Novas receitas

Sua combinação de comida e vinho durante a semana: comida tailandesa para viagem e Gewürztraminer

Sua combinação de comida e vinho durante a semana: comida tailandesa para viagem e Gewürztraminer


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por que essa combinação de comida e vinho funciona

Um dos primeiros marcos na educação do vinho é, sem dúvida, aprender a pronunciar (e soletrar) "gewürztraminer. "(Para que conste, é guh-VERTS-tra-meener.) Comemore essa conquista degustando um copo com comida tailandesa. O que faz os dois funcionarem juntos? April Pogue, gerente e diretor de vinhos da Gengibre Selvagem em Bellevue, Washington, tem as respostas. Pogue preside uma impressionante carta de vinhos em um restaurante que serve cozinha inspirada no sudeste asiático que (é claro) tem influências tailandesas.

"Gewürztraminer é uma uva naturalmente aromática que possui aromas e sabores tropicais como lichia, manga e gardênia doce", explica Pogue. "Esses sabores e cheiros combinam com uma grande variedade de pratos asiáticos de todo o mundo. A uva também é um pouco baixa em acidez, ajudando sua capacidade de combinar bem com pratos picantes. Gewürztraminer é aromático e frutado, que agrada aos aromas de a comida. Geralmente são de estilo light com acidez equilibrada. Isso pode ir muito bem com pratos mais salgados. "

Se ela tivesse uma garrafa de gewürztraminer na geladeira, que prato tailandês para levar Pogue traria para casa para um emparelhamento perfeito? "No Jamjuree Thai [no Capitólio de Seattle], eles têm um prato de chile de tamarindo agridoce que cantaria círculos ao redor de gewürztraminer. Ele vem com cebola, pimentão, castanha de caju e frango temperado com o molho picante, mas doce, de tamarindo exótico."

E embora o gewürztraminer seja mais famoso na Alsácia, você também pode explorar as versões domésticas de Washington, Oregon, Califórnia e Nova York.

Clique aqui para mais informações do The Daily Sip.


Melhores emparelhamentos

Freqüentemente comparada às pétalas de rosa, lichias e delícias turcas, a gewurztraminer é a variedade de uva mais exótica do mundo do vinho, então o que diabos você combina com ela?

Vinhos mais secos, que são os mais comuns, são freqüentemente combinados com comida asiática - especialmente chinesa, indiana e tailandesa - mas às vezes podem ser opressores com pratos mais leves. Gew & uumlrztraminer geralmente se beneficia de pratos com mais do que um toque de doçura e calor.

Os gew & uumlrztraminers que você encontra na Alsácia, especialmente o grand crus, também tendem a ser mais intensos do que os vinhos que você encontra em países como Chile e Nova Zelândia. Eles também têm vinhos mais doces lá, rotulados Vendange Tardive que são melhor servidos com uma sobremesa.

Aqui estão meus pares favoritos para gewurztraminer:

Curry de pato vermelho tailandês

Nem toda comida tailandesa funciona com gew & uumlrztraminer, mas ele & rsquos ace com um curry de pato vermelho ou um curry amarelo (melhor do que com um curry verde com o qual eu & rsquod prefiro um vinho mais leve como um pinot gris, mas curries com leite de coco geralmente funcionam)

Comida sichuanesa

De todos os estilos de comida chinesa, acho que Sichuan combina melhor com gew & uumlrz, como é conhecido como it & rsquos. Também funciona realmente bem com pratos que incluem Ruivo (incluindo lagosta com gengibre como descobri uma vez). Pode ser um pouco opressor com dim sum e pratos de frutos do mar mais leves

Outros pratos quentes e picantes como Massa de macarrão de Singapura funcionam bem e, embora eu não tenha tentado sozinho, estou apostando que seria uma boa combinação para muitos coreano pratos também.

comida indiana

Novamente, há exceções, mas gew & uumlrztraminer geralmente funciona bem com uma refeição indiana onde - como é comum - vários pratos são servidos ao mesmo tempo. Eu gosto mais com caril carnudo e biryanis, mas se funciona para você com frutos do mar ou caril vegetariano, vá em frente! (Basicamente, se você adora gew & uumlrztraminer, você & rsquoll adora com qualquer coisa. É um pouco um vinho Marmite!)

Queijo fedorento

Há um emparelhamento local clássico na Alsácia com Queijo Munster - muitas vezes com uma pitada de sementes de cominho - mas gew & uumlrztraminer (particularmente da Alsácia) vai com a maioria dos queijos fedidos, incluindo Epoisses, Maroilles e Bispo Fedorento: queijos que são um desafio para a maioria dos tintos.

Outro casal popular na Alsácia. Ou, se você não comer foie gras, com uma rica patinha de fígado de pato e abutre

Ganso assado

Uma refeição para uma ocasião especial que funcionaria muito bem com um grand cru gew & uumlrztraminer, especialmente um com um pouco de idade em garrafa.

Legumes com sabor doce como abóbora e abóbora

Uma descoberta relativamente recente após descobrir como um gew & uumlrztraminer da Tasmânia combinava bem com nhoque de abóbora. Isso obviamente se aplica ao ravióli também e - não vejo por que não - à batata-doce.

Gew e uumlrztraminers mais doces par surpreendentemente bem com sobremesas à base de maçã como crumble de maçã ou bolos streusel com canela (eles até combinam com gew & uumlrz seco. Eles não precisam necessariamente ser de colheita tardia)

Tente também sobremesas à base de manga especialmente se incluírem gengibre.

imagem e copyHLPhoto em fotolia.com

Se você achou este post útil e ficou feliz em receber o conselho gratuitamente, talvez você & # 039d pense em doar para as despesas de funcionamento do site? Você pode descobrir como fazê-lo aqui ou para assinar nosso boletim informativo regular clique aqui.


Wine Dharma

Bahn Thai Crab Wontons Esteja pronto, estes não são os pares usuais de se fazer, porque eles são baseados em harmonia: você nunca usará Gewurztraminer para cortar a cremosidade de um prato, pois o vinho é cremoso por si só. Mas, por outro lado, essa riqueza permitirá que você brinque com laços que podem se desenvolver entre o vinho e aromático Comida.

O segredo é adotar uma tática de guerrilha, não insistir apenas em um único sabor e construir seus pares em sugestões sutis: a lembrança de uma especiaria específica, um molho de frutas tropicais, uma assadeira crocante para peixes oleosos, um toque de fumaça para realce a doçura da carne.

Ravioli de pato e foie gras De certa forma, poderíamos dizer que Gewurztraminer é um vinho híbrido: muitos pratos gordurosos como terrinas de jogo, foie gras, Bolonha e mousses de salmão, parecem mais compatíveis com vinhos de passas, enquanto outros gostam pato à l'orange são prerrogativas dos vinhos tintos. Esta é a beleza de Gewürz: você pode agitar um pouco as coisas e ser criativo.

O primeiro passo é entender o vinho. É quente como uma praia tailandesa: quente, embora suavemente refrescada por alguns goles de coco. Não se deixe enganar por seus sabores cítricos vivos, as garrafas mais explosivas podem chegar a 15% de álcool. Portanto, vamos dar as boas-vindas a todas essas receitas com gengibre, leite e carne de coco, capim-limão, cravo, noz-moscada, sultanas, frutas secas e cardamomo.

Emparelhamentos do terroir

Macarrão de farro com fonduta. Seus sabores cremosos defumados atenderão a todas as demandas de um Gewürz apimentado. Vamos começar com Tirol do Sul. Gewurztraminer gosta de comida defumada, como Speck. Simplesmente fatiado com repolho guisado enrolado em carne de porco ou frango e coberto com queijo derretido recheado com robiola, mel e nozes sobre uma pizza de queijo gotejante, mas não se esqueça da outra grande carne curada de Trentino-Alto Adige, e I & # 8217m falando sobre fumado barriga de porco, salada de carne, mortàndela de Val di Non e assim por diante. Canederli (knödel), polenta e fondues com cogumelos e Puzzone di Moena (um ótimo queijo fedorento) emparelhado com uma boa garrafa floral de Gewürztraminer, após um dia de esqui, são uma experiência inesquecível.

