020, and allowed manufacturing facilities, construction sites, and places of worship to re-open. Hospitals and community health centers were able to begin to provide high priority preventative care, pediatric care and treatment for high risk patients. Under a staggered approach, additional Phase 1 sectors of the economy were permitted to open effective May 25 including lab space, office space, limited personal services (including hair salons, pet grooming, car washes, and retailers could offer remote fulfillment and curbside pick-up for all retailers).

Massachusetts moved to Phase 2 (“Cautious”) in June, allowing additional lower risk businesses to reopen, including retail, childcare facilities, restaurants (with outdoor table service only), hotels and other lodgings, personal services without close physical contact, youth and adult amateur sports, and driving and flight schools. In Step 2 of Phase II, restaurants were permitted to open for indoor table service, close-contact personal services, including nail care, skin care, massage therapy, and personal training. Health care providers also incrementally resumed in-person elective, non-urgent procedures and services, including routine office visits, dental visits and vision care subject to compliance with public health and safety standards.

On July 6, the Commonwealth proceeded to Phase III (“Vigilant”) based on a sustained decline in key public health data, such as new cases and hospitalizations. A broad range of sectors were permitted to open, again subject to compliance with industry-specific rules concerning capacity and operations. The Phase III, Step 1 sectors included movie theaters and outdoor performance venues museums, cultural and historical sites fitness centers and health clubs certain indoor recreational activities with low potential for contact and professional sports teams (without spectators) became eligible to reopen. In October, indoor performance venues were permitted to open, and certain industries saw their capacity limits increase.

An increase in new COVID-19 infections and hospitalizations following the Thanksgiving holiday that coincided with a global surge in the virus precipitated new statewide restrictions for capacity, mask compliance and distancing. These temporary reductions in indoor capacities across a broad range of sectors of the economy, as well as a tightening of several other workplace restrictions, were designed to prevent infection and viral spread.

With public health metrics continuing to trend in a positive direction, including drops in average daily COVID cases and hospitalizations, and vaccination rates continuing to increase, Massachusetts moved into Phase IV (“New Normal”) on March 22, 2021 with indoor and outdoor stadiums, arenas, and ballparks permitted to open at 12 percent capacity, and exhibition and convention halls also beginning to operate. Additional industries such as amusement parks, theme parks, and outdoor water parks opened on May 10, along with road races and other large, outdoor organized amateur or professional group athletic events.

The reopening plan called for ending restrictions when vaccines became widely available, and effective May 29, 2021 all industries were permitted to open. With the exception of remaining face-covering requirements for public and private transportation systems and facilities housing vulnerable populations, all industry restrictions were also lifted, and capacity increased to 100% for all industries. All industries are encouraged to follow CDC guidance for cleaning and hygiene protocols.


Information about Reopening Massachusetts

Reopening Massachusetts was the four-phase approach to responsibly reopen the Massachusetts economy amidst the COVID-19 pandemic. The goal of the phased reopening, based on public health guidance, was progressively to allow businesses, services, and activities to resume, while protecting public health and limiting a resurgence of new COVID-19 cases. The plan centered around Mandatory Workplace Safety Standards that applied across all sectors and enterprises as well as sector-specific protocols tailored to individual sectors and activities. Each phase of the reopening was guided by public health data and key indicators that were continually monitored for progress and were used to determine advancement to future phases. Industries, sectors, and activities that presented lower risk were allowed to reopen in earlier phases. Those that presented greater risk opened in later phases. In order to reopen, businesses were required to develop a written COVID-19 Control Plan outlining plans to prevent the spread of COVID-19 among workers and patrons.

The plan was developed by a 17-member Reopening Advisory Board, co-chaired by Lieutenant Governor Karyn Polito and Housing and Economic Development Secretary Mike Kennealy, that included public health experts, municipal leaders and members of the business community representing many facets of the Massachusetts economy. The Board met with a total of 75 stakeholder groups ranging from industry associations, regional chambers of commerce, community coalitions, and labor organizations, representing over 112,000 different businesses and more than two million workers across the Commonwealth. The Reopening Advisory Board also considered written comments from over 4,500 employers, organizations, and individuals in the development of its plan.

Phase I (“Start”) of the plan began on May 18, 2020, and allowed manufacturing facilities, construction sites, and places of worship to re-open. Hospitals and community health centers were able to begin to provide high priority preventative care, pediatric care and treatment for high risk patients. Under a staggered approach, additional Phase 1 sectors of the economy were permitted to open effective May 25 including lab space, office space, limited personal services (including hair salons, pet grooming, car washes, and retailers could offer remote fulfillment and curbside pick-up for all retailers).

Massachusetts moved to Phase 2 (“Cautious”) in June, allowing additional lower risk businesses to reopen, including retail, childcare facilities, restaurants (with outdoor table service only), hotels and other lodgings, personal services without close physical contact, youth and adult amateur sports, and driving and flight schools. In Step 2 of Phase II, restaurants were permitted to open for indoor table service, close-contact personal services, including nail care, skin care, massage therapy, and personal training. Health care providers also incrementally resumed in-person elective, non-urgent procedures and services, including routine office visits, dental visits and vision care subject to compliance with public health and safety standards.

On July 6, the Commonwealth proceeded to Phase III (“Vigilant”) based on a sustained decline in key public health data, such as new cases and hospitalizations. A broad range of sectors were permitted to open, again subject to compliance with industry-specific rules concerning capacity and operations. The Phase III, Step 1 sectors included movie theaters and outdoor performance venues museums, cultural and historical sites fitness centers and health clubs certain indoor recreational activities with low potential for contact and professional sports teams (without spectators) became eligible to reopen. In October, indoor performance venues were permitted to open, and certain industries saw their capacity limits increase.