Considerando as maravilhosas garrafas que vêm da Alsácia, é um dever e um prazer falar sobre choucroute, Quiche Lorraine e Alsacienne e em geral tudo feito com grandes quantidades de ovos.

Marisco

Lula De Porco Recheada Com Cogumelos Selvagens Lagosta Bellavista e toda a família dessas criaturas deliciosas combina maravilhosamente com o grande e salgado Gewurztraminer. Cozido no vapor, grelhado, com crosta de nozes, mergulhado em molho de manga com uma pitada de limão, com uma ervilha-de-lichia ou salada, você nunca se enganará. É delicioso também com pratos mais ricos como sopa, ostras parmesão ou sopa de caranguejo da Patagônia. Confira esta ótima receita de tagliolini com amêijoas.

Cozinha tailandesa

Ou, digamos, a esposa perfeita para o Gewurztraminer: todos os ingredientes parecem provir do vinho. Se você deixar de lado o picante, toda receita é um vencedor certo. Aqui estão alguns exemplos: espetadas de carne com molho de amendoim Laska com camarões e salada de ovo com curry como acompanhamento frango e curry de coco e se você não pode deixar de comer picante, procure um Gewurztraminer seco, uma garrafa de Zohlhof deve funcionar bem.

Soufflé, strudel salgado e torta amanteigada

Crocante de cebola caçarola Tudo o que pode ser felizmente colocado dentro de um caixão de pastelaria - queijo de cabra de codorna, bacon e batatas de porco, maçãs e Roquefort perdizes, mirtilos e frutas secas peixes e cogumelos - devem dividir a mesa com os salgados 2009 Gewürztraminer Am Sand TL , da propriedade Lageder. Seu frescor pode ajudar a cortar a gordura e vai se dar bem com a terrosidade da comida.

Pizza

Gewurztraminer nunca diz não a uma pizza, mas nada de molho de tomate, por favor! É ótimo coberto com queijo como Taleggio e queijo Camembert, vegetais doces, cogumelos, carnes curadas gordurosas como bacon ou salame ou fatias de fiambre de Praga. Contudo, Brie, mancha e porcini, é a melhor combinação.

Trufas

Bacalhau salteado com trufas é um prato delicioso, perfeito para o Gewurztraminer Sim, as trufas não vivem só de Nebbiolo! Alguns Gewurztraminer têm notas terrosas de querosene e hidrocarboneto, e se você combinar isso com o sabor picante das trufas, o resultado é garantido. Ovos fritos com flocos de trufas alba e a 2009 Traminer aromatico de Casata Monfort.

Chutney e frutas cristalizadas

Frutas doces e tropicais Chutneys são prodigiosos quando combinados com Gewurztraminer. Considere por um segundo os ingredientes do avakkai mangai: manga, gengibre, coco, pimenta (só uma dica!), alho, canela, groselha e tâmara, soam familiares, certo? Mas você pode enlouquecer com peras, maçãs, cebolas, marmelo (para a alegria de Kurt) e pêssegos. Emparelhar Gewurztraminer de Termeno, carregado de frutas maduras. As cascas caramelizadas de cítricos são muito convidativas e muitas vezes presentes no vinho, mas preste atenção ao toque amargo que conferem à comida.

Flores

A Gewurztraminer é uma das uvas mais aromáticas, por isso siga este caminho, especialmente porque a lavanda, a vassoura e a rosa são mais frequentemente encontradas na cozinha. Abençoar patos, gansos e carne de porco por que não experimentar um Gewurz floral de Vale do Cembra e Val Venosta.

Peixes

Ostras Parmesão em restaurante típico da Terra do Fogo Carpaccio de Robalo e Litchi. Tudo cru, muito simples e harmônico: experimente St. Michael Eppan & # 8217s Gewurztraminer e você nunca vai esquecer! Salmão e trufas e todos os peixes do tipo oleoso com toque frutado ou mostarda ou sabores fortes, como um omelete recheado com enguias gloucester são ótimos também. Melhor ainda se o peixe for defumado - sopa de atum e arenque - mas também alguns alimentos simples tagliolini com bottarga pode ser realçado por um Gewurztraminer com especiarias adocicadas.

Legumes

Isso é complicado. Pule os vegetais verdes e ácidos que são mais adequados para Sauvignon Blanc, como aspargos, caso contrário, deixe fritar sem piedade. Batata e Sopas de creme de abóbora, onde você pode derreter alguns Gorgonzola para adicionar um pincel intrigante, peça um Gewurztraminer maduro.

Amaretti

Tortelli de Mantova são deliciosos com Gewurztraminer. Abóbora, noz-moscada, um toque agridoce de Mostarda (uma conserva de fruta em um xarope de mostarda apimentado), parmesão e esses biscoitos doces e amargos sensacionais feitos de amêndoas, misturados em um crescendo fantástico. Um desmoronamento de amaretti também é um revestimento perfeito para vegetais e camarões. Casa-se com as doces notas do 2009 Traminer aromatico Vigna Caselle.

Massa

Esqueça as coisas do terroir por um tempo. Gewurztraminer, vindo da região do extremo norte da Itália, combina graciosamente com a mais famosa massa da tradição romana. Um par de livros para carbonara: guanciale (espécie de toucinho não fumado de bochecha de porco), pimenta e queijo pecorino, inundado pela cremosidade do ovo. Macarrão cacio e pepe: apenas alguns ingredientes são necessários para a receita mais fácil do mundo. A complexidade do Gewurztraminer expande a textura simples do prato: escolha o picante vibrante de uma garrafa da propriedade Taschlerhof.

Salame, frios, charcutaria

Vamos escolher queijos e charcutaria com notas doces, como Capocollo, Prosciutto San Daniele ou Robiola Gewurztraminer e o sal não se dão bem, por isso é melhor escolher algo com um toque de especiarias doces. Ciauscolo, que tem casca de limão cristalizada, está bem Salame cremona é ótimo e gorduroso, mas o verdadeiro negócio é Mortara's Charcutaria kosher feita de carne de ganso: pequenos tesouros artesanais para o verdadeiro gourmand.


Combinações de comida tailandesa e vinho para você passar o inverno

O inverno não é apenas uma época de hibernação para os animais, é uma época de hibernação para as pessoas também! Com o sol se pondo antes da hora de deixar o escritório, túneis de vento congelantes a cada curva e a idéia tão tentadora de andar em janeiro e fevereiro em um guarda-roupa que consiste basicamente de calças de moletom, esta não é a hora de ser aventurar-se para o sustento. Vamos enfrentá-lo: o inverno é o principal motivo pelo qual a comida para viagem foi inventada. Qual é a melhor opção de comida para viagem no clima frio do que comida tailandesa quente, apimentada e saudável?

Como regra geral, os vinhos brancos tendem a funcionar melhor do que os vinhos tintos quando se trata de combinar com comida picante como o tailandês, e os vinhos brancos que têm um pouco de açúcar residual funcionam ainda melhor, já que o açúcar combate e esfria o paladar picante. Riesling seco é o número 1 para uma miscelânea de pratos tailandeses para viagem. Para os amantes de vinho tinto obstinados, os tintos também podem combinar com a comida tailandesa, principalmente com pratos mais suaves. Ao combinar vinho tinto com pratos apimentados como curry, fique longe de qualquer coisa com muito tanino, a menos que você seja um verdadeiro pesquisador de especiarias. Na verdade, os taninos elevam o nível de tempero na língua, então a noite para levar pode se tornar um pouco dolorosa!

Procurando o par perfeito com seu pedido de entrega favorito? Aqui estão algumas opções para os pratos de comida tailandesa mais populares:

Este é o último saca-rolhas que você comprará

Rolinhos primavera tailandeses

Quer sejam feitos exclusivamente com vegetais ou com adição de camarão, os rolinhos primavera oferecem uma mordida fresca no início de qualquer banquete tailandês (além disso, todos os vegetais anulam totalmente os carboidratos que você está prestes a ingerir). Procure por um vinho branco neutro com alto teor de ácido que depende do frescor, como os das encostas dos Alpes no norte da Itália. Prié Blanc, do Valle d’Aosta, quase cheira a ar de inverno depois de uma neve nova e pulverulenta. Será saboroso, mas não opressor.

Tom Kha Gai (sopa de frango com coco)

A única coisa melhor do que canja de galinha é canja de galinha com coco rico e um toque de frutas cítricas. Tom Kha Gai é caracterizado por sua mistura de sabores: leite de coco, limão, capim-limão, molho de peixe, pasta de pimenta e outras ervas. Um vinho branco com tanto vigor, como o Muscadet do Vale do Loire, na França, funciona bem, principalmente porque o Muscadet tende a ser um vinho neutro, mas mineral, permitindo que as camadas do prato cantem.

Pad Thai

Este prato de macarrão com seus acompanhamentos de molho de peixe, broto de feijão, amendoim e muito mais é provavelmente a prato tailandês para viagem. Como se inclina mais para sabores suaves do que temperos, os vinhos secos funcionarão perfeitamente. Um branco salgado e saboroso como o Assyrtiko de Santorini adicionará textura à riqueza do prato, enquanto os sabores de limão iluminam tudo. Um tinto leve, suculento e com frutas também pode funcionar.

Pad Ver Ew

Se você tem um desejo noturno, pós-bar-hopping, de comida para viagem, não há nada melhor do que macarrão frito. Mas por que não começar a noite combinando Pad See Ew com uma taça de vinho no jantar? Feito com molho de soja doce, brócolis e ovos, este prato é uma bomba umami farta, perfeita para se manter aquecido no inverno. Equilibre-o com frutas exuberantes e redondas no vinho. Um Pinot Noir da região Central Otago da Nova Zelândia oferece frutas vermelhas elegantes com mais frescor do que a maioria das outras versões do Novo Mundo, iluminando os sabores saborosos do prato.

Curry Amarelo

Quando se trata de curry tailandês, o curry amarelo é o menos picante do grupo. Com especiarias em camadas como açafrão, coentro, cominho, pimenta caiena, gengibre, canela, folha de louro e muito mais, este curry saboroso e saudável pode resistir tanto a vinhos brancos encorpados quanto a vinhos tintos. Um tinto macio e terroso como um Côtes du Rhône vai acentuar as especiarias do curry, enquanto frutas vermelhas suaves arredondam os sabores.

Curry vermelho

Agora as coisas estão ficando mais agitadas. Junto com especiarias como cominho e coentro, a pasta de curry vermelho é composta de pimenta vermelha, que tem um pouco de soco. Leite de coco e limão geralmente compõem o resto do prato, então o segredo é procurar um vinho com corpo, frutas frescas e um toque de açúcar para equilibrar o tempero. Chenin Blanc seco do Vale do Loire, como Vouvray, funciona perfeitamente, a acidez mantém o emparelhamento refrescante e redondo, e os sabores de maçã equilibram a pasta de curry.

Curry verde

O curry verde tende a ser o mais picante de todos, com uma pasta de curry feita de pimenta verde, capim-limão, casca de limão, cominho e pimenta branca. Definitivamente, este não é o momento para mexer com vinhos secos. Um pouco de açúcar refresca a língua! Kabinett Riesling da Alemanha é como uma gota de frescor de lima-pêssego, com sabores delicados e intensos para combinar com as ervas brilhantes e os pimentões verdes.


Os melhores vinhos para pratos populares para viagem

Os restaurantes podem estar abrindo caminho lentamente em algumas cidades, mas, vamos encarar, nós começamos a nos acostumar com a ideia de comer comida na segurança de nossos pátios, varandas e telhados (se tivermos a sorte de ter Acesso). Se o supracitado não estiver disponível, uma mesa de jantar bem arrumada com algumas músicas retrô e uma brisa fresca de verão soprando pelo ambiente também não é nada ruim.

Tempo para viagem 7 maneiras fáceis de apoiar seus negócios locais durante o COVID-19 Outra maneira de elevar o nível do seu jantar para viagem a um lugar mais emocionante é com uma combinação perfeita de vinhos. Nossas cozinhas para viagem favoritas, como indiana, chinesa, mediterrânea e churrasco, costumam atrair diferentes estilos de vinho para complementar e equilibrar seus sabores únicos. Como uma dupla de comédia experiente, comida e um bom vinho combinam habilmente com os pontos fortes do outro, tornando toda a experiência muito melhor.

Então, em vez de apenas pegar a primeira garrafa com um rótulo bonito (sem sombra), por que não fazer uma pequena pesquisa, ou melhor ainda, deixe um especialista como o Diretor de Bebidas do Mercado Little Spain, AJ Ojeda-Pons, guiá-lo em direção à direita garrafa de suco de uva fermentado. Pressionamos este conhecedor do vinho, que dirige o programa de vinhos de um dos melhores restaurantes espanhóis de Nova York, para saber quais vinhos abrir com algumas das cozinhas e pratos mais populares para levar para viagem. Nós até inserimos alguns links para comprar suas seleções de vinhos online, para que você não tenha que enfrentar a loja de bebidas IRL.

Saúde! Não se esqueça de dar uma gorjeta ao entregador.

Indiano

Pratos de Amostra

Vinhos para provar:

A regra geral para pratos picantes é escolher um vinho mais doce, e a resposta padrão geralmente é Riesling ou algo parecido. Gosto de experimentar outras variedades de uvas, incluindo as tintas. Não me interpretem mal, eu ainda amo um bom Pinot Gris da Alsácia ou um Jurancon do sudoeste da França - até mesmo um Chardonnay encorpado é uma boa combinação. Existem tantas especiarias e aromas diferentes que uma única combinação de vinho é quase discutível.

Para a culinária indiana, experimentei uma ampla gama de vinhos, desde os ricos, minerais e focados, até os ricos e cremosos ousados. Eu amo o austríaco Grüner Veltliner com comida indiana. Os frutos brancos brilhantes, notas elegantes, nítidas, duras, acidez cítrica e mineralidade pétrea combinam bem com estes pratos.

Chinês

Pratos de amostra:

Vinho para experimentar:

A comida chinesa é outra culinária superdivertida de explorar quando se trata de combinações de vinhos. Na verdade, a maioria dos somms na cidade de Nova York conhece os melhores lugares para ir em Chinatown - muitos deles Traga sua própria bebida. Muitas vezes nos reunimos em grandes grupos e cada somm traz uma garrafa (ou duas, ou três). Depois, pedimos tudo o que está no menu e partilhamos os diferentes vinhos à medida que vão sendo apresentados.

Para mim, as bolhas sempre foram uma opção, assim como os Rieslings da Nova Zelândia secos e secos. Também fomos surpreendidos por alguma grande Valtellina do Piemonte. Estou indo Alpine aqui, para a região de Südtirol / Alto Adige no Noroeste da Itália especificamente, e uma uva vermelha ideal para acompanhar com comida chinesa. Com seu caráter de frutas vermelhas / pretas, notas de violetas e aromas picantes, recomendo um saudável Lagrein. Seu caráter saboroso, picante e mineral e seus elegantes taninos aveludados combinam bem com esses dois pratos clássicos chineses.