An increase in new COVID-19 infections and hospitalizations following the Thanksgiving holiday that coincided with a global surge in the virus precipitated new statewide restrictions for capacity, mask compliance and distancing. These temporary reductions in indoor capacities across a broad range of sectors of the economy, as well as a tightening of several other workplace restrictions, were designed to prevent infection and viral spread.

With public health metrics continuing to trend in a positive direction, including drops in average daily COVID cases and hospitalizations, and vaccination rates continuing to increase, Massachusetts moved into Phase IV (“New Normal”) on March 22, 2021 with indoor and outdoor stadiums, arenas, and ballparks permitted to open at 12 percent capacity, and exhibition and convention halls also beginning to operate. Additional industries such as amusement parks, theme parks, and outdoor water parks opened on May 10, along with road races and other large, outdoor organized amateur or professional group athletic events.

The reopening plan called for ending restrictions when vaccines became widely available, and effective May 29, 2021 all industries were permitted to open. With the exception of remaining face-covering requirements for public and private transportation systems and facilities housing vulnerable populations, all industry restrictions were also lifted, and capacity increased to 100% for all industries. All industries are encouraged to follow CDC guidance for cleaning and hygiene protocols.


Information about Reopening Massachusetts

Reopening Massachusetts was the four-phase approach to responsibly reopen the Massachusetts economy amidst the COVID-19 pandemic. The goal of the phased reopening, based on public health guidance, was progressively to allow businesses, services, and activities to resume, while protecting public health and limiting a resurgence of new COVID-19 cases. The plan centered around Mandatory Workplace Safety Standards that applied across all sectors and enterprises as well as sector-specific protocols tailored to individual sectors and activities. Each phase of the reopening was guided by public health data and key indicators that were continually monitored for progress and were used to determine advancement to future phases. Industries, sectors, and activities that presented lower risk were allowed to reopen in earlier phases. Those that presented greater risk opened in later phases. In order to reopen, businesses were required to develop a written COVID-19 Control Plan outlining plans to prevent the spread of COVID-19 among workers and patrons.

The plan was developed by a 17-member Reopening Advisory Board, co-chaired by Lieutenant Governor Karyn Polito and Housing and Economic Development Secretary Mike Kennealy, that included public health experts, municipal leaders and members of the business community representing many facets of the Massachusetts economy. The Board met with a total of 75 stakeholder groups ranging from industry associations, regional chambers of commerce, community coalitions, and labor organizations, representing over 112,000 different businesses and more than two million workers across the Commonwealth. The Reopening Advisory Board also considered written comments from over 4,500 employers, organizations, and individuals in the development of its plan.

Phase I (“Start”) of the plan began on May 18, 2020, and allowed manufacturing facilities, construction sites, and places of worship to re-open. Hospitals and community health centers were able to begin to provide high priority preventative care, pediatric care and treatment for high risk patients. Under a staggered approach, additional Phase 1 sectors of the economy were permitted to open effective May 25 including lab space, office space, limited personal services (including hair salons, pet grooming, car washes, and retailers could offer remote fulfillment and curbside pick-up for all retailers).

Massachusetts moved to Phase 2 (“Cautious”) in June, allowing additional lower risk businesses to reopen, including retail, childcare facilities, restaurants (with outdoor table service only), hotels and other lodgings, personal services without close physical contact, youth and adult amateur sports, and driving and flight schools. In Step 2 of Phase II, restaurants were permitted to open for indoor table service, close-contact personal services, including nail care, skin care, massage therapy, and personal training. Health care providers also incrementally resumed in-person elective, non-urgent procedures and services, including routine office visits, dental visits and vision care subject to compliance with public health and safety standards.

On July 6, the Commonwealth proceeded to Phase III (“Vigilant”) based on a sustained decline in key public health data, such as new cases and hospitalizations. A broad range of sectors were permitted to open, again subject to compliance with industry-specific rules concerning capacity and operations. The Phase III, Step 1 sectors included movie theaters and outdoor performance venues museums, cultural and historical sites fitness centers and health clubs certain indoor recreational activities with low potential for contact and professional sports teams (without spectators) became eligible to reopen. In October, indoor performance venues were permitted to open, and certain industries saw their capacity limits increase.

An increase in new COVID-19 infections and hospitalizations following the Thanksgiving holiday that coincided with a global surge in the virus precipitated new statewide restrictions for capacity, mask compliance and distancing. These temporary reductions in indoor capacities across a broad range of sectors of the economy, as well as a tightening of several other workplace restrictions, were designed to prevent infection and viral spread.

With public health metrics continuing to trend in a positive direction, including drops in average daily COVID cases and hospitalizations, and vaccination rates continuing to increase, Massachusetts moved into Phase IV (“New Normal”) on March 22, 2021 with indoor and outdoor stadiums, arenas, and ballparks permitted to open at 12 percent capacity, and exhibition and convention halls also beginning to operate. Additional industries such as amusement parks, theme parks, and outdoor water parks opened on May 10, along with road races and other large, outdoor organized amateur or professional group athletic events.

The reopening plan called for ending restrictions when vaccines became widely available, and effective May 29, 2021 all industries were permitted to open. With the exception of remaining face-covering requirements for public and private transportation systems and facilities housing vulnerable populations, all industry restrictions were also lifted, and capacity increased to 100% for all industries. All industries are encouraged to follow CDC guidance for cleaning and hygiene protocols.


Assista o vídeo: Ikke spis snø på tom mage (Setembro 2022).