Tailandês

Pratos de amostra:

Vinho para experimentar:

Eu tenho uma surpresa divertida neste emparelhamento. Eu absolutamente amo comida tailandesa e cada prato que eu geralmente peço é uma explosão de sabores. Gosto particularmente da combinação de sabores de coco e capim-limão. Convidei amigos para jantar, na época em que podíamos nos reunir, assistir a filmes e fazer pedidos, e tínhamos seis garrafas que bebíamos entre nós quatro. Durante o filme, nosso comentário foi baseado nos vinhos cegos que estávamos servindo com os (muitos) pratos que pedimos em nosso restaurante tailandês favorito na esquina. O vencedor - para nossa surpresa e deleite - (pela quantidade de frutas brancas e amarelas e camadas de frutas tropicais com elegância e bom ácido) foi um Viognier doméstico de Santa Bárbara. Experimente e você não ficará desapontado.

Japonês

Pratos de amostra:

Vinho para experimentar:

Getty Images / Alexander Spatari

Com comida japonesa, costumo ser mais delicado do que não, especialmente com sushi variado. Mas quando o teriyaki está em jogo, o jogo é ácido e tem um toque de contenção. Eu procuro vinhos mais rápidos, secos, crocantes e refrescantes aqui, e a Espanha não tem falta deles quando você está escolhendo vinhos da Galiza e do País Basco. Também costumo beber bolhas com sushi e, quando quero o melhor dos dois mundos, escolho um vibrante Txakoli com limão de Getaria, na região basca da Espanha.

Mediterrâneo

Pratos de Amostra

Vinhos para provar:

A comida mediterrânea é particularmente divertida para combinar vinhos com qualquer lugar, de Marrocos à Espanha, França, Itália e Grécia. Mas, indo com o tema de clima quente e lugares deslumbrantes, fui um pouco mais longe na costa da África até as Ilhas Canárias e escolhi uma Dolores Cabrera Fernández com frutas vermelhas brilhantes e pimenta preta e caráter de mineral vulcânico. É um pouco funky e definitivamente terroso, mas com ótima textura e versatilidade. Se quer ir mais mainstream, experimente este fantástico blend português cheio de frutos vermelhos, notas de fumo e uma fantástica estrutura tânica.

Italiana / Pizza

Pratos de Amostra

  • Pizza Margherita
  • Frango / vitela / berinjela à parmegiana com molho marinara
  • Cacio e Pepe ou espaguete à carbonara

Vinhos para provar:

Aqui temos três pratos muito contrastantes: um americano de origem, e o segundo e terceiro muito tradicionais italianos, que merecem a seleção de dois vinhos bastante distintos. Com pizza ou qualquer coisa com o molho vermelho onipresente, eu escolhi um excelente vinho grande, ousado, em borracha, fumado de Cilento na Campânia, sul da Itália: De Conciliis, Donnaluna Aglianico, Campânia. Quanto ao Cacio e pepe e à carbonara, considerando a riqueza e o tempero, opto por um Falesco Tellus Chardonnay branco cremoso, leve, mas delicioso, balanceado e branco.

Churrasco

Pratos de amostra:

Vinhos para provar:

Frango frito? Bolhas por todo o caminho. Você precisa do ácido e das bolhas refrescantes e purificantes para tirar a riqueza do óleo, e eles vão muito bem com o sabor do empanado (especialmente se for um pouco picante). Mas há um problema, experimente um rosé espumante ou pét-nat. Eu amo aqueles feitos com Malvasia ou outras variedades aromáticas como Mariotti, Bianco Dell’Emilia ‘Smarazen’ Emilia-Romagna. Ou se quiser esbanjar um pouco mais, experimente um champanhe rosé, como o La Caravelle Brut Rosé Champagne.

Para costelas de churrasco, eu gosto de combinar ousado e rico e doce e um tanto vinagre com um vinho ousado, suculento e concentrado como um Zinfandel ou uma grande e ousada mistura Grenache e Carignan de Priorat como o Turley “Fredericks Vineyard” Zinfandel de Sonoma County, Califórnia .

Grub americano / pub

Pratos de Amostra

Vinho para provar

Apesar de todos os vinhos que já provei com hambúrgueres e batatas fritas e sanduíches de frango frito, sempre temos um em estoque pela casa. Ele preenche todas as caixas se você é um amante de Cabernet ou Merlot, e é realmente uma mistura adorável de uma das vinícolas mais bonitas do planeta. Também é bem balanceado com todos os molhos e coberturas que você queira adicionar a um hambúrguer ou sanduíche.

Caribenho

Pratos de Amostra

Vinhos para provar:

Para esta cozinha, não me importo de ir com um vinho rico, aromático e floral, e talvez até algo mais doce. Escolhi outro varietal icônico da Alsácia, o Gewürztraminer com notas de lichia, rosas e especiarias, que seria um companheiro incrível para empadar frango e hambúrgueres. Domaine Weinbach, Gewürztraminer “Réserve Personnelle” Alsace, é a minha escolha aqui. Se você insiste no tinto, enlouqueça e experimente um Pais do Chile com frutas vermelhas esfumadas e crocantes.


Se você perdeu o prazo de entrega do seu restaurante favorito, não se preocupe: você pode fazer uma versão rápida e saudável de Sesame Ginger Beef em casa. Combine esta refeição saudável com um tinto de corpo médio, como Merlot ou Cabernet Sauvignon. Se você preferir vinho branco, um pouco seco Riesling é uma ótima escolha, especialmente se você gosta de um chute extra de sriracha.

Bright Cellars & # 8217 Nihilist Cabernet Sauvignon

O Nihilist Wine Co. Cabernet Sauvignon é um vinho tinto elegante que vai muito bem com sua carne de gengibre com gergelim. O vinho de corpo médio apresenta notas ricas de frutas escuras como ameixa e cereja preta. Possui acabamento em carvalho com taninos suaves.


GUIA DE EMPARELHAMENTO DE CRÔNICA / Tailandês para vinho

1 de 9 THAIPAIRINGS10_374_cl.JPG Foto que ilustra a combinação de vinhos com comida tailandesa, uma taça de vinho com algumas das diferentes especiarias tailandesas. Evento em 01/08/07 em San Francisco. foto de Craig Lee / The Chronicle CRÉDITO OBRIGATÓRIO PARA PHOTOG AND SF CHRONICLE / SEM SALES-MAGS OUT foto de Craig Lee Mostrar mais Mostrar menos

2 de 9 THAIPAIRINGS10_121_cl.JPG História sobre o emparelhamento de vinhos com comida tailandesa. Comida estilizada por Amanda Gold. Foto de bolos de camarão. Evento em 01/08/07 em San Francisco. foto de Craig Lee / The Chronicle CRÉDITO OBRIGATÓRIO PARA PHOTOG AND SF CHRONICLE / SEM SALES-MAGS OUT foto de Craig Lee Mostrar mais Mostrar menos

4 de 9 THAIPAIRINGS10_096_cl.JPG História sobre o emparelhamento de vinhos com comida tailandesa. Comida estilizada por Amanda Gold. Foto de Salada de Carne Grelhada. Evento em 01/08/07 em San Francisco. foto de Craig Lee / The Chronicle CRÉDITO OBRIGATÓRIO PARA PHOTOG AND SF CHRONICLE / SEM SALES-MAGS OUT foto de Craig Lee Mostrar mais Mostrar menos

5 de 9 THAIPAIRINGS10_038_cl.JPG História sobre o emparelhamento de vinhos com comida tailandesa. Comida estilizada por Amanda Gold. Foto de Roasted Green Chili Sauce. Evento em 01/08/07 em San Francisco. foto de Craig Lee / The Chronicle CRÉDITO OBRIGATÓRIO PARA PHOTOG AND SF CHRONICLE / SEM SALES-MAGS OUT foto de Craig Lee Mostrar mais Mostrar menos

7 de 9 THAIPAIRINGS10_066_cl.JPG História sobre o emparelhamento de vinhos com comida tailandesa. Comida estilizada por Amanda Gold. Foto do curry de carne de porco tailandês do norte. Evento em 01/08/07 em San Francisco. foto de Craig Lee / The Chronicle CRÉDITO OBRIGATÓRIO PARA PHOTOG AND SF CHRONICLE / SEM SALES-MAGS OUT foto de Craig Lee Mostrar mais Mostrar menos

8 de 9 THAIPAIRINGS10_165_cl.JPG História sobre o emparelhamento de vinhos com comida tailandesa. Comida estilizada por Amanda Gold. Foto de Stir Fried Rice Noodles com Gai Lan and Chicken. Evento em 01/08/07 em San Francisco. foto de Craig Lee / The Chronicle CRÉDITO OBRIGATÓRIO PARA PHOTOG AND SF CHRONICLE / SEM SALES-MAGS OUT foto de Craig Lee Mostrar mais Mostrar menos

das nossas notas de prova: Aromas a lima e tamarindo, com uma doçura distinta e uma acidez sublime.

O vinho também não era ruim.

A culinária tailandesa é uma das mais complexas do planeta. E como acontece com um grande vinho, um prato tailandês clássico combina sensações gustativas usando uma paleta de sabores mais ampla do que muitos alimentos ocidentais: salgado, doce, azedo, picante, amargo, herbário e terroso podem interagir no curso de um único prato. Ingredientes como molho de peixe, açúcar de palma, suco de limão, especiarias quentes associadas a masalas indianas e notas de ervas florais de coentro, hortelã e capim-limão podem ser encontrados em um único gole. Mesmo na versão mais desajeitada e carregada de ketchup do pad Thai - tão icônico para os gostos americanos quanto o chow mein já foi - alguns desses equilíbrios de sabor estão em ação.

Como ficou claro durante nossos esforços para combinar vinhos com comida tailandesa, infinitas camadas de especiarias e sabores fornecem tantos desafios quanto oportunidades. Portanto, quando se trata das complexidades da comida tailandesa, jogue fora as regras de combinação de vinhos. Vinhos brancos podem se harmonizar com carne e vinhos tintos com vegetais verdes. A chave é encontrar o equilíbrio entre o vinho e a comida.

Balance um pêndulo para o leste do gigante cultural da Ásia - a Índia - através dos oceanos e rotas comerciais. Balance um segundo para o oeste vindo do outro gigante, a China. Os dois arcos se cruzam no sudeste da Ásia, quase sobre a Tailândia. Não é aleatório - a culinária tailandesa expressa perfeitamente a interseção entre as culturas indiana e chinesa. No espaço de um dia em uma cidade como Bangkok, você pode comer macarrão com pauzinhos (influência chinesa), curry à mão (preferência indiana) e tudo com garfo e colher (como é o costume tailandês).

No entanto, o que torna a cozinha tailandesa indelevelmente única são os aromáticos nativos, como capim-limão, galanga (um rizoma da família do gengibre), coentro, açafrão-da-índia e limão magrut (também conhecido como kaffir), que formam um núcleo perfumado para a maioria dos pratos. Esses sabores combinam com as frutas tropicais, verduras e ervas selvagens encontradas em todas as despensas tailandesas.

A incursão da seção de vinhos em harmonizar vinho com comida indiana há dois meses focou em molhos e suas texturas como a chave para uma boa combinação. Com a comida tailandesa, a chave para harmonizar o vinho é um profundo conhecimento de aromas frescos, técnicas de culinária e como sabores díspares se harmonizam em um único prato.

A picada da pimenta malagueta está no centro da culinária tailandesa, parte do limite entre o prazer e a dor, um véu que cobre quase todos os pratos.

O calor destrói o vinho? Pode acabar com as sutilezas, com certeza. Alguma doçura no vinho pode ajudar, mas quanto mais seco o vinho, mais adstringente é o sabor. E beber vinhos com alto teor alcoólico com tanto tempero só deixa sua boca entorpecida.

Mas os restaurantes geralmente temperam o componente chile de acordo com o gosto dos clientes. "Temos a tendência de mantê-los baixos para eles, para que saibam que o calor vai dominar o vinho", diz Bank Atcharawan, gerente de vinhos da Lotus of Siam em Las Vegas, onde a lista de 350 garrafas de Riesling supera as de lugares muito mais chiques.

Em vez disso, pense nas pimentas como um tempero flexível, como você faria com o sal, e lute contra a tentação de provar seu valor optando pelo cenário mais picante do menu.

O problema muito maior de combinar vinho com comida tailandesa não é o calor, mas o efeito paralisante de muito açúcar. Muitos restaurantes tailandeses nos Estados Unidos sufocam seus pratos para acomodar o guloso americano.

Antes, um toque de doçura atenuava o calor do chile. Mas agora uma doçura irresistível é a norma. O açúcar pode afogar grandes vinhos porque uma boa combinação geralmente requer que o vinho seja mais doce do que a comida (e é por isso que bolo de casamento e champanhe chocam como tios rivais).

A degree of sweetness is essential, which explains why off-dry Rieslings are a near-perfect solution for most Thai dishes. But it's important to keep sweetness in check for both wine and food, or risk losing the nuances in both. It's no surprise that Lotus of Siam uses less sugar in its dishes than many restaurants, according to Atcharawan.

To provide a road map for the dishes you're most likely to encounter in restaurants, we devised six categories that encompass most Thai food:

1. Fish and fish sauce: Most of Thailand is surrounded by ocean, and fish are important to the cuisine - not only as a protein, but also as strong, salty seasonings like fish sauce and shrimp paste.

2. Grilled meats: Most commonly you'll find satay on menus, although Thai cooking has a sizable barbecue element that uses herbal aromatics as well as dark spices (turmeric, cumin, coriander or cardamom) in the marinade. The sweet components here are crucial for wine pairing.

3. Salads and herbs: Often a meal will include this most herbal component, which includes standards such as the ubiquitous green papaya salad and also dishes like grilled beef salad. Acidic lime juice plays a major component.

4. Sweet and sour: This is the category most familiar to the casual partaker of Thai food, and one that includes the all-popular pad Thai as well as many dipping sauces. Well-made Thai dishes offer a surprising level of nuance with tamarind and lime for the sour component, rather than just vinegar. For the sweet component, raw palm sugar rather than refined sugar adds fruity complexity. The more subtle the ingredients, even in a rustic dish like the northern Thai pork curry , the more nuanced the wine.

5. Curries: Thai curries are unlike Indian curries in that Thai curries often begin with the base of galangal, cilantro root, lemongrass and magrut lime zest. Fresh coconut milk, common in many curries, contains subtle floral and herbal notes. However, canned coconut milk has few of those flavors - and its frequent use in restaurant foods complicated our conclusions.

6. Stir-fries: This category best reveals the Chinese influences on Thai cooking. It includes noodle dishes like rad na, pad se ew, fresh, wide-cut noodles of water-ground rice with gailan (Chinese broccoli) and beef. Thai fried rice and other dishes served along with dips with lots of soy or fish sauce as the primary seasoning also belong in this category.

Thai dishes tend to hit all cylinders in one mouthful - one dish tastes different from another often by just a slight shift in emphasis on the various elements. One advantage: a well-chosen, properly balanced wine can serve you through the entire meal.

But choosing that wine can be tricky. To test our theories, we put a wide range of wines up against home cooked and restaurant Thai dishes.

Certain rules of thumb quickly failed to hold up. It was during a meal at Marnee Thai in San Francisco's Sunset District that we came upon the beef-and-white-wine revelation.

For his beef salad, included in his cookbook, "Thai Cuisine Beyond Curry" (to be released in October and sold at Marnee Thai), Chai Siriyarn grills strips of the meat and then tosses them with fish sauce, lime juice, sugar, cilantro, lemongrass and magrut lime leaf. Though the beef called for a red, the aromatics screamed for a white. In the end, dry Riesling and a headily floral Torrontes from Argentina fit the bill, sharp acidity cutting through the meat. Such wines will lend themselves to most Thai salads.

Ultimately, the best setting for pairings comes when you cook your own dishes: The sugar and chile are in your hands. With that in mind, we tailored recipes to be as wine-friendly as possible.

But the ubiquity of takeout Thai means that pairings need to withstand an onslaught of sugar and spice. That typically meant more sweetness in the wine - and, ultimately, fewer ideal matches.

No surprise, then, about the Rieslings. But red wines were often good matches - a modest Zinfandel, even a Merlot, when plenty of sugar was present in the dish. And despite its presence on wine lists in Thailand and the United States, Cabernet Sauvignon was the odd grape out.

It's also worth remembering that a Thai dish can handle a lot of flexibility in seasonings.

At traditional Thai restaurants, the condiment tray on a dining table usually offers three or four choices: chiles in fish sauce, chiles in vinegar, chiles in dried, powdered form, and plain sugar. In other words, savory, acid, bitter and sweet are all at the table for you to make your adjustment. Having that at your disposal to fine-tune your pairing will make things much easier.

-- For The Chronicle pairing guide to Indian food, go to

Grilled meats

Thailand's culinary culture is happily enjoyed alfresco - something we see less of in American Thai food. Food of any kind is thrown on a grill, from chiles, garlic and shallots - the basics for some curries - to meats. These are lightly salted, if at all, and sometimes marinated, leaving them easily accessible to all manner of sauces and dips.

Food: Satays in all the variations, beef, pork, chicken, lamb. Most meat proteins can be grilled over charcoal, from whole fish to chicken to beef that is intended for a salad, as in the beef salad recipe we include.

Wine: Pinot Gris, sweet Riesling or Chenin Blanc if there's more fat and sugar in the marinade or sauce (like peanut sauce). Dry rosé also worked well here. A surprise winner was dry Lambrusco - with the tannin of red wine and the acidity and chill of white, it straddles two worlds.

Salads and herbs

Papaya, mango and banana blossom are all major ingredients in this group. Lime is also a major flavor component. When a protein such as beef or chicken is present, you'll find perfumed herbs such as cilantro, mint, basil, lemongrass, magrut lime and galangal.

Food: Green papaya salad, beef salad, chicken or pork larb, green mango salad, green chile sauce, minced catfish salad. Tom yum and tom ka soups (if light on the canned coconut milk) also fit here, due to their use of lime juice and lemongrass or galangal.

Wine: Torrontes, which combines the aromatics of Viognier and the sharp edges of Sauvignon Blanc, was a runaway hit. Albarino, a similar wine, works well too - as do dry Viognier and Sauvignon Blanc, though with less finesse. Riesling was a solid performer, the sweetness level matching the dish.

This was one of the few categories where Gewurztraminer worked, though not always - a bit of sweetness helped stave off occasional bitter notes in the wine. Some reds work, too: Lighter Tempranillo, Barbera, Beaujolais, St. Laurent and light Cabernet Franc with the beef salad, and a Chinon even went well with the chile sauce. Some sparkling wines will also work. In all cases, wines with high acid and herbal notes fit the bill.


Perfect Wine-and-Food Pairings

Photo By: Kieran Scott ©This content is subject to copyright.

Steak and Cabernet Sauvignon

Why they're the perfect pair: Cabernet Sauvignon is high in tannin &mdash the substance that leaves a chalky sensation on your teeth and dyes your mouth dark after drinking. The fat in a steak stands up to tannins and softens their impact, and the meat's bold flavor matches the big, fruity flavor of the wine.

Similar combinations to try: Red meat and red wine are a classic combination. Grilled steak would be delicious with an American red Zinfandel, or a tannic or soft Merlot, while a pan-fried steak pairs well with a fruitier red like an Australian Shiraz, or a California, Oregon or Washington Merlot.

Photography courtesy of Lisovskaya/Getty Images

Oysters and Muscadet

Why they're a perfect pair: Muscadet, which is made in western France and along the Atlantic coast, heightens the oysters' fresh flavor with its acidity.

Similar pairings to try: Mussels, clams, oysters and white fish like trout or skate are also delicious with lightly oaked Chardonnay or Sauvignon Blanc.

Photography courtesy of Lisovskaya/Getty Images

Spaghetti and Meatballs and Chianti

Why they're a perfect pair: Chianti has a bold, fruity flavor with enough acidity to stand up to the tomatoes and meat.

Similar pairings to try:
Spanish Rioja also pairs well with tomato-based sauces. Parmesan cheese goes well with Chianti.

Photography courtesy of istetiana/Getty Images

Spicy Indian Takeout and Riesling

Why they're a perfect pair: Slightly sweet, low-alcohol wines like German, Australian or New York Rieslings give the palate some relief from a spicy meal. A highly alcoholic wine would make you feel the burn.

Similar pairings: Spicy Asian food or highly spiced Mexican dishes like enchiladas also pair well with Riesling. A dry Gewurztraminer also pairs well with heart-pumping cuisines like Thai or Indian.

Photography courtesy of sf_foodphoto/Getty Images

Salmon and Pinot Noir

Why they're a perfect pair: While fish typically pairs better with white wine, salmon's flavor will stand up to the bold but not too tannic flavor of Pinot Noir. Consider regional pairings &mdash salmon harvested in the Pacific Northwest pairs well with the Pinots from that area.

Similar pairings to try: Pinot Noir also pairs well with other fatty fishes like tuna, especially when they are served rare or raw.

Photography courtesy of Troels Graugaard/Getty Images

Stilton and Port

Why they're a perfect pair: The contrast! The salty cheese and the sweet wine contrast beautifully, but both are aged long enough to develop a similar earthy, tawny flavor.

Similar pairings to try:
Serve sweet wines like port, sherry and Madeira with salty and/or strong cheeses such as Roquefort, Stilton and other blue or pungent cheeses.

Photography courtesy of Kieran Scott/Getty Images

Lamb and Bordeaux

Why they're a perfect pair: Because of the gamey flavor, lamb shines with a wine that has a rich, bold personality to stand up to it. Bordeaux is bold and fruity, and the fatty richness of the meat helps absorb some of the wine's tannins.

Similar pairings:
Choose aromatic wines with bold flavors and maybe even some smokiness to pair with lamb or other game, such as venison.


Chicken Creole

  • 3 pounds chicken (I used two half chickens plus two bone-in breasts), seasoned to your liking with salt and pepper
  • 1 cup fresh chopped parsley
  • 1 stick of butter + 3 tablespoons
  • 1 tablespoon thyme
  • 8 tablespoons flour
  • 1/2 teaspoon fresh chopped basil
  • 1 15-ounce can of tomato sauce
  • 4 folhas de louro
  • 2 cups chopped onions
  • 3 cups chicken stock plus 1/2 cup water
  • 1 cup chopped celery
  • 1 tablespoon chopped garlic plus a teaspoon
  • 2 tablespoons brown sugar
  • 1 cup chopped green onions
  • 1/2 lemon, sliced

For the seasoning: (adjust to your own liking or use a cajun seasoning from the store)

  • 5 tablespoons paprika
  • 3 tablespoons cayenne pepper
  • 1 tablespoon fresh red pepper flakes
  • 2 colheres de chá de alho em pó
  • 2 colheres de chá de cebola em pó

In a dutch oven over medium heat, add the stock, tomato sauce, thyme, basil, bay leaves, brown sugar, lemon slices and your seasoning. Bring to a boil and turn to low/simmer.

In a large sauté pan over medium heat, add 6 tablespoons of the butter and the flour. Whisk until lightly browned and thickened. We suggest pre-heating your pan and once it's hot, add your butter and flour. Stir it periodically so it doesn't burn or stick to the bottom of the pan. Once it's a tad brown, add your onions, celery and garlic. Sauté until they begin to turn transparent. Add to the liquid mixture.

Melt the 3 tablespoons butter and add your chicken. Cook covered until the meat is tender and cooked through (make sure to flip your pieces over so nothing turns crispy!). Add to the liquid mixture, along with any of the juices.


Thai Green Curry Rockfish and Montinore Estate Gewurztraminer #winepw

I am so excited our #winepw group is featuring Biodynamic Wines from Willamette Valley. To get us in the mood a little I thought I would share this video clip about Oregon Biodynamic wines on KGW.


Biodynamic wines can be a confusing term. For some clarification and hints for how to know if a wine is Biodynamic please see Biodynamic Wines for Earth Day. If you’d rather get right into the food and wine pairings then let’s go.

We’ve all been cooking and sipping and recipe testing to bring you carefully created pairing suggestions for these handcrafted wines. Please check out these posts and join us on Twitter from 8am -9am PT Saturday May 11 to discuss. Just follow #winepw.

  • David of Cooking Chat has prepared “Salmon, Farro and Mushrooms with Winderlea Pinot Noir”
  • Camilla of Culinary Adventures with Camila is celebrating with “Simple Pleasures, A Birthday Cheeseboard, & Keeler Estate Vineyards’ 2017 Terracotta Amphorae Riesling“
  • Jill of L’Occasion writes about “Peace, Bread, Land and Wine’: A Meal With Brooks Winery“
  • Jennifer of Vino Travelswill share “Biodynamic Wines of the Willamette Valley with King Estate“
  • Lori of Dracaena Wines will present “Continuing the Biodynamic Legacy # WinePW “
  • Jane from Always Ravenouspairs “Wild Alaskan Salmon with Herbed Ricotta and Oregon Pinot Noir”
  • Pinny of Chinese Food and Wine Pairings combines “Biodynamic Grüner Veltliner and Pinot Noir from Johan Vineyards Plus Surf ‘n’ Turf Dinner”
  • Linda of My Full Wine Glass shares “Ode to Oregon: Johan’s Biodynamic Expression of Place ( # WinePW )”
  • Gwendolyn Alley from Wine Predator will present “Our land is our life and our life is our wine” — Cooper Mountain Pinot Paired with Duck # WinePW
  • Deana from UMAsian Test Kitchen has whipped up “Oregon Orange Wine Sparkles with Indian Curry”
  • Wendy Klik A Day in the Life on the Farm discovers “Dammit!! These are some great wines from Willamette.
  • Lauren Walsh of The Swirling Dervish will tempt us with “Pork Loin, Mushrooms, and Fiddlehead Ferns Meet Biodynamic Pinot Noir from Bergström Wines ( # WinePW )”
  • Martin of Enofylz Wine Blog brings us “A Taste of Cooper Mountain Vineyards at the Table # WinePW “
  • Jeff of Food Wine Click is pairing “Biodynamic Willamette Valley with Brick House and Harissa Chicken”
  • Payal of Keep the Peas is presenting “Living off the Land: King Estate Pinot Noir + Mushroom Pâté”
  • Rupal ofSyrah Queen is sharing “Maysara Winery – Iranian Immigrants Achieving The American Dream”
  • Jade of Tasting Pour will share “Thai Green Curry Rockfish and Montinore Estate Gewurztraminer #WinePW”
  • Nicole of Somm’s Table shares “A Hunt for a Biodynamic Williamette Valley Wine: Johan Vineyards Farmland Pinot Noir and Salmon“

For my pairing I made Thai Curry Rockfish with Montinore Estate 2016 Gewurztraminer Reserve from Willamette Valley. This was a triple threat of a special treat.

The Winery: Montinore Estate

Montinore Estate has effected the world of Biodynamic wines in a big way – literally. In fact, Demeter USA, the certifying agency for Biodynamic farming, recently reported that Montinore Estate is the country’s largest producer of certified estate wines made from Biodynamic grapes. This is because of the leadership of Rudy Marchesi, president and chief viticulturist at Montinore Estate. Many people think Biodynamic farming methods are only feasible on small farms. Marchesi turned that theory on its ear when he successfully converted the 240 estate at Montinore to Biodynamic.

Montinore Estate
photo Andrea Johnson

Marchesi does not just serve as an example of what can be accomplished, he creates opportunities to share knowledge and provide education. Marchesi has hosted many Biodynamic educational events over the years including a pre-conference workshop at last year’s Biodynamic Association conference. Most recently, Rudy was one of nine growers- and the only American- asked to join the International Biodynamic Viticulture Group, that will be promoting Biodynamic viticulture and winemaking education around the globe, including creating an international web-based forum for Biodynamic winegrowers. Marchesi is also the Chairman of the Board of Directors of Demeter USA.

I had the privilege of interviewing Marchesi last year when he was named Oregon Wine Press Person of the Year. For more details about his contributions please see my interview with Rudy Marchesi here.

Rudy Marchesi
photo Andrea Johnson

The Wine: Montinore Estate 2016 Gewurtzraminer Reserve, Willamette Valley

We kind of loved this Gewurztraminer (sponsored sample). To me this grape can be hard to get right. They are usually way fun to smell but sometimes the flavors can be overwhelming and they can feel heavy on the palate. But this one was FABULOUS! Lots of spice – white pepper, coriander, fresh ginger – with the fresh aromas of wildflowers and roses, sweet peach and nectarine, and finally blood orange oil. It screamed for Thai food and then it screamed to accompany our neighborhood walk to see the spring flowers.

The Dish: Thai Curry Rockfish

There aren’t very many food products I use from a jar. But I make a few exceptions and these can really save me on a busy weeknight. Here is one of my favorite timesavers: Thai Green Curry Simmer Sauce from Trader Joe’s. I understand all of the words in the ingredients label. Actual edible ingredients like coconut milk, lemon grass, Kaffir lime peel, coriander etc.

All you need for a quick meal that won’t heat up the kitchen is some fresh veg, local fish, and rice or zoodles.


Ask a Sommelier: The Best Wine for Thai Food

Can you pair wine with Thai food? Say you're eating spicy duck larb, a fresh green papaya salad with chilies, fish sauce, and lime juice, plus rich pad thai with shrimp, and a green curry with eggplant. Is there a wine that will taste good with all those dishes? We asked our crew of sommeliers for advice on picking a wine that will work. Here are their top wine choices for pairing with a Thai feast.

"Riesling from Germany. Always and forever. Off-dry wines with acidity really cut the spice, and the 9% alcohol means you can chugalug!"—Patrick Cappiello (Pearl & Ash)

"Gruner Veltliner! A rich, savory Gruner like Brundlmayer 2008 'Lamm' would be perfect—the ripeness and richness to the fruit will stand up to the heat while the inherent savory character of Gruner won't compete with bold Thai flavors."—Carlin Karr (Frasca)

"Riesling is great with Thai food, particularly wines with a bit of sweetness. Although not all Riesling is sweet, when you eat something spicy and drink something with residual sugar, the sugar goes to the background and the fruit comes forward. At Kin Shop, we love to have people try it, especially if they don't like sweet wines, since it often changes their minds. Over the years, what I've found surprising is smooth, medium-full red wines are a great pairing for spicy dishes. We have a lovely merlot from Neyers that just is perfect with spicy meat dishes."—Alicia Nosenzo (Kin Shop, Perilla, The Marrow)

"A lot of aromatic and bold flavors coming from this spread of Thai dishes! Pairing wine with multiple dishes, especially when the flavors are all over the places and the protein or the preparation are not too heavy, I would always go with wines that have higher acidity naturally. Riesling, Chenin Blanc, Sauvignon Blanc, and Chardonnay (to certain extent), will be the go-to recommendations in most wine shops. In reality, though, not everyone is a fan of residual sugar in white wine. Therefore, I tend to find myself recommending white wines made from grapes that have more fruitier characters but tend to be made in dry styles, i.e. Kerner (a Riesling & Trollinger cross), Sylvaner, e Scheurebe. If you are dedicated red-only drinkers, I will go with light to medium bodied red wine with ample acidity, and no new oak regimen preferred. Schiava from Alto Adige will work really well in this case, and basic Southern Italian reds that are made in stainless steel vessels or concrete or Pinot Noir from a cool climate, such as Germany, Austria, or uptate New York."—Arthur Hon (Sepia)

"With a variety of dishes on the table, you can either choose to have a great pairing with one thing (that doesn't necessarily work perfectly with every dish), or something that is a little safer and goes okay with everything. If you are going for the first game plan, I would choose a bright, tart wine to go with the papaya salad, perhaps white or rosé Txakoli from the Basque country in Spain or a fresh, low alcohol and low tannin red like Rossese from Liguria in Italy to go with the spicy duck laarb. If I had to pick one wine for everything, it would be probably be an off-dry Riesling from Alsace or Germany or Vouvray (Chenin Blanc) with just a hint of sugar. If you are in the mood for red wine, you would want to avoid something with too much alcohol or oak."—Stacey Gibson (Olympic Provisions)

"Look for wines styles that may share some similar flavors to the food to allow them to stand up to the bold flavors and distinct spices, such as white wines from Austria, Germany and Alsace. Varietals like Riesling, Gewurtztraminer and Pinot Blanc from these regions often carry vibrantly aromatic tropical fruit notes, are solidly structured and carry a distinct spiciness unto themselves. Be careful with light bodied, dry whites as well as red wines as they run the risk of creating an unsavory discord of flavors on the palate or getting lost to the food all together."—Colleen Hein (Eastern Standard)

"Less expensive off-dry bubbly options like Bugey-Cérdon are refreshing and great foils for the spice. Red wines get overlooked, but juicy red wines with soft (or no) tannins can be delicious with Thai food as well. Some that jump to mind: Beaujolais (I'm loving Jean Foillard's "Nouveau") American Grenache (Vallin Grenache, Tribute to Grace), and other light, aromatic red wines made from grapes such as Frappato, Gamay and Pineau d'Aunis. Poulsard and Trousseau are great, too. If you have not tried Arnot-Roberts' North Coast Trousseau, seek it out!"—Jordan Salcito (Momofuku)

"As a society we are afraid of wines that aren't completely dry. We need to get over that. I'll blame white zin to some extent, but that craze is long gone. Thai food with Riesling or Chenin Blanc is just bulletproof. For the combination of foods above, I'd probably go with something on the earthy and spicy side of either of those varieties, so a Spätlese (frequently off-dry late-harvest style) Riesling from the Rheingau, maybe something from Robert Weil, or Demi-Sec (off-dry) Vouvray from a solid producer like Huet would be fantastic. Spice is mediated by a little sweetness, while Chenin and Riesling are both high-acid grapes, so they cut through the fat of the dishes."—David Keck (Camerata at Paulie's)

"I find Gewürztraminer to be my personal favorite. Especially those from Albert Boxler. His ability to balance acidity and sugar while providing exceptional tropical fruit flavors make this a slam dunk pairing."—Chris Nelson (Union Square Cafe)

"Many sommeliers will recommend off-dry Riesling to pair with spicy dishes while I think this can be a great pairing (especially with an off-dry Riesling from the Mosel in Germany or New York's Finger Lakes), Champagne comes in for the win yet again! Crisp, yeasty, and refreshingly carbonated, Champagne helps to clean-off your palate of oil, spice, and fat. It's also versatile enough to pair with meats like duck, lamb, and yet light enough to balance seafood really well. Look to a producer like R.H. Coutier from Ambonnay in Champagne for a rich, doughy Champagne that will work wonders with these dishes."—Thomas Pastuszak (NoMad)

"Any aromatic white, especially from Alsace (Riesling, Pinot Blanc, Pinot Gris and Gewurtztraminer or field blends that include all of them). As an alternative, a dry rose from Provence would be a nice choice. I'd definitely avoid any strong tannic red wine."—Roberto Paris (il Buco and il Buco Alimentari)

"With Thai or Indian or Szechuan or other highly seasoned, potentially spicy food, the key is low alcohol, low tannin if red, and a touch of sweetness if white, and in either case fruit-forward. Ultra-dry wine of any color fights with the sweet-sour-spicy-bitter factors in this kind of cooking and those same dishes also magnify the alcoholic feel of any wine. Think Riesling or Chenin Blanc, but not rippingly dry versions of either."—Juliette Pope (Gramercy Tavern)

"It may defy conventional wisdom, but I would pair Sauvignon Blanc with that meal. Not one that is too austere or mineral-driven, but one with more expressive fruit. Obviously, new world Sauvignon Blanc, especially from New Zealand, is bursting with ripe fruit and citrus: lime zest, grapefruit. But I have tasted a great deal of Sancerre and Loire Sauvignon Blanc lately that I think would pair wonderfully with a spicy Thai meal like this."—Lara Creasy (King + Duke)

"When pairing wine with Thai food, Riesling (or other highly aromatic, high acid white wines) is the obvious go-to, matching intensity and weight of a dish with intensity and weight of the wine. Generally, lower alcohol whites with a little sweetness and a strong backbone of acidity stand up to the heat and intensity of Thai dishes but I find drier whites pairing well with many Thai dishes as well. UMA rosé, Pinot noir, or Gamay noir can be fun as well, especially with a green curry and eggplant dish. Try Reichsgraf von Kesselstatt Majoratsfullung Riesling Sekt Brut, Love & Squalor Willamette Valley Riesling, an Oregon Pinot noir, or a Cru Beaujolais."—Christopher Sky Westmoreland (Levant)

"Go for off-dry wines made with Alsatian varieties like Pinot Gris or Gewürztraminer. There are some really nice Alsatian varieties growing in California's Anderson Valley now, and of course, you can rarely go wrong with a bottle of bubbles."—Courtney Humiston (Dry Creek Kitchen)

"I can't talk about Thai food and wine without mentioning German riesling, and for multiple reasons: the lower alcohol calms the spice, the residual sweetness hits the sugary notes of tamarind, lime and coconut, and the clean mineral tones don't clash with fish sauce. Maximin Grünhäuser's 2010 Abtsberg Kabinett is a knockout pairing. Weingut Knoll from Austria makes a delicious Loibner Riesling Federspiel as well, if you're looking for a drier style. For Thai food in general, pick something low in alcohol with tropical fruit and herbal notes. Grüner Veltliner, Verdejo, e Sancerre always fit the bill."—Jackson Rohrbaugh (Aragona)

"If Riesling really isn't your thing try an array of whites from France's Loire Valley. Muscadet is a nice refreshing white from the eastern Loire Valley that is light on the palate with a nice touch of minerality. Further west in the Loire Valley you'll find Sancerre, here Sauvignon Blanc is king, from soft delicate white wines with hints of smoke, tropical fruit, and slate, too big boisterous white wines overflowing fragrances of honeysuckle."—Jeremy Wilson (Ned Ludd)

"Outside of Riesling, personally I'd be going for a beer."—Evan Hufford (Saison